Diários de quarentena (5): Dá-nos a esperança numa vida nova, uma oração cristã de José Mattoso

| 21 Mar 20

Meu Deus, que nos aconteceu?

Que aconteceu na China

e agora em todo o mundo?

Que significa este naufrágio

que atinge toda a humanidade?

Onde estás, meu Deus?

Para onde nos levas?

Invoco o nome

que teu Filho nos deu a conhecer.

Jesus ensinou-nos que és nosso Pai.

Ensinou-nos que és misericordioso

para com as crianças, os pobres, os fracos, os humildes, os oprimidos.

São eles que constroem o teu reino,

o reino que constantemente pedimos

quando nos dirigimos a Ti.

Sabemos que a morte está em todo o mundo e se multiplica vertiginosamente. Tudo nos fala dela, tudo nos lembra a nossa impotência. Os cuidados com a prevenção não podem esconder a nossa incapacidade. Somos minúsculos grãos de areia perdidos no universo sem limites.

Rezamos. Pedimos que tenhas piedade de nós e suplicamos-te que a morte não nos roube os nossos pais e avós, nem os nossos filhos, nem aqueles que amamos. Tem misericórdia de nós, Senhor.

Teu Filho, Jesus, mostrou-nos o seu rosto coroado de espinhos, as chagas no peito e os braços estendidos na cruz, como sinais do seu amor por nós. Recebe o sacrifício do teu Filho como sinal de que perdoas as nossas faltas. Recebe a aceitação do sofrimento que agora cai sobre nós e sobre os nossos próximos, como sinal da nossa adesão a Jesus Cristo, teu Filho, que ressuscitaste dos mortos. Atende, Senhor, a nossa súplica.

Dá-nos a esperança numa vida nova, como a que que teu Filho, Jesus, nos promete ao anunciar o teu Reino. Não sabemos como é o teu reino. Só sabemos que o nosso tempo, tão curto e tão efémero, é um tempo de mudança. Duvidamos ou queremos mudar tudo aquilo que os nossos pais nos ensinaram. Não sabemos para onde vamos.

Ensina-nos o que são os Direitos Humanos, o que é a verdadeira liberdade, o que é a fraternidade, o que é a paz, o que é a Natureza, o que é o Amor. Diz-nos por onde devemos começar. Orienta-nos na nossa caminhada. Acende alguma luz nas trevas que temos de atravessar.

José Mattoso é historiador, autor de Identificação de Um País e coordenador da História de Portugal

Artigos relacionados