Precisamos de nos ouvir (9) – Sara Jona Laísse: Em tudo, os nossos rituais…

| 19 Fev 21

(…apenas para minimizar a dor, porque Charles Darwin tinha razão)
Istambul, Amor, festa, Margarida Paulino

“Após a devastação nas nossas vidas, devemos ser purificados, exorcizar a dor e retomar a vida.” Foto: Istambul, Fevereiro 2015. © Margarida Gonçalves Paulino.

 

Apetece-me sair pelas ruas e gritar: usem máscaras, a uns; sejam mais humanos, às entidades patronais que ignoram as normas impostas contra a covid-19; sejam gente, a todos os que se aproveitam de regras impostas, para não cumprirem com o que devem, nos seus locais de trabalho; chega de mortes, ao universo, que continua a conspirar em nosso desfavor.

Escrevi, neste jornal, em tempos, textos nos quais designava a covid-19 de pfùkwá; momomo (bicho papão), xitukulo mukumba, zuzu, cão tinhoso, por nos deixar com medo de viver e por nos atormentar a vida. Hoje vejo-a como um xipoco (fantasma) ou a treva, no fim da qual os sobreviventes terão que exorcizar os seus males. Cruzes!!!

Na minha cultura, após a morte de alguém, no oitavo dia é realizado o “ritual do mapete”. São utilizadas folhas e água para purificar o ambiente da família chegada do finado, especialmente de quem tenha cuidado e velado o corpo. Depois disso, é preparada uma massa à base de farinha de milho, misturada com carnes de galinha – tem de ser carne de um macho e de uma fêmea – que deve ser comida, por todos, no local do acontecimento. Para a restante família, a que não tenha participado, é levado um bocado de massa que lhes é servida mais tarde.

Caso a massa esteja ainda fresca, os ausentes no evento, devem comer um bocadinho que seja e dizerem a quem lha tiver levado (que é quem presenciou o ritual): himamane ou seja, entendi/recebo e aceito a purificação. Caso a massa já não esteja fresca, é colocada num lenço e os seus familiares devem tocá-la e dizerem a mesma coisa a quem tiver trazido o lenço, himamane. Outros casos há em que, não estando toda a família em casa, a massa é esfregada nas portas da casa ou numa das árvores, com intuito de que a sua atmosfera conserve a purificação, que será feita a quem entrar pela casa à dentro.

Para além de casos de purificação por morte, também os regressados, combatentes de guerras ou presos regressados de prisões devem ser purificados, para o recomeço de uma vida nova. Quando alguém tem maus sonhos, nos dias a seguir ao facto, pode, se o sonho for muito incómodo, limpar a negatividade da casa, colocando sal à volta desta. O mesmo sucede se alguém vir um xipoco ou tiver um presságio. Deve purificar a casa. A purificação é um ritual sempre presente na minha tradição.

A ideia que quero deixar é a de que após a devastação nas nossas vidas, devemos ser purificados, exorcizar a dor e retomar a vida. É o que julgo tenham que fazer os que sobreviverem à covid-19. Após tanta coisa inadequada e desumana, será necessário um ritual de purificação.

Inquieta-me que a ciência não tenha progredido, cem anos depois de uma pandemia similar. Alegra-me que o povo moçambicano, do qual sou filha, sobreviva à custa de saberes milenares. Aprendi alguns. Sabe-se que nos nossos meios de transporte, as pessoas andam às cavalitas umas das outras, nas carrinhas de caixa aberta, os chamados my love. Muitas das pessoas que não se têm contaminado nos trajectos realizados desse jeito ou as que vivem em casinhas que nem ao diabo lembram, dadas as mínimas dimensões que têm, dizem que se valem do tratamento à base de vapor de água quente, à mistura com folhas de eucalipto e ao chá de folhas de goiabeira ou de limoeiro, que fazem e tomam todos os dias. Alegra-me a conservação desse saber e o poder curador e apaziguador que ele tem.

Afinal, qual é a definitiva explicação sobre as imunizações, nos países onde as vacinas já estão a ser administradas? Há vacinas para uns, não haverá ou tardarão para outros… algumas razões, entre as quais, os modos de conservação. Além disso, que temperaturas abaixo do zero existem em grande parte do continente africano? Seremos, mais uma vez, sujeitos a não sobreviver, porque lutámos pela independência política e por aí parámos e investimos pouco na formação das pessoas… ou teremos mesmo de nos fazer valer do eucalipto e das folhas da goiabeira e de limoeiro, quando alguns de nós vivem acumulando riqueza apenas para benefício próprio? Irá sobrar-nos a “lei da selecção natural das espécies”… afinal Darwin tinha razão…

As únicas dúvidas que não tenho são as de que os nossos heróis, o pessoal dos serviços de saúde, precisará de um ritual de purificação e os restantes sobreviventes, do “ritual do mapete”. No final disto, a política de distribuição de renda básica dos seres humanos sobreviventes deverá ser refeita…. É urgente que a coisa mais importante na qual investir no mundo seja a formação. E que não faltem rituais de partilha de saberes ou de quadros, porque as pandemias e os vírus não fazem escolha de classe, numa sociedade na qual todos precisamos de todos. A dor da falta de um abraço tem-no provado, há cerca de um ano…

Lago Tiberíades, Israel. Purificação dos Pés. António José Paulino

“Que não faltem rituais…”. Foto: Lago Tiberíades, Israel. © António José Paulino.

 

Sara Jona Laisse é docente de Cultura Moçambicana na Universidade Politécnica, em Maputo e participante do movimento Graal, em Moçambique. Contacto: saralaisse@yahoo.com.br

 

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Crónica

Breves

Vida para lá da Terra? Respondem teólogos e astrónomos novidade

Ciência e Espiritualidade é o mote para um encontro organizado pela Faculdade de Teologia e pelo Departamento de Astronomia da Universidade de Genebra (Suíça). “O homem e o céu: do universo mítico ao universo científico” é o tema que procurará responder a perguntas como: O que é o universo? Vida, aqui e além? De onde vimos? Para que fim?

Seminário de Coimbra assinala Dia Internacional dos Monumentos e Sítios com direto na cúpula da igreja

Uma conversa em cima do andaime montado na cúpula da igreja do Seminário Maior de Coimbra irá juntar, no próximo dia 19 de abril, pelas 18h, o padre Nuno Santos, reitor da instituição, e Luís Aguiar Campos, coordenador do projeto de conservação e restauro do seminário. A iniciativa pretende assinalar o Dia Mundial dos Monumentos e Sítios (que se celebra domingo, 18) e será transmitida em direto no Facebook.

Vaticano saúda muçulmanos no Ramadão

O Conselho Pontifício para o Diálogo Inter-religioso, da Santa Sé, enviou uma mensagem aos muçulmanos de todo o mundo, por ocasião do início do Ramadão, convidando todos os crentes a serem “construtores e reparadores” da esperança.

China quer que clérigos tenham amor pelo Partido Comunista

Novo decreto governamental é “mais uma medida totalitária para limitar a liberdade religiosa”, acusa organização de direitos humanso. O decreto aplica-se a todas as religiões, ou seja, lamas budistas, clérigos cristãos, imãs muçulmanos e outros líderes religiosos.

Aumentar valor das prestações sociais, sugere Pedroso nos 25 anos do RSI

O valor das prestações sociais como o Rendimento Social de Inserção (RSI) deveria aumentar, pois já não responde às necessidades das pessoas mais vulneráveis. A ideia é defendida por Paulo Pedroso, que foi o principal responsável pela comissão que estudou o modelo de criação do então Rendimento Mínimo Garantido (RMN).

Inscreva-se aqui
e receba as nossas notícias

Boas notícias

É notícia

Quebra de receitas da principal Igreja financiadora do Vaticano

A Igreja Católica alemã, que é líder no contributo que dá habitualmente para as despesas da Santa Sé (juntamente com a dos EUA), teve “um verdadeiro colapso” nas receitas, em 2020, segundo dados divulgados pelo jornal Rheinische Post, citados por Il Messaggero.

Francisco corta 10% nos salários dos cardeais

O Papa Francisco emitiu um decreto determinando um corte de 10% nos salários dos cardeais, bem como a redução de pagamento a outros religiosos que trabalham na Santa Sé, com efeitos a partir de 1 de abril, divulgou o Vaticano esta quarta-feira, 24 de março. A medida, que não afeta os funcionários com salários mais reduzidos, visa salvar os empregos no Vaticano, apesar da forte redução das receitas da Santa Sé, devido à pandemia de covid-19.

Espanha: Consignações do IRS entregam 300 milhões à Igreja Católica

Os contribuintes espanhóis entregaram 301,07 milhões de euros à Igreja Católica ao preencherem a seu favor a opção de doarem 0,7% do seu IRPF (equivalente espanhol ao IRS português). Este valor, relativo aos rendimentos de 2019, supera em 16,6 milhões o montante do ano anterior e constitui um novo máximo histórico.

Entre margens

A viagem do vestido de casamento novidade

O cerne da questão das cerimónias de casamento, na minha sociedade, é o vestido de noiva. A existência do vestido de noiva é antecedida pelo anúncio do casamento, que traz felicidade a alguns familiares, tanto da noiva, quanto do noivo. Digo alguns, porque um casamento, para além da graça que carrega, reúne em torno de si muita agrura. Casar e ter filhos ainda é das coisas mais importantes na minha sociedade. Existe muito pouco deleite acima disso.

Dois quadros de Caravaggio novidade

Há dois episódios que recentemente recordámos na liturgia que continuam a deixar-nos cheios de perplexidade. Falo da tripla negação de Pedro e da incredulidade de Tomé. Afinal, somos nós mesmos que ali estamos representados, por muito que isso nos choque. E o certo é que, para que não haja dúvidas, as palavras que pontuam tais acontecimentos são claríssimas. Pedro recusa terminantemente a tentação, quando Jesus lhe anuncia que ele O vai renegar. E nós sentimo-nos aí retratados.

Europa: um Pacto Ecológico para inglês ver?

“O Pacto Ecológico Europeu é … uma nova estratégia de crescimento que visa transformar a UE numa sociedade equitativa e próspera, dotada de uma economia moderna, eficiente na utilização dos recursos e competitiva, que, em 2050, tenha zero emissões líquidas de gases com efeito de estufa e em que o crescimento económico esteja dissociado da utilização dos recursos.” (Pacto Ecológico)

Cultura e artes

A torrente musical de “Spem in Alium”, de Thomas Tallis

Uma “torrente musical verdadeiramente arrasadora”, de esperança pascal, diz o padre Arlindo Magalhães, comentador musical, padre da diocese do Porto e responsável da comunidade da Serra do Pilar (Gaia), a propósito da obra de Thomas Tallis Spem in Alium (algo que se pode traduzir como “esperança para lá de todas as ameaças”).

A Páscoa é sempre “pagã”

A Páscoa é sempre pagã / Porque nasce com a força da primavera / Entre as flores que nos cativam com promessas de frutos. / Porque cheira ao sol que brilha na chuva / E transforma a terra em páginas cultivadas / Donde nascem os grandes livros, os pensamentos / E as cidades que se firmam em pactos de paz.

50 Vozes para Daniel Faria

Daniel Faria o último grande poeta português do século XX, morreu há pouco mais de vinte anos. No sábado, dia 10, assinala-se o 50.º aniversário do seu nascimento. A Associação Casa Daniel assinala a efeméride com a iniciativa “50 Vozes para Daniel Faria” para evocar os poemas e a memória do poeta.

“Sequência da Páscoa: uma das mais belas histórias do mundo”

Sem poder ir ao cinema para poder falar de um novo filme que, entretanto, tivesse estreado, porque estamos em tempo de Páscoa e porque temos ainda viva diante dos olhos a profética peregrinação do Papa Francisco ao Iraque – que não pode ser esquecida, mas sempre lembrada e posta em prática – resolvi escrever (para mim, a primeira vez neste lugar) sobre um filme profundamente pascal e actual: Dos Homens e dos Deuses (é quase pecado não ter experimentado a comoção de vê-lo). E não fui o único a fazê-lo por estes dias.

Sete Partidas

O regresso à escola má novidade

Custa-me imenso falar de educação. A sério. Dói-me. Magoa fundo. O mal que temos tratado a educação escolar nas últimas décadas. Colectivamente. Geração após geração. Incomoda-me a forma como é delegada para planos secundários perante a suposta urgência de temas tão mais mediáticos e populares. Quando nada me parece mais urgente.

Aquele que habita os céus sorri

Agenda

Parceiros

Fale connosco

Pin It on Pinterest

Share This