Empresa corticeira acusada de assédio e maus tratos a trabalhadora

| 8 Mar 21

Há crime de maus tratos no modo como a corticeira Fernando Couto tratou a sua trabalhadora Cristina Tavares, diz o Ministério Público. Foto © Arquivo 7Margens.

 

O Ministério Público entende que há crime de maus tratos no modo como a empresa corticeira Fernando Couto, de Santa Maria da Feira, tratou uma sua trabalhadora e deduziu acusação não só da empresa como também de quatro dos seus responsáveis, na sequência de denúncia formal apresentada no tribunal pelo Sindicato dos Operários Corticeiros do Norte.

O caso teve forte eco público nos últimos anos, depois de a empresa ter tentado aproveitar uma situação de baixa médica prolongada para despedir a trabalhadora Cristina Tavares, invocando a extinção do posto de trabalho. Na sequência da queixa, a trabalhadora foi reintegrada, mas colocada a executar tarefas em condições consideradas vexatórias. Um segundo processo com vista a despedimento que a acusava de denegrir gravemente a imagem da entidade patronal, com declarações feitas aos media, acabou por não avançar, na sequência de um acordo entre a empresa e a trabalhadora que permitiu a esta retomar o trabalho e a ser indemnizada.

O processo por danos morais avançou, entretanto, até que o Ministério Público decidiu, agora, avançar com a acusação. Os termos em que o fez, que são citados pelo Jornal de Notícias, são incisivos: “Tarefas desumanas”, “trabalhos excessivos” e um plano elaborado “com o propósito concretizado de castigar a ofendida, criando-lhe um ambiente hostil, intimidatório, humilhante e degradante, rebaixando-a e atentando contra a sua honra, descriminando-a dos demais funcionários fabris”.

A dirigente da CGTP Fátima Messias comenta este processo, em declarações ao JN, sublinhando que “esta acusação de crime de maus-tratos é ímpar no nosso país contra o assédio e contra a violência”. “É uma causa de todo o movimento sindical e é necessário fazer uma revisão laboral contra o assédio”, acrescenta.

 

Jorge Sampaio, um laico cristão

Jorge Sampaio, um laico cristão novidade

Já tudo, ou quase tudo, foi dito e escrito sobre a figura do Jorge Sampaio. Assinalando a sua morte, foram, por muitos e de múltiplas formas, sublinhadas as diversas facetas definidoras da sua personalidade nos mais diversos aspetos. Permitam-me a ousadia de voltar a este tema, para sublinhar um aspeto que não vi, falha minha porventura, sublinhado como considero ser merecido.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Escutar todos, com horizontes para lá das “fronteiras” da Igreja

Inquérito sobre o Sínodo

Escutar todos, com horizontes para lá das “fronteiras” da Igreja novidade

O Papa observava, no encontro sinodal com a sua diocese de Roma, no último sábado, 18, que escutar não é inquirir nem recolher opiniões. Mas nada impede que se consultem os cristãos sobre as “caraterísticas e âmbito” que “entendem dever ter a escuta que as igrejas diocesanas são chamadas a realizar, desde 17 de outubro próximo até ao fim de março-abril de 2022. Era esse o terceiro ponto da consulta feita pelo 7Margens, cujas respostas damos hoje a conhecer.

Nova estratégia de combate ao antissemitismo será apresentada em outubro

União Europeia

Nova estratégia de combate ao antissemitismo será apresentada em outubro novidade

A União Europeia (UE) deverá divulgar, no próximo mês de outubro, uma “nova estratégia de combate ao antissemitismo e promoção da vida judaica”. A iniciativa surge na sequência da disseminação do racismo antissemita em inúmeros países da Europa, associada a teorias da conspiração que culpabilizam os judeus pela propagação da covid-19, avançou esta quarta-feira, 22, o Jewish News.

Livrai-nos do Astérix, Senhor!

Livrai-nos do Astérix, Senhor! novidade

A malfadada filosofia do politicamente correcto já vai no ponto de apedrejar a cultura e diabolizar a memória. A liberdade do saber e do saber com prazer está cada vez mais ameaçada. Algumas escolas católicas do Canadá retiraram cerca de cinco mil títulos do seu acervo por considerarem que continham matéria ofensiva para com os povos indígenas.

Fale connosco

Pin It on Pinterest

Share This