Bíblia da CEP

Divulgada nova tradução das Cartas de Tiago e Judas

| 2 Mai 2024

Bíblia, Carta de Judas, Novo testamento. Foto Clara Raimundo

A “chave para se perceber o alcance teológico da carta” reside na “reação do autor às doutrinas dos falsos mestres infiltrados”, referem os tradutores. Foto © Clara Raimundo/7MARGENS

 

A comissão que coordena a nova tradução da Bíblia da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) divulgou esta quarta-feira, 1 de maio, a sua proposta de texto para as Cartas de Tiago e Judas, concluindo assim a publicação das traduções relativas aos livros que compõem o Novo Testamento.

Nos próximos meses, será publicada a nova tradução do texto dos quatro Evangelhos, “já com as achegas dos leitores integradas”, adiantou o padre Mário de Sousa, coordenador da comissão e presidente da Associação Bíblica Portuguesa, à agência Ecclesia.

Essa nova versão foi já objeto de “uma revisão do texto que tinha sido publicado e que, tendo seguido os critérios orientadores de então (a maior literalidade possível), tinha um português um pouco duro. Sem perder essa literalidade, evitou-se, nesta revisão, cair em literalismos, apresentando um texto literariamente mais fluído”, acrescentou o responsável.

Quanto à Carta de Judas, agora divulgada, é um texto que tinha como destinatários “judeo-cristãos da diáspora” e a “chave para se perceber o alcance teológico da carta” reside na “reação do autor às doutrinas dos falsos mestres infiltrados”, referem os tradutores em nota de imprensa.

Já a Carta de Tiago apresenta um conteúdo teológico “eminentemente prático e, neste sentido, bastante exortativo, tendo como grande objetivo fundamentar e incentivar a vivência da fé”.

A tradução provisória deste e dos restantes textos bíblicos já divulgados anteriormente está disponível para download no site da Conferência Episcopal Portuguesa.

A Comissão Coordenadora da Tradução da Bíblia da CEP convida a comunidade a “envolver-se no processo de tradução e revisão deste documento e dispõe-se a acolher o contributo dos leitores, em ordem ao melhoramento da compreensibilidade do texto”.

Guerra e Paz: angústias e compromissos

Um ensaio

Guerra e Paz: angústias e compromissos novidade

Este é um escrito de um cristão angustiado e desorientado, e também com medo, porque acredita que uma guerra devastadora na Europa é de alta probabilidade. Quando se chega a este ponto, é porque a esperança é já pequena. Manda a consciência tentar fazer o possível por evitar a guerra e dar uma oportunidade à paz. — ensaio de Nuno Caiado

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This