Encontro Cristão em Sintra junta centenas de crentes de 40 diferentes denominações

| 1 Fev 20

Jovens num “peddy-paper” d’A Ponte, uma das organizações que também participa no Encontro deste sábado, em Sintra. Foto © A Ponte

 

Líderes de diferentes comunidades cristãs participam na noite deste sábado, 1 de Fevereiro, a partir das 20h45, no X Encontro Cristão, uma iniciativa promovida por crentes de diversas denominações cristãs e que deve juntar perto de um milhar de pessoas de 40 igrejas e comunidades diferentes. A iniciativa, com o tema “Vive o Bem!”, decorre no Centro Cultural Olga Cadaval, em Sintra e pretende afirmar-se “como uma manifestação de uma cultura de benevolência e de reciprocidade”.

“Vive o Bem!” remete para a frase que Chiara Lubich, fundadora do Movimento dos Focolares – um dos grupos animadores do encontro – fazia com frequência: “És Tu, Senhor o meu único Bem!”. “Partindo da nossa consciência comum de que Jesus Cristo é a fonte e a raiz do Bem, queremos implementar as atitudes a que o texto inspirador deste Encontro (Actos 27,18 – 28,10) nos convida: “jogar ao mar” a bagagem do nosso passado que nos impede de aproximar uns dos outros e de ser luz de Cristo para o mundo”, diz o texto de apresentação do encontro.

Os organizadores esperam reunir cerca de 800 participantes, oriundos de 40 igrejas e comunidades diferentes – católicas, protestantes, evangélicas… – com a ideia de desenvolver “relações de reciprocidade baseadas na autenticidade do cristianismo, que permitem esbater diferenças e distâncias”.

O encontro da noite é precedido de nove oficinas que, a partir das 17h30, juntarão jovens a debater outros tantos temas. Cada um dos grupos será animado por um evangélico e um católico e o objectivo é aprofundar a experiência do Bem em várias dimensões humanas: o humor, as adversidades, a família, o desporto, a música, a política a ciência, o ecossistema e ser “omni-bem-sente”, serão os temas a debater.

Há dois anos, o Presidente da República esteve presente na oitava edição e lembrou: “Ninguém é feliz sozinho”. “Perto de cada um, numa dinâmica relacional forte, seremos, juntos, um povo realizado, porque mais de acordo com a proposta cristã de fraternidade universal”, acrescenta o documento citado.

Viver o Bem implica “cultivar um terreno de benevolência” e em “semear acolhimento, delicadeza, generosidade, ternura, solicitude, proximidade, inclusão, partilha e tantos sentimentos positivos que, tendo como fonte Deus”, devem ser partilhados com todas as pessoas de boa vontade, “na construção de uma cidadania fraterna”.

O encontro terá também como pano de fundo o testemunho do apóstolo Paulo quando, naufragado em Malta, foi recebido com “invulgar humanidade”, como diz o relato do livro dos Actos dos Apóstolos.

Os cristãos precisam, por isso, “jogar ao mar” a bagagem do seu passado que os impede de se aproximar “uns dos outros e ser luz de Cristo para o mundo”, dizem os organizadores. “Apesar de todas as previsões negativas, não nos vamos ‘afogar ou ficar perdidos’ porque o fiel amor de Deus permanece para sempre e, alimentando-nos d’Ele ficamos fortalecidos; acolher, desenvolver e multiplicar as sementes de bem que Deus” semeou em cada pessoa, significa sintonizar “com o coração de Deus”. Esse é o testemunho de irmãos que dizem sentir da experiência deste encontro de dez anos.

Artigos relacionados