Diálogos com Santo António em Coimbra, 800 anos depois da sua vocação franciscana

| 18 Jan 20

Antonio Lombardo, Uma Criança afirma a honestidade da sua mãe (1505). Escultura na Basílica de Santo António, de Pádua. Foto Giorgio Deganello/Archivio Messaggero di sant’Antonio.

 

Os 800 anos da vocação franciscana do então frade Fernando de Bulhões, dos padres de Santa Cruz, estão a ser assinalados em Coimbra. Neste domingo, 19 de Janeiro, inicia-se o ciclo Diálogos com António, promovidos pela revista Mensageiro de Santo António. Com o tema “A força da Palavra”, o debate de hoje terá a participação do poeta, crítico literário e ensaísta António Carlos Cortez, do investigador e tradutor da Bíblia José Carlos Carvalho e do frade franciscano José António Pereira, director da Editorial Franciscana, moderados por Juan Ambrosio e Secundino Correia.

A conversa inicia-se às 16h, na sala do capítulo do Mosteiro de Santa Cruz, em Coimbra. Uma hora antes, os interessados poderão participar numa visita guiada à exposição jubilar; às 18h, realiza-se um concerto de órgão na Igreja de Santa Cruz, onde também será celebrada a eucaristia meia hora depois.

O ciclo prossegue a 2 de Fevereiro, com uma conversa sobre o tema “Famílias como as nossas”, na qual intervêm Ghalia Taki, que faz parte da primeira família síria que, em 2014, chegou refugiada a Portugal e é hoje intérprete e mediadora do Serviço Jesuíta aos Refugiados; Nelson Nunes, escritor e jornalista; e Sara Belo Luís, jornalista da Visão. Sucedem-se, depois, diálogos sobre “A economia de Francisco” (1 de Março), “Europa, para onde vais?” (5 de Abril), “O dom frágil da vida” (3 de Maio) e “Santo António: o monge, o frade, o santo” (7 de Junho). O programa completo, com os intervenientes e as sínteses dos temas e intervenções, pode ser consultado na página do Jubileu 2020.

A vocação franciscana de frei Fernando, que depois adoptou o nome de António, está intimamente ligada à chegada dos restos mortais dos mártires franciscanos de Marrocos a Coimbra, cujas relíquias estão hoje no Mosteiro de Santa Cruz. Foi esse acontecimento que levou o monge de Santa Cruz a trocar a meditação e os livros pela itinerância franciscana.

O Jubileu 2020 iniciou-se solenemente no domingo passado, 12, e na quinta-feira, 16, decorreu em Coimbra um colóquio académico sobre o pensamento de Santo António. O jubileu é promovido pela diocese de Coimbra, através do Mosteiro de Santa Cruz e do Convento de Santo António dos Olivais (onde Santo António tomou o hábito franciscano), para actualizar aqueles dois factos que acabaram por moldar o santo que, a par de Francisco de Assis, é apontado como o mais conhecido em todo o mundo.

Artigos relacionados

Pin It on Pinterest

Share This