Domingo: um bem cultural a proteger, defendem Igrejas Católica e Protestante alemãs

| 3 Mar 21

campanha domingo sagrado alemanha

“O meu domingo é sagrado para mim”. Logotipo da campanha Aliança Pelo Domingo Livre, à qual aderiaram as Igrejas Católica e Evangélica alemãs.

 

Há 1700 anos, precisamente no dia 3 de março do ano 321, Constantino, imperador romano que acabara de se converter ao cristianismo, decretou a obrigação de fazer do domingo um dia de descanso.

As duas grandes Igrejas cristãs da Alemanha, a Católica e a Evangélica (protestante), numa declaração conjunta publicada segunda-feira, dia 1 de março, sublinham a importância de continuar a salvaguardar o domingo: “É uma interrupção do quotidiano, um tempo de encontro, um estímulo à vida em comunidade.” É um “bem cultural” importante que merece protecção.

A crise provocada pela pandemia veio mostrar quanta actividade e quanta vida o domingo possibilita, ao darmo-nos conta de tudo o que ao domingo deixámos de poder fazer: desde as celebrações litúrgicas com participação reduzida até ao cancelamento das visitas em família e aos jogos de futebol… Tudo isso é uma cultura impensável sem o domingo, reflectem os responsáveis das Igrejas.  O domingo, declaram, é uma manifestação de liberdade, da “liberdade de viver o tempo a seu ritmo”. Para todos, crentes ou não. Por isso se compreende que a defesa do domingo continue a unir as Igrejas e os sindicatos, os crentes e os artistas…

Para os cristãos, o domingo tem o significado extraordinário de ser o dia da ressurreição de Jesus Cristo, e a celebração dominical ocupa um lugar especial no domingo do cristão. O domingo está no centro da vida da Igreja: no ano 304, depois de o imperador ter proibido os cristãos de se reunirem ao domingo e terem consigo textos bíblicos ou construírem lugares de assembleia, um grupo de 49 cristãos foi surpreendido em Abitene (hoje Tunísia) a celebrar a eucaristia. Depois de presos, um deles, de nome Emérito, respondeu, sobre a razão de violarem a ordem imperial: “Não podemos viver sem o domingo.”

Por isso, as Igrejas continuam firmes na defesa do domingo, que em si está ancorado na constituição alemã (artigo 140º). Fazendo a devida excepção para os serviços essenciais, o domingo deve continuar a ser dia de descanso.

Na Alemanha, as lojas do comércio normal, os supermercados e centros comerciais continuam a não ter autorização para abrir ao domingo. Apenas alguns domingos por ano são concedidos a título de excepção (como é o caso de alguns domingos antes do Natal). E, contra as frequentes tentativas de alteração da legislação no sentido de generalizar a abertura do comércio aos domingos, têm estado não só as Igrejas como a grande maioria das organizações de trabalhadores.

Jorge Sampaio, um laico cristão

Jorge Sampaio, um laico cristão novidade

Já tudo, ou quase tudo, foi dito e escrito sobre a figura do Jorge Sampaio. Assinalando a sua morte, foram, por muitos e de múltiplas formas, sublinhadas as diversas facetas definidoras da sua personalidade nos mais diversos aspetos. Permitam-me a ousadia de voltar a este tema, para sublinhar um aspeto que não vi, falha minha porventura, sublinhado como considero ser merecido.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Escutar todos, com horizontes para lá das “fronteiras” da Igreja

Inquérito sobre o Sínodo

Escutar todos, com horizontes para lá das “fronteiras” da Igreja novidade

O Papa observava, no encontro sinodal com a sua diocese de Roma, no último sábado, 18, que escutar não é inquirir nem recolher opiniões. Mas nada impede que se consultem os cristãos sobre as “caraterísticas e âmbito” que “entendem dever ter a escuta que as igrejas diocesanas são chamadas a realizar, desde 17 de outubro próximo até ao fim de março-abril de 2022. Era esse o terceiro ponto da consulta feita pelo 7Margens, cujas respostas damos hoje a conhecer.

Nova estratégia de combate ao antissemitismo será apresentada em outubro

União Europeia

Nova estratégia de combate ao antissemitismo será apresentada em outubro novidade

A União Europeia (UE) deverá divulgar, no próximo mês de outubro, uma “nova estratégia de combate ao antissemitismo e promoção da vida judaica”. A iniciativa surge na sequência da disseminação do racismo antissemita em inúmeros países da Europa, associada a teorias da conspiração que culpabilizam os judeus pela propagação da covid-19, avançou esta quarta-feira, 22, o Jewish News.

Livrai-nos do Astérix, Senhor!

Livrai-nos do Astérix, Senhor! novidade

A malfadada filosofia do politicamente correcto já vai no ponto de apedrejar a cultura e diabolizar a memória. A liberdade do saber e do saber com prazer está cada vez mais ameaçada. Algumas escolas católicas do Canadá retiraram cerca de cinco mil títulos do seu acervo por considerarem que continham matéria ofensiva para com os povos indígenas.

Fale connosco

Pin It on Pinterest

Share This