Emissões zero, água e emissões limpas – escolher “o que conta”, pede o Papa Francisco

| 12 Out 20

O Papa Francisco, num dos momentos da sua intervenção por vídeo na conferência Countdown TED. Foto captada do vídeo no canal YouTube.

 

É necessário escolher “entre o que conta e o que não conta”, em relação ao problema das alterações climáticas, disse o Papa Francisco, numa mensagem vídeo à iniciativa global “Countdown” TED, na qual personalidades de todos os quadrantes tentam sensibilizar para as consequências daquele problema.

Na sua intervenção, o Papa destaca que deve ser feita uma “escolha entre continuar a ignorar o sofrimento dos mais pobres e maltratar a nossa casa comum, a Terra, ou comprometermo-nos a todos os níveis a transformar a nossa forma de agir”.

Citado pela revista espanhola Vida Nueva, o Papa destacou o papel de cada pessoa para enfrentar a crise ecológica antes que seja demasiado tarde e acrescentou que o actual sistema económico é “insustentável”. “Estamos perante o imperativo moral, e a urgência prática, de repensar muitas coisas: como produzimos, como consumimos, pensando na nossa cultura do desperdício, a visão de curto prazo, a exploração dos pobres, a indiferença para com eles, o aumento das desigualdades e a dependência de fontes de energia nocivas.”

Francisco apelou ainda a um compromisso que permita “construir, na próxima década, um mundo em que as necessidades das gerações presentes, incluindo todas, possam ser satisfeitas sem comprometer as possibilidades das gerações futuras”.

Para isso, propôs que cada pessoa “pode dar um contributo significativo”, seja como indivíduos ou membros de grupos – famílias, comunidades religiosas, empresas, associações, instituições: educação no cuidado da casa comum; compreensão de que os problemas ambientais estão ligados às necessidades humanas; e educação baseada em dados científicos e uma abordagem ética.

Também o acesso à água limpa como “um direito humano essencial e universal” é importante. “É essencial, porque determina a sobrevivência das pessoas e é, portanto, uma condição para o exercício de todos os outros direitos e responsabilidades”, afirmou. Para acrescentar: “Garantir uma alimentação adequada para todos através de métodos agrícolas não destrutivos deve tornar-se o objectivo fundamental de todo o ciclo de produção e distribuição de alimentos.”

A sua terceira proposta é “uma substituição progressiva, mas sem demora, dos combustíveis fósseis por fontes de energia limpa”. Temos apenas alguns anos (menos de 30, segundo os cientistas) para reduzir drasticamente as emissões de gases com efeito de estufa para a atmosfera. “Esta transição deve não só ser rápida e capaz de satisfazer as necessidades energéticas presentes e futuras, mas também estar atenta aos efeitos sobre os pobres, as populações locais e os que trabalham nos sectores de produção de energia”, afirmou o Papa, que insistiu na ideia de que a Terra “deve ser trabalhada e cuidada, cultivada e protegida” e que “não podemos continuar a espremê-la como uma laranja”.

Esta iniciativa, explica a Ecclesia, pretende “acelerar soluções” para as alterações climáticas, e teve a participação de mais de 50 oradores – activistas, líderes religiosos e políticos, artistas, cientistas e empresários.

“Gostaria de convidar-vos a fazer uma viagem juntos. Uma jornada de transformação e ação. Não tanto por palavras, mas sobretudo por ações concretas e urgentes”, pediu o Papa, recordando o seu conceito de “ecologia integral” fixado na encíclica Laudato Si’, de 2015.

(A intervenção integral do Papa pode ser vista a seguir, em italiano, com legendas em inglês)

 

Jorge Sampaio, um laico cristão

Jorge Sampaio, um laico cristão novidade

Já tudo, ou quase tudo, foi dito e escrito sobre a figura do Jorge Sampaio. Assinalando a sua morte, foram, por muitos e de múltiplas formas, sublinhadas as diversas facetas definidoras da sua personalidade nos mais diversos aspetos. Permitam-me a ousadia de voltar a este tema, para sublinhar um aspeto que não vi, falha minha porventura, sublinhado como considero ser merecido.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Escutar todos, com horizontes para lá das “fronteiras” da Igreja

Inquérito sobre o Sínodo

Escutar todos, com horizontes para lá das “fronteiras” da Igreja novidade

O Papa observava, no encontro sinodal com a sua diocese de Roma, no último sábado, 18, que escutar não é inquirir nem recolher opiniões. Mas nada impede que se consultem os cristãos sobre as “caraterísticas e âmbito” que “entendem dever ter a escuta que as igrejas diocesanas são chamadas a realizar, desde 17 de outubro próximo até ao fim de março-abril de 2022. Era esse o terceiro ponto da consulta feita pelo 7Margens, cujas respostas damos hoje a conhecer.

Nova estratégia de combate ao antissemitismo será apresentada em outubro

União Europeia

Nova estratégia de combate ao antissemitismo será apresentada em outubro novidade

A União Europeia (UE) deverá divulgar, no próximo mês de outubro, uma “nova estratégia de combate ao antissemitismo e promoção da vida judaica”. A iniciativa surge na sequência da disseminação do racismo antissemita em inúmeros países da Europa, associada a teorias da conspiração que culpabilizam os judeus pela propagação da covid-19, avançou esta quarta-feira, 22, o Jewish News.

Livrai-nos do Astérix, Senhor!

Livrai-nos do Astérix, Senhor! novidade

A malfadada filosofia do politicamente correcto já vai no ponto de apedrejar a cultura e diabolizar a memória. A liberdade do saber e do saber com prazer está cada vez mais ameaçada. Algumas escolas católicas do Canadá retiraram cerca de cinco mil títulos do seu acervo por considerarem que continham matéria ofensiva para com os povos indígenas.

Fale connosco

Pin It on Pinterest

Share This