Dezanove padres suspensos na Colômbia por suspeitas de participação em rede de abusadores

| 9 Abr 2021

Catedral de Bogotá, Colômbia

Catedral de Bogotá: o arcebispo da diocese da capital reconhecera em Março de 2019 que a Igreja conhecia mais de 100 casos de abusos sexuais no país. Foto © Luisalvaz/Wikimedia Commons

 

Dezanove padres colombianos suspeitos de terem cometido abusos sexuais e que teriam uma rede organizada entre a Colômbia, Itália e Estados Unidos foram suspensos do seu ministério. A decisão foi tomada na sequência de uma queixa apresentada por uma testemunha que agora está sob protecção judicial, segundo a emissora colombiana Rádio Caracol.

Quinze dos padres foram suspensos pelo arcebispo de Villavicencio e presidente da Conferência Episcopal, Óscar Urbina, uma decisão que terá sido tomada já a 16 de Março, mas só esta semana foi conhecida. Numa acção sem precedentes no país, como refere o jornal Kairos, outros quatro foram também suspensos em dioceses diferentes, mas todos integravam a rede.

Em comunicado, a diocese de Villavicencio fez saber que, a 14 de Fevereiro de 2020, um cidadão colombiano denunciou ao organismo competente a existência de factos “contra a moralidade sexual de alguns” clérigos da diocese, o que o arcebispo lamenta. A diocese colocou-se, entretanto, à disposição das autoridades enquanto decorre o processo canónico e o processo penal.

O homem que denunciou os factos está entretanto a ser acompanhado ao nível psico-espiritual, assegurando a diocese que a prioridade são as vítimas. Por seu lado, o arcebispo Urbina disse à Rádio Caracol que os padres suspensos representam 15% do clero da cidade. A eles foi aplicada a “tolerância zero para o abuso sexual por parte dos clérigos”, conforme as directrizes do Papa.

Ruben Salazar, arcebispo de Bogotá, a diocese da capital, reconhecera já em Março de 2019 que a Igreja tem conhecimento de mais de 100 casos de abusos sexuais na Colômbia, embora não tenha especificado as idades das vítimas nem o período em que foram cometidos.

A denúncia dos factos terá sido decidida pela vítima depois de ter lido o livro do jornalista Juan Pablo Barrientos, Dejad que los niños vengan a mí (“Deixai que as crianças venham até mim”), de 2019. Nele revelava vários casos presumidos de abuso por parte de vários padres.

De acordo com o El País, o jornalista recebeu entretanto 200 denúncias de novas vítimas e algumas delas já estarão a ser investigadas.

 

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

 

Evento "importantíssimo" para o país

Governo assume despesas da JMJ que Moedas recusou

A ministra Adjunta e dos Assuntos Parlamentares, Ana Catarina Mendes, chegou a acordo com o presidente da Câmara de Lisboa sobre as Jornadas Mundiais da Juventude, comprometendo-se a – tal como exigia agora Carlos Moedas – assumir mais despesa do evento do que aquela que estava inicialmente prevista, noticiou o Expresso esta quarta-feira, 3.

Multiplicar o número de leitores do 7MARGENS

Em 15 dias, 90 novos assinantes

Durante o mês de julho o 7MARGENS registou 90 novos leitores-assinantes, em resultado do nosso apelo para que cada leitor trouxesse outro assinante. Deste modo, a Newsletter diária passou a ser enviada a 2.863 pessoas. Estamos ainda muto longe de duplicar o número de assinantes e chegar aos 5.000, pelo que mantemos o apelo feito a 18 de julho: que cada leitor consiga trazer outro.

Parceria com Global Tree

JMJ promove plantação de árvores

A Fundação Jornada Mundial da Juventude Lisboa 2023 e a Global Tree Initiative estabeleceram uma parceria com o objectivo de levar os participantes e responsáveis da organização da jornada a plantar árvores. A iniciativa pretende ser uma forma de assinalar o Dia Mundial da Conservação da Natureza, que se assinala nesta quinta-feira, 28 de julho.

Judeus do Partido Trabalhista atacam política de Israel

Reino Unido

Judeus do Partido Trabalhista atacam política de Israel novidade

Glyn Secker, secretário da Jewish Voice For Labor – uma organização que reúne judeus membros do Partido Trabalhista ­–, lançou um violento ataque aos “judeus que colocam Israel no centro da sua identidade” e classificou o sionismo como “uma obscenidade” ao discursar no dia 10 diante de Downing Street, durante um protesto contra os ataques de Israel na faixa de Gaza.

Representante dos sobreviventes de Nagasaki solidário com a Ucrânia

Nos 77 anos do ataque atómico

Representante dos sobreviventes de Nagasaki solidário com a Ucrânia

“Apelo a todos os membros” do Parlamento japonês, “bem como aos membros dos conselhos municipais e provinciais” para que se “encontrem com os hibakusha (sobreviventes da bomba atómica), ouçam como eles sofreram, aprendam a verdade sobre o bombardeio atómico e transmitam o que aprenderem ao mundo”, escreve, numa carta lida nas cerimónias dos 77 anos do ataque atómico sobre Nagasaki, por um dos seus sobreviventes, Takashi Miyata.

Agenda

There are no upcoming events.

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This