É preciso mais na luta contra a pobreza, dizem Cáritas e bispos europeus

| 21 Nov 19

“Desemprego, condições económicas e laborais adversas, especialmente entre os mais jovens, estão a afetar milhões de famílias”, dizem a Cáritas Europa e a Comissão dos Episcopados da União Europeia (Comece), num apelo dirigido à Comissão Europeia, que deve fazer mais para combater a pobreza. A Comece e a Cáritas lembram que um em cada cinco cidadãos europeus vive agora numa situação de pobreza.

“Encorajamos as instituições europeias e os estados-membros a melhorar as suas políticas sociais para combater as causas estruturais da pobreza, promovendo um desenvolvimento humano integral”, diz o apelo, lançado a propósito do Dia Mundial dos Pobres, assinalado pela terceira vez no domingo passado, 17 de novembro. A iniciativa foi proposta pelo Papa Francisco em 2017 e tem levado à dinamização de várias ações de solidariedade.

O apelo refere que quase um quinto da população da UE vive atualmente “em pobreza ou em risco de pobreza”. Como refere o Crux, Cáritas e Comece pedem que cerca de 30% do Fundo Social Europeu, criado em 1957, seja utilizado para a inclusão social e para lutar contra a pobreza. “É inaceitável que as nossas sociedades atuais não apoiem adequadamente as crianças, que são o grupo em maior risco”, acrescenta o documento. “A União Europeia e os seus estados-membros devem promover formas sustentáveis e decentes de emprego, incluindo para trabalho em plataformas online. A longo prazo, é necessário repensar fundamentalmente o modelo social europeu.”

Artigos relacionados

Pin It on Pinterest

Share This