Em busca da fraternidade mundial na Coreia do Sul

| 25 Jul 2023

Jamboree, Escutismo

O último Jamboree, realizado na Reserva Nacional Escutista da Família Bechtel, na West Virginia (EUA), em 2019. Foto @ Joana Bacelar Virgy.

 

Na semana em que milhares de jovens se juntam em Lisboa para a JMJ, outros milhares de todo o mundo rumam à Coreia do Sul, para participar no 25º Jamboree Mundial, o acampamento mundial de escuteiros, que terá lugar entre os dias 1 a 12 de agosto.

Há quase duas décadas entrei neste movimento que mudou a minha vida. Aprendi a ser mais responsável, solidária, criativa e aventureira. Fiz amigos para a vida e descobri que faço parte de uma fraternidade mundial que reúne mais de 50 milhões de jovens que partilham os mesmos valores e ideais que eu.

A fraternidade mundial escutista é algo que não só se sente, como também pode ser vivida na prática. Uma das formas de o fazer é participar em atividades internacionais, conhecendo e convivendo com escuteiros de diferentes países e culturas, trocando experiências e aprendizagens, e desenvolvendo uma consciência de cidadania global. Todas as experiências internacionais escutistas que tive (Malta, França, Filipinas, Bélgica, Brasil, Islândia, Suíça, Reino Unido, etc.) foram incríveis, marcaram-me profundamente e fizeram-me acreditar que esta fraternidade mundial é real e que vale a pela ser vivida.

O nosso fundador, Baden-Powell, idealizou esta que é a grande atividade de referência escutista internacional, e levou-a a cabo pela primeira vez há mais de 100 anos, em Londres, em 1920. Nesta mesma atividade, o fundador debruçou-se sobre as diferenças entre os povos do mundo e a impotência da tolerância mútua, da simpatia, da harmonia e do respeito entre os mesmos. O discurso não poderia ser mais atual, já que, hoje-em-dia, faria tanto ou mais sentido apelar, como apelou, ao espírito mundial da irmandade escutista, que, em conjunto, pode contribuir decisivamente para a paz e para a felicidade dos povos.

Este acampamento internacional reúne milhares de escuteiros de todo o mundo, a cada quatro anos, num país anfitrião. É uma oportunidade única de viver o escutismo em toda a sua plenitude, com toda a sua diversidade e riqueza. É uma ocasião para celebrar a fraternidade mundial, para mostrar o nosso compromisso com a paz, a solidariedade e o desenvolvimento sustentável, e para desfrutar de diversas atividades educativas e lúdicas.

Jamboree, Escutismo

Portugueses no último Jamboree, realizado na Reserva Nacional Escutista da Família Bechtel, na West Virginia (EUA), em 2019: na Coreia do Sul participam 700 escuteiros de Portugal. Foto @ Joana Bacelar Virgy.

 

Neste Jamboree na Coreia do Sul, sob o tema Draw Your Dream (“Desenha o Teu Sonho”), os participantes irão conhecer a realidade e a cultura coreana, bem como interagir com escuteiros de cerca de 200 países e territórios. Irão sentir-se parte de uma família global que partilha os mesmos ideais e valores, que respeita as diferenças e que celebra a diversidade, que coopera para o bem comum e que sonha com um mundo melhor.

Para além das inúmeras atividades fantásticas preparadas, os participantes viverão também uma experiência de espiritualidade escutista, que é um dos pilares do movimento. Vão poder viver a sua fé com outros escuteiros da sua religião, mas também conhecer outras expressões religiosas e espirituais, rezando em conjunto, mas também em silêncio e em períodos de reflexão. Vão, acima de tudo, poder celebrar a vida com outros escuteiros, comprometendo-se em conjunto com a justiça e a paz.

O Jamboree irá marcar para sempre cada um dos seus mais de 30 mil participantes, que abrirão os olhos e o coração à riqueza que a diversidade traz ao mundo, com a troca de experiências e aprendizagens e, sobretudo, com as pequenas ações e gestos que têm um enorme impacto na construção de um mundo melhor.

Serão mais de 700 os participantes portugueses que terão esta experiência este ano, mas sobre quantas vidas irão os mesmos ter impacto no seu regresso? Como servirão o próximo, as suas comunidades e o mundo? Certamente que desenvolverão valores importantíssimos como o respeito, a amizade e a cidadania global, e o seu papel enquanto líderes na construção de um mundo mais justo e sustentável contribuirá para o fortalecimento e a promoção da paz, compreensão mútua e cooperação internacional.

 

Joana Bacelar Virgy é chefe do Departamento Nacional dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, do Corpo Nacional de Escutas, e gestora de Programas Internacionais na Fundação Hult Prize.

 

Judeus da Europa “mais angustiados que nunca” face ao aumento do antissemitismo

Estudo revela

Judeus da Europa “mais angustiados que nunca” face ao aumento do antissemitismo novidade

O mais recente relatório da Agência da União Europeia para os Direitos Fundamentais (FRA) não deixa margem para dúvidas: o antissemitismo cresceu nos últimos cinco anos e disparou para níveis sem precedentes desde o passado mês de outubro, o que faz com que os judeus a residir na Europa temam pela sua segurança e se sintam muitas vezes obrigados a esconder a sua identidade judaica.

Fundadora da Comunidade Loyola castigada pelo Vaticano é ministra da comunhão em Braga

Decreto de extinção a marcar passo?

Fundadora da Comunidade Loyola castigada pelo Vaticano é ministra da comunhão em Braga novidade

A pouco mais de três meses de se completar um ano, prazo dado pelo Vaticano para extinguir a Comunidade Loyola, um instituto de religiosas fundado por Ivanka Hosta e pelo padre Marko Rupnik, aparentemente tudo continua como no início, com as casas a funcionar normalmente. No caso da comunidade de Braga, para onde Ivanka foi ‘desterrada’ em meados de 2023, por abusos de poder e espirituais, a “irmã” tem mesmo estado a desenvolver trabalho numa paróquia urbana, incluindo como ministra extraordinária da comunhão, com a aparente cobertura da diocese.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Sobreviventes de abusos acusam bispos de os “revitimizar” no processo de compensações financeiras

Contra a obrigação de repetir denúncias

Sobreviventes de abusos acusam bispos de os “revitimizar” no processo de compensações financeiras novidade

Vários sobreviventes de abusos sexuais no seio da Igreja Católica expressaram, junto da presidência da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP), o seu descontentamento quanto ao “método a utilizar para realizar as compensações financeiras”, dado que este obriga todas as vítimas que pretendam obtê-las a repetirem a denúncia que já haviam feito anteriormente.

Cuidar do outro com humanidade

Cuidar do outro com humanidade novidade

A geração nascida em meados do século passado foi ensinada a respeitar os mais velhos, a escutá-los e seguir os seus ensinamentos, dada a sua condição de anciãos e, por tal, sabedores daquilo que é melhor para a família, para cada comunidade e para a sociedade em geral. Era assim que se preparavam as novas gerações para aprenderem a respeitar o outro, os seus pais, irmãos e avós, cuidando deles e uns dos outros, desde a nascença até à morte. [Texto de Caseiro Marques]

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This