Educar para o silêncio

| 31 Mai 19

Para muitas pessoas o silêncio mete medo e é evitado a todo o custo. Mantermo-nos constantemente ocupados, na confusão e no barulho, evita que olhemos para dentro de nós e nos confrontemos com as nossas limitações e imperfeições, dúvidas e angústias, tristezas e medos. A sociedade frenética em que vivemos não ajuda em nada a desenvolver a capacidade de silenciar.

O silêncio pode ser desconfortável porque não nos permite distrair de nós próprios. Tem de haver uma aprendizagem do silêncio para que este não seja entendido como o vazio. Pelo contrário, o silêncio permite que escutemos a nossa voz interior, que conversemos com nós próprios. Para alguns, isso pode ser esmagador, ameaçador pois não conseguimos ainda lidar com os nossos diálogos internos. É por isso que muitas vezes preferimos iludir-nos, mantendo-nos permanentemente ocupados.

Como a agitação é contagiante, comunicamos às nossas crianças esse frenesim em que andamos e não as ajudamos a cultivar e experienciar a beleza do silêncio.

Em vez de inventarmos atividades para as mantermos constantemente ocupadas, porque não promovemos mais a cultura do silêncio? Um silêncio de qualidade que não signifique apenas estar calado (ou falar menos) mas, sobretudo, mantermo-nos mais atentos. As crianças são ótimas a utilizar a linguagem não-verbal para exprimir o que não conseguem dizer por palavras. Aproveitemos, então, esta característica para treinar com elas a cultura do silêncio. Se ficarmos agarrados a um ecrã não conseguimos estar atentos ao que nos rodeia, se formos para o campo correr com auscultadores nos ouvidos, não conseguimos ouvir a natureza.

A investigação tem mostrado que o silêncio nos ajuda a regular as nossas emoções e a promover o desenvolvimento da inteligência emocional. Acreditem, é uma excelente maneira de deixar o pó do que é secundário assentar dentro de nós.

Que tal passarmos a dar ao nosso dia, nem que sejam 10 minutos de silêncio?

 

Helena Fonseca é médica pediatra especializada em Medicina do Adolescente 

helenaregalofonseca@gmail.com

Artigos relacionados

Pin It on Pinterest

Share This