Diários de quarentena (13): Um “Va, pensiero” através da música, gravado em casa de cada um dos membros do coro

| 30 Mar 20

A música começa com os violinos e a flauta e só depois se junta a orquestra e, finalmente, todo o coro: Va, pensiero sull’ali dorate… “Vai, pensamento, nas asas douradas. Vai, pousa nas falésias, nas colinas… Do Jordão saúda a costa, de Sião…”

Desde a casa de cada um dos cantores e do próprio maestro, todos em quarentena, o “coro dos escravos hebreus”, da ópera Nabuco (1842), de Giuseppe Verdi, foi gravado pelo International Opera Choir. Montado em vídeo pelo maestro Paolo Annunziatto, a iniciativa teve o apoio da Cáritas da diocese de Roma e é dedicada aos agentes de saúde, autoridades, investigadores e a “todos os que combatem na linha da frente a emergência da doença do coronavírus-19”.

A peça celebra o regresso dos judeus à Palestina após o exílio na Babilónia, adquirindo agora um tom de lamento e proposta de beleza para os tempos de emergência que se vivem. A gravação foi obtida a partir da combinação dos vídeos de todos os membros do coro, a partir de uma faixa de orquestra pré-gravada, e colocada sob o lema “A música não se pára – Eu fico em casa”.

Vídeo sugerido por Manuel Pinto, professor da Universidade do Minho e membro da equipa editorial do 7MARGENS

[related_posts_by_tax format=”thumbnails” image_size=”medium” posts_per_page=”3″ title=”Artigos relacionados” exclude_terms=”49,193,194″]