Alarme em Moçambique

Dezenas de jovens raptados em Niassa e Cabo Delgado

| 6 Dez 2021

Oikos, Moçambique, Cabo Delgado, crianças

Os raptos de crianças e jovens continuam a causar preocupação no Norte de Moçambque. Foto © Oikos

 

Dois ataques, um na sexta-feira, 3 de Dezembro, na aldeia Nova Zambézia, distrito de Macomia, Cabo Delgado; e outro, no fim-de-semana anterior, na aldeia de Naulala, província de Niassa (extremo norte de Moçambique), estão a lançar o alarme entre a população.

No incidente mais recente, na madrugada da última sexta-feira, 3, terão sido queimadas cerca de 15 casas, mas não há, no entanto, registo de vítimas; no ataque anterior, no último fim-de-semana de Novembro, os terroristas terão raptado cerca de uma centena de jovens, além de que foram também saqueadas e incendiadas algumas habitações.

Ambas as ocorrências estão a gerar apreensão entre a população local, tanto mais que há o receio, cada vez mais insistente, de que os chamados insurgentes ou al-shabaab, como os grupos terroristas são conhecidos localmente, estarão a implantar-se já na província de Niassa, podendo inclusivamente ser uma ameaça para a cidade de Lichinga.

O ataque a Naulala veio reforçar os receios de que os terroristas estarão agora espalhados por uma vasta área em consequência da operação militar em curso em Cabo Delgado. Esta envolve não só as Forças de Segurança e Defesa de Moçambique, mas também do Ruanda e de países da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC).

Em Novembro, Manuel Nota, director da Cáritas em Pemba, a capital de Cabo Delgado, afirmava à Fundação AIS (Ajuda à Igreja que Sofre), que teria havido já em Setembro um ataque na zona de Meluco. Isso seria, acrescentava, um indicador de que os grupos armados continuavam activos.

“Os terroristas estão em debandada, como dizem, e já não têm nenhuma base, mas andam pelas matas em pequenos grupos… Há grupos que já incendiaram [casas] e houve mortos”, afirmou Nota à AIS.

Sobre o ataque em Setembro, o responsável da Cáritas não conseguiu identificar a aldeia visada pelos terroristas mas assegura que acompanhou toda a situação. “Queimaram uma aldeia na zona de Macomia, pois eu passei lá quando ia para Meluco e a aldeia estava toda queimada. Este ataque foi a 24 de Setembro”, disse ainda.

Posteriormente, a 13 de Novembro, terá ocorrido outro ataque. O padre Edegard Silva, actualmente na Paróquia de Nossa Senhora do Carmo, em Mieze, comentou: “São dois relatos muito tristes que demonstram que os insurgentes estão aí, que os terroristas estão aí. São relatos muito concretos.”

Estes ataques terroristas, que tiveram início em Outubro de 2017, terão já provocado a morte de 3 mil pessoas e mais de 800 mil deslocados.

A Fundação AIS tem, desde a primeira hora, procurado auxiliar a Igreja de Moçambique com acções de solidariedade para com as populações mais atingidas pela violência, nomeadamente através do apoio psicossocial aos deslocados, que se está a revelar essencial para as populações atingidas pela experiência traumática associada aos ataques.

 

Judeus do Partido Trabalhista atacam política de Israel

Reino Unido

Judeus do Partido Trabalhista atacam política de Israel novidade

Glyn Secker, secretário da Jewish Voice For Labor – uma organização que reúne judeus membros do Partido Trabalhista ­–, lançou um violento ataque aos “judeus que colocam Israel no centro da sua identidade” e classificou o sionismo como “uma obscenidade” ao discursar no dia 10 diante de Downing Street, durante um protesto contra os ataques de Israel na faixa de Gaza.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

 

Evento "importantíssimo" para o país

Governo assume despesas da JMJ que Moedas recusou

A ministra Adjunta e dos Assuntos Parlamentares, Ana Catarina Mendes, chegou a acordo com o presidente da Câmara de Lisboa sobre as Jornadas Mundiais da Juventude, comprometendo-se a – tal como exigia agora Carlos Moedas – assumir mais despesa do evento do que aquela que estava inicialmente prevista, noticiou o Expresso esta quarta-feira, 3.

Multiplicar o número de leitores do 7MARGENS

Em 15 dias, 90 novos assinantes

Durante o mês de julho o 7MARGENS registou 90 novos leitores-assinantes, em resultado do nosso apelo para que cada leitor trouxesse outro assinante. Deste modo, a Newsletter diária passou a ser enviada a 2.863 pessoas. Estamos ainda muto longe de duplicar o número de assinantes e chegar aos 5.000, pelo que mantemos o apelo feito a 18 de julho: que cada leitor consiga trazer outro.

Parceria com Global Tree

JMJ promove plantação de árvores

A Fundação Jornada Mundial da Juventude Lisboa 2023 e a Global Tree Initiative estabeleceram uma parceria com o objectivo de levar os participantes e responsáveis da organização da jornada a plantar árvores. A iniciativa pretende ser uma forma de assinalar o Dia Mundial da Conservação da Natureza, que se assinala nesta quinta-feira, 28 de julho.

Representante dos sobreviventes de Nagasaki solidário com a Ucrânia

Nos 77 anos do ataque atómico

Representante dos sobreviventes de Nagasaki solidário com a Ucrânia

“Apelo a todos os membros” do Parlamento japonês, “bem como aos membros dos conselhos municipais e provinciais” para que se “encontrem com os hibakusha (sobreviventes da bomba atómica), ouçam como eles sofreram, aprendam a verdade sobre o bombardeio atómico e transmitam o que aprenderem ao mundo”, escreve, numa carta lida nas cerimónias dos 77 anos do ataque atómico sobre Nagasaki, por um dos seus sobreviventes, Takashi Miyata.

Mar Egeu: dezenas de pessoas desaparecidas em naufrágio

Resgatadas 29 pessoas

Mar Egeu: dezenas de pessoas desaparecidas em naufrágio

Dezenas de pessoas estão desaparecidas depois de um barco ter naufragado no mar Egeu, na quarta-feira, ao largo da ilha grega de Cárpatos, divulgou a ACNUR. A embarcação afundou-se ao amanhecer, depois de da costa sul da vizinha Turquia, em direção a Itália. “Uma grande operação de busca e resgate está em curso.”

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This