Direito ao lugar: primeiro debate dia 28 de abril

| 20 Abr 2021

carta aberta

Participantes no lançamento virtual da Carta Aberta. Foto: Direitos reservados.

Com a participação da arquiteta Helena Roseta e do geógrafo João Ferrão e moderação do jornalista Jorge Wemans realiza-se na próxima quarta-feira, 28 de abril, pelas 16h00, o primeiro debate sobre a Carta Aberta Pelo Direito ao Lugar. O debate terá transmissão no Youtube e pretende alargar e aprofundar a reflexão e a discussão sobre as questões levantadas na Carta elaborada por um coletivo de 42 organizações da sociedade civil.

 

O trabalho colaborativo que levou à redação daquele documento analisa “as razões que forçam as pessoas a prescindir de viver em lugares com que identificam, a que se sentem ligadas e a que sentem que pertencem” e propõe “um vasto conjunto de medidas que procura proteger o direito ao lugar e responder ao problema da perda de população residente nas zonas rurais e nos centros das grandes cidades.”  A Carta Aberta é “dirigida a diferentes instâncias de poder político (ao nível local e central e europeu) e aos media.”

Partindo da constatação de que “temos assistido a uma perda significativa da população residente em zonas rurais e nos centros das grandes cidades”, os autores do documento reivindicam o direito de todos ao lugar, ou seja, o direito a “habitar um espaço condigno, encontrar emprego ou outra forma de rendimento e ter acesso a serviços de interesse geral” sem ter de deixar o local onde sempre viveu. E, diferenciando as questões que estão na base do êxodo rural das que provocam a desertificação dos centros urbanos das grandes cidades, propõem um largo conjunto de medidas para cada uma daquelas situações.

O projeto nasceu em 2019 de” preocupações partilhadas pelo Graal e pela Fundação Gonçalo da Silveira” e “conta com a colaboração do parceiro norueguês Østfoldmuseene”. Foi cofinanciado pelo Programa Cidadãos Ativ@s. Mais de 600 subscritores tinham, até ontem, assinado o texto, entre os quais se contavam 70 organizações portuguesas. Para participar no debate de dia 28 de abril basta inscrever-se no endereço seguinte:

https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSfbBgXUNcxyLFxHWd-sJ7uQxn30XYaMTV9rwn5I2XqZVxVFxA/viewform

 

Quando os padres não abusadores são as vítimas colaterais dos abusos do clero

Encontro “Cuidar” em Lisboa

Quando os padres não abusadores são as vítimas colaterais dos abusos do clero novidade

“O que encontramos assusta-me: desilusão, depressão, crise existencial, perda de identidade, fim da relação entre presbíteros, perda de confiança na instituição e na hierarquia.” O diagnóstico cáustico é feito ao 7MARGENS pelo padre inglês Barry O’Sullivan, 61 anos, da diocese de Manchester, que estudou o impacto dos abusos sexuais entre os padres não abusadores.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

 

De 1 a 31 de Julho

Helpo promove oficina de voluntariado internacional

  Encerram nesta sexta-feira, 24 de Junho, as inscrições para a Oficina de Voluntariado Internacional da Helpo, que decorre entre 1 e 3 de Julho. A iniciativa é aberta a quem se pretenda candidatar ao Programa de Voluntariado da Organização Não Governamental para...

Luz e negrume

Luz e negrume novidade

As obras de Pedro Costa, cineasta, Rui Chafes, escultor, e Paulo Nozolino, fotógrafo, e de Simon Hantaï, artista plástico, estão expostas em Paris, respectivamente no Centre Georges Pompidou e na Fundação Louis Vitton. Um autor, identificado como Anonymous, estabelece com elas um diálogo em dois poemas traduzidos por João Paulo Costa, investigador na área de filosofia e autor de À sombra do invisível (Documenta, 2020).

Paróquia de Nossa Senhora da Hora: Ouvir os leigos na nomeação de padres e bispos

Contributos para o Sínodo (23)

Paróquia de Nossa Senhora da Hora: Ouvir os leigos na nomeação de padres e bispos novidade

Os leigos devem ser ouvidos nos processos de nomeação de párocos e de escolha dos bispos e a Igreja deve ter uma lógica de reparação da situação criada pelos abusos de menores. Evitar o clericalismo e converter os padres a uma Igreja minoritária, pobre, simples, dialogante, sinodal é outra das propostas do Conselho Paroquial de Pastoral da Paróquia de Nossa Senhora da Hora (Matosinhos).

Saúde mental dos jovens: a urgência de um novo paradigma

Saúde mental dos jovens: a urgência de um novo paradigma novidade

A saúde mental dos jovens tem-se vindo a tornar, aos poucos, num tema com particular relevância nas reflexões da sociedade hodierna, ainda que se verifique que estas possam, muitas das vezes, não resultar em concretizações visíveis e materializar em soluções para os problemas que afetam os membros desta mesma sociedade. A verdade é que, apesar de todos os esforços por parte dos profissionais de saúde e também das pessoas, toda a temática é, ainda, envolvida por uma “bolha de estigmas”, o que a transforma numa temática-tabu.

Agenda

There are no upcoming events.

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This