Dois projetos portugueses finalistas em concurso de arquitetura religiosa

| 8 Mar 19 | Arquitetura e Design, Igreja Católica, Newsletter, Últimas

Presbitério e altar do recinto de oração do Santuário de Fátima. Foto © Fernando Guerra

São portugueses dois dos cinco projetos finalistas do prémio instituído pela ArchDaily, uma das páginas mais visitadas na internet no domínio da arquitetura. As capelas Imaculada e Cheia de Graça, do Seminário de Nossa Senhora da Conceição, em Braga, e o presbitério e altar do recinto de oração do Santuário de Fátima, concorrem na categoria de arquitetura religiosa.

No total eram 60 os projetos apurados para aceder à fase final, seis dos quais tinham sido edificados em Portugal. De todos, foram selecionados cinco finalistas que disputam agora a distinção. Os projetos portugueses estão em competição com uma capela na Eslovénia, um templo na Índia e um crematório na Bélgica.

Os vencedores são escolhidos pelo público numa votação online que decorre até às 17 horas do dia 11 de março.

Capela Imaculada. Foto © Nelson Garrido

As capelas bracarenses foram desenhadas pelo gabinete Cerejeira Fontes Arquitectos que, segundo o Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura, se focou “na recuperação da Capela Imaculada Conceição e do coro-alto, transformando-o num espaço reservado aos habitantes do Seminário – a Capela Cheia de Graça. O gabinete de arquitetura clarifica que se “aproveitou o pé direito total do espaço de intervenção e as paredes exteriores do mesmo” e deixou uma ‘pele’ de pedra, que se manifesta de forma escultórica em torno das capelas.

Já a obra em Fátima foi construída pelo gabinete Paula Santos Arquitetura, por ocasião do centenário das aparições e da visita do Papa Francisco, a 13 de maio de 2017. Segundo os projetistas, o desenho “permitiu também condições de mobilidade para deficientes à antiga basílica, o tratamento das colunatas existentes e o redesenho da escadaria de acesso a todas as estruturas religiosas”.

Artigos relacionados

Breves

Núncio que era criticado por vários bispos, deixa Lisboa por limite de idade

O Papa Francisco aceitou nesta quinta-feira, 4 de Julho, a renúncia ao cargo do núncio apostólico (representante diplomático) da Santa Sé em Portugal, Rino Passigato, por ter atingido o limite de idade determinado pelo direito canónico, de 75 anos. A sua acção era objecto de críticas de vários bispos, embora não assumidas publicamente.

Arcebispo da Beira lamenta que o Papa só visite Maputo

O arcebispo da Beira (Moçambique) lamenta que o Papa Francisco não visite, em Setembro, a zona directamente atingida pelo ciclone Idai, em Março: “Todos esperávamos que o Papa chegasse pelo menos à Beira. Teria sido um gesto de consolação para as pessoas e uma forma de chamar a atenção para as mudanças climáticas e para esta cidade, que está a tentar reerguer-se”, disse Cláudio Dalla Zuanna.

Boas notícias

É notícia 

Entre margens

Criança no centro? novidade

Há alguns anos atrás estive no Centro de Arte Moderna (Fundação Gulbenkian) ver uma exposição retrospetiva da obra de Ana Vidigal. Sem saber exatamente porque razão, detive-me por largos minutos em frente a este quadro: em colagem, uma criança sozinha no seu jardim; rodeando-a, dois círculos concêntricos e um enredado de elipses. Ana Vidigal chamou àquela pintura: O Pequeno Lorde.

Uma espiritualidade democrática radical

Não é nenhuma novidade dizer que o modelo de democracia que temos, identificado como democracia representativa e formal (de origem liberal-burguesa) está em crise. Disso, entre outras razões, têm-se aproveitado muito bem os partidos de extrema-direita. Mas não só eles. Surgem também críticas fortes desde a própria sociedade civil a este modelo.

Cultura e artes

Mãos cheias de ouro, um canudo e uma intensa criatividade

Na manhã de 7 de Julho, a UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura) inscreveu o Convento de Mafra, o santuário do Bom Jesus de Braga e o Museu Nacional Machado de Castro, em Coimbra, na sua lista de sítios de Património Mundial. Curta viagem escrita e alguns percursos falados, como forma de convite à viagem para conhecer ou redescobrir os três novos lugares portugueses do Património da Humanidade.

Uma exposição missionária itinerante, porque “parar é retroceder”

Um altar budista do Tibete; uma barquinha em chifres, de Angola; um calendário eterno dos aztecas; crucifixos de África ou da Índia; uma cuia da Amazónia; uma mamã africana e uma Sagrada Família, de Moçambique; uma placa com um excerto do Alcorão; e um nilavilakku , candelabro de mesa indiano – estas são algumas das peças que podem ser vistas até sábado, 19 de Junho, na Igreja de São Domingos, em Lisboa (junto ao Rossio).

Sete Partidas

A Páscoa em Moçambique, um ano antes do ciclone – e como renasce a esperança

Um padre que passou de refugiado a conselheiro geral pode ser a imagem da paixão e morte que atravessou a Beira e que mostra caminhos de Páscoa a abrir-se. Na região de Moçambique destruída há um mês pelo ciclone Idai, a onda de solidariedade está a ultrapassar todas as expectativas e a esperança está a ganhar, outra vez, os corações das populações arrasadas por esta catástrofe.

Visto e Ouvido

Igreja tem política de “tolerância zero” aos abusos sexuais, mas ainda está em “processo de purificação”

D. José Ornelas

Bispo de Setúbal

Agenda

Fale connosco