Digitalizados pela Biblioteca Nacional de Israel

Documentos da Inquisição portuguesa disponíveis online

| 26 Jul 2022

inquisição portuguesa ilustração sem creditos

Detalhes dos julgamentos, incluindo datas, nomes dos padres que participaram e número de vítimas sentenciadas em cada um fazem parte dos documentos.

 

A Biblioteca Nacional de Israel vai disponibilizar em breve o acesso digital a documentos escritos em português e contendo informações detalhadas sobre julgamentos realizados pela Inquisição em Lisboa e Tomar que ocorreram há 500 anos, noticiou o National Catholic Reporter.

Os documentos, que poderão ser consultados no sítio da Biblioteca Nacional de Israel, incluem versões impressas de sermões pregados por dois padres no final dos julgamentos a que presidiram e um manuscrito encadernado do século XVIII de 60 páginas que documenta os primeiros 130 anos de atividade do tribunal da Inquisição portuguesa. Os originais foram digitalizados pelo Arquivo Central para a História do Povo Judeu, de Jerusalém.

Escrito em português, o manuscrito contém informações sobre julgamentos e autos-de-fé conduzidos por inquisidores de 1540 a 1669 contra judeus recém-convertidos ao catolicismo, acusados ​​de continuar a praticar secretamente o judaísmo. Detalhes dos julgamentos, incluindo datas, nomes dos padres que participaram e número de vítimas sentenciadas em cada um fazem parte do documento.

De acordo com declarações da arquivista Pnina Younger ao National Catholic Reporter, os textos “foram escritos porque os inquisidores, ou alguém que participou nos julgamentos, sentiram a necessidade de manter um registo do trabalho da Inquisição como algo positivo” e o estudo da caligrafia permite concluir que “todos os resumos foram escritos pela mesma pessoa”.

Mas mais tarde os textos foram reunidos e encadernados num só volume (já no século XVIII) como “um memorial à crueldade daqueles julgamentos”, cujo título é Esses atos de fé hipócritas, praticados sem piedade, eram obra do velho clero, apenas para tornar as pessoas miseráveis.

 

Há uma “nova vaga de terror contra os cristãos” no Paquistão

Ataques sucedem-se

Há uma “nova vaga de terror contra os cristãos” no Paquistão novidade

O recente ataque a um cristão falsamente acusado de ter queimado páginas do Corão, por uma multidão muçulmana enfurecida, no Paquistão, desencadeou “uma nova vaga de terror” contra a minoria religiosa no país. Depois deste incidente, que aconteceu no passado sábado, 25 de maio, já foram registados outros dois ataques devido a alegados atos de “blasfémia” por parte de cristãos.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

A memória presente em pequenas tábuas

Museu Abade de Baçal

A memória presente em pequenas tábuas novidade

“Segundo uma Promessa” é o título da exposição inaugurada a 18 de maio no Museu Abade de Baçal, em Bragança, e composta por uma centena de pequenos ex-votos, registados em tábuas, que descrevem o autor e o recetor de vários milagres, ao longo dos séculos XVIII e XIX. “O museu tem a obrigação de divulgar e de mostrar ao público algum do património que está disperso pela diocese de Bragança-Miranda”, disse ao 7MONTES Jorge Costa, diretor do museu.

A cor do racismo

A cor do racismo novidade

O que espero de todos é que nos tornemos cada vez mais gente de bem. O que espero dos que tolamente se afirmam como “portugueses de bem” é que se deem conta do ridículo e da pobreza de espírito que ostentam. E que não se armem em cristãos, porque o Cristianismo está nas antípodas das ideias perigosas que propõem.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This