Polónia

Diocese quer saber se vítima de abuso era homossexual e teve prazer na relação

| 16 Jan 2022

Foi na igreja de Sta Mª Madalena, Międzybrodzie Bialskie, Polónia, que alegadamente sucederam os abusos referidos. Foto © Petrus Silesius- Wikimedia Commons

 

A diocese polaca de Bielsko-Zywiec, no sul do país, solicitou ao tribunal que determine se um homem, vítima de abuso sexual quando era criança por um padre católico, é homossexual e se o contacto sexual lhe deu prazer.

Janusz Szymik, agora com 48 anos, era criança quando os abusos começaram na década de 1980. A vítima apresentou queixa contra a diocese de Bielsko-Zywiec em 2021, pedindo indemnização à diocese de três milhões de zlotys (cerca de 660 mil euros), noticiou o National Catholic Reporter, citando o portal Onet.

O padre, identificado como Jan W., já admitiu o abuso.

O advogado da diocese apresentou entretanto em tribunal um pedido para que seja verificada “a orientação sexual do queixoso”, determinando se este “mostrou satisfação em manter um relacionamento íntimo com Jan W. ou se resultou em qualquer beneficio material da relação sexual com o padre”.

Szymik manifestou a sua surpresa com esta mudança, recordando que o bispo Roman Pindel de Bielsko-Zywiec já tinha demonstrado compaixão para com o seu caso.

Este caso ocorre num momento em que o Papa Francisco procura limpar a Igreja Católica na Polónia, também ela envolvida em escândalos de abusos sexuais de menores e encobrimento de casos.

A Igreja Católica, recorda o NCR, foi durante muito tempo a mais alta autoridade moral da Polónia, desempenhando um papel inspirador durante a ocupação e domínio estrangeiro e apoiando o movimento democrático anticomunista na década de 1980. Os recentes casos de abuso têm prejudicado a sua credibilidade, afectando mesmo a imagem do católico polaco mais famoso, o Papa João Paulo II, cujo legado tem sido posto em causa pelo relativo fracasso no combate aos abusos, quando era Papa.

 

Os confins da fenomenologia

Emmanuel Falque na Universidade de Coimbra novidade

Reflectir sobre os confins da fenomenologia a partir do projecto filosófico de Emmanuel Falque é o propósito da Jornada Internacional de Estudos Filosóficos, “O im-pensável: Nos confins da fenomenalidade”, que decorrerá quinta-feira, dia 26 de Maio, na Universidade de Coimbra (FLUC – Sala Vítor Matos), das 14.00 às 19.00. O filósofo francês intervirá no encerramento da iniciativa.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

“A grande substituição”

[Os dias da semana]

“A grande substituição” novidade

Outras teorias da conspiração não têm um balanço igualmente inócuo para apresentar. Uma delas defende que estamos perante uma “grande substituição”; não ornitológica, mas humana. No Ocidente, sustentam, a raça branca, cristã, está a ser substituída por asiáticos, hispânicos, negros ou muçulmanos e judeus. A ideia é velha.

Humanizar não é isolar

Humanizar não é isolar novidade

É incontestável que as circunstâncias de vida das pessoas são as mais diversas e, em algumas situações, assumem contornos improváveis e, muitas vezes, indesejáveis. À medida que se instalam limitações resultantes ou não de envelhecimento, alguns têm de habitar residências sénior, lares de idosos, casas de repouso,…

Agenda

Fale connosco

Pin It on Pinterest

Share This