Comunidade Anglicana

Debate sobre a sexualidade confirma profundas divisões

| 8 Ago 2022

justin welby arcebispo cantuaria foto catedral de cantuaria

Justin Welby tentou apaziguar as partes, mas sem sucesso. Foto © Catedral de Cantuária.

 

A “cimeira” mundial da comunhão anglicana terminou com a celebração eucarística realizada na Catedral de Cantuária no domingo, dia 7 de agosto, mas ninguém pode antecipar que contornos terá a próxima conferência de Lambeth a acontecer no final desta década, tão profundas são as divisões entre os bispos de todo o mundo no que toca à ordenação de pessoas LGBT e à bênção de casamentos entre pessoas do mesmo sexo.

Tal como já acontecera durante o serviço de abertura, a 31 de julho, alguns bispos e as suas mulheres permaneceram sentados enquanto a comunhão era distribuída, vincando, assim, a sua incompleta comunhão com os bispos das igrejas anglicanas que rejeitaram o ensino tradicional de que “o casamento entre pessoas do mesmo sexo não é permitido” e que “as relações entre pessoas do mesmo sexo não têm suporte bíblico”.

Mais do que qualquer outro tema, este é foi o assunto que durante os dez dias da Conferência de Lambeth 2022 dividiu as centenas de bispos presentes, embora já antes do início dela, o assunto fosse altamente fraturante [ver 7MARGENS]. A divisão anunciada tornou-se, porém, mais acentuada, apesar dos esforços do Arcebispo de Cantuária, Justin Welby, que ao longo de toda a conferência reuniu por várias vezes com os grupos que protagonizavam os polos mais opostos do debate. A sua tentativa final [ver 7MARGENS] para apaziguar as partes, afirmando a manutenção da doutrina como ela fora formulada por Lambeth em 1998, mas reconhecendo que na Comunhão Anglicana existe “uma pluralidade de pontos de vista” sobre o tema e há “Províncias a abençoarem e a acolherem a união/casamento entre pessoas do mesmo sexo”, não terá surtido o efeito desejado. 

Já perto do final da conferência mais de 170 participantes subscreveram uma posição em que se lembrava “a dor de muitas pessoas LGBT+ que foram historicamente feridas pela Igreja”. Em defesa dessas pessoas, os bispos subscritores deixavam expresso a sua vontade de “reconhecer e afirmar a santidade do seu amor e dos seus relacionamentos”. 

Reagindo a esta declaração, representantes da Sociedade do Sul Global de Igrejas Anglicanas — que integra 275 bispos anglicanos da África, Ásia, Pacífico e América do Sul — sentiram-se na necessidade convocar na sexta-feira, dia 5 de agosto, uma conferência de Imprensa para afirmar: “Não podemos aceitar uma pluralidade de pontos de vista sobre verdades essenciais. Se não houver arrependimento autêntico das Províncias revisionistas, então, com tristeza, teremos de aceitar um estado de comunhão imperfeita com elas.” Um dos protagonistas da conferência de imprensa, o arcebispo do Sudão do Sul, Justin Badi, disse que a Comunhão Anglicana “se estava a tornar cada vez mais uma associação de Igrejas”, concluindo: “A dura realidade é que não podemos ser uma verdadeira Comunhão se algumas províncias insistem na sua própria autonomia e desconsideram a necessidade de ser um corpo interdependente.”

Não parece fácil, a partir de posições tão extremadas, manter a comunhão integral entre todas as “Províncias” da Comunhão Anglicana.

As Conferências de Lambeth são assembleias que reúnem os primazes, bispos e bispas da Comunhão Anglicana do mundo inteiro e realizam-se todos os dez anos, sendo dirigidas pelo arcebispo de Cantuária.

 

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

 

Assembleia continental europeia do Sínodo

Um bispo, um padre e duas leigas na delegação portuguesa

A delegação portuguesa à assembleia continental europeia do Sínodo que vai decorrer em Praga de 5 a 12 de fevereiro é composta pelo bispo José Ornelas, presidente da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP), pelo padre Manuel Barbosa, secretário da CEP, e por Carmo Rodeia e Anabela Sousa, que fazem parte da equipa sinodal nacional. A informação foi divulgada esta quinta-feira, 2 de fevereiro, em nota enviada às redações.

Estudo decorre até 2028

A morte sob o olhar do cinema e da filosofia

O projeto “Film-philosophy as a meditation on death” (A filosofia do cinema como meditação sobre a morte), da investigadora portuguesa Susana Viegas, acaba de ser contemplado com uma bolsa de excelência do European Research Council, no valor de um milhão e setecentos mil euros, para um trabalho de equipa de cinco anos.

Normas inconstitucionais

Eutanásia: CEP e Federação Portuguesa pela Vida saúdam decisão do TC

O secretário da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) saudou a decisão do Tribunal Constitucional (TC), que declarou inconstitucionais algumas das normas do decreto sobre a legalização da eutanásia. “A decisão do TC vai ao encontro do posicionamento da CEP, que sempre tem afirmado a inconstitucionalidade de qualquer iniciativa legislativa que ponha em causa a vida, nomeadamente a despenalização da eutanásia e do suicídio assistido”, disse à agência Ecclesia o padre Manuel Barbosa.

O Simão e a oração-menina que lhe apareceu

[Margem 8]

O Simão e a oração-menina que lhe apareceu novidade

O Simão ainda tem o tamanho de menino que consegue caminhar por baixo da mesa de jantar. Inclina um bocadinho a cabeça, risonho, e passa de um lado ao outro com as suas aventuras. Tem os olhos que são todo um convite para o mundo. A vida é atraída por aqueles olhos e vai por ali adentro em torrente, com o entusiasmo de um ribeiro.

Triódio da Quaresma na ortodoxia: celebrar com alegria

Triódio da Quaresma na ortodoxia: celebrar com alegria novidade

Na minha infância este tempo era lúgubre, como um véu de tristeza que tudo cobria, nos rostos dos fiéis, nas decorações, na exaltação do sofrimento. Nunca o compreendi nem me associei até que as amêndoas, doces e o início da primavera me salvavam. Na ortodoxia, a Páscoa celebra-se este ano no dia 16 de Abril de 2023.

Genocídio do povo Yanomami está a mobilizar instituições brasileiras

Igreja Católica solidária

Genocídio do povo Yanomami está a mobilizar instituições brasileiras novidade

O Brasil mobiliza-se para salvar o povo Yanomami e o seu território, abandonado pelos serviços do Estado e atacado pelos garimpeiros e os interesses que estão por detrás deles, nas últimas décadas. O ataque foi tão brutal que as novas autoridades de Brasília já falam em genocídio. O Supremo Tribunal de Justiça, o Presidente brasileiro, o Exército, e a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) são algumas das entidades que têm mobilizado esforços, nas últimas semanas, para acudir a uma situação que além de crise humanitária é considerada também “uma tragédia ambiental”.

“Por favor, digam ao Papa que só queremos paz!”

Francisco no Sudão do Sul

“Por favor, digam ao Papa que só queremos paz!” novidade

As ruas estão mais limpas que nunca, algumas foram alcatroadas, e a uma delas até lhe mudaram o nome: agora chama-se Rua Papa Francisco. A cidade de Juba está a postos para receber aquela que é a primeira viagem de um Pontífice ao mais jovem país do mundo, o Sudão do Sul, e entre os milhares que vão procurando um lugar para ver o Papa passar há um grande desejo comum: o de que esta visita contribua, definitivamente, para a paz.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This