Educação Cristã

Encontro de Catequese debate instituição do ministério do catequista

| 23 Fev 2024

Catequese na Paróquia de São José/Algueirão: o ministério de catequista estará no centro de debate. Foto © Paróquia de São José/Ecclesia.

 

Debater a instituição do ministério do catequista é um dos objetivos do Encontro Nacional de Catequese, que se realiza em Ferragudo (Lagoa, Algarve), entre 2 a 4 de abril sob o tema “Identidade e Ministério do Catequista: Desafios Pastorais”.

“Precisamos todos de fazer crescer e solidificar o edifício que é a Igreja de pedras vivas. É o tempo oportuno que hoje o Senhor nos oferece e convida a abraçar para que a alegria do Evangelho chegue a todos”, diz a irmã Arminda Faustino, coordenadora do Departamento de Catequese no Secretariado Nacional da Educação Cristã (SNEC), citada na agência Ecclesia.

O encontro aprofundará temas como “A identidade do catequista no Diretório e no hoje da Evangelização”; “o catequista instituído na liturgia e na vida da comunidade a partir do Ritual de Instituição de Catequistas” ou a “instituição do ministério”.

 

Catarina Pazes: “Sem cuidados paliativos, não há futuro para o SNS”

Entrevista à presidente da Associação Portuguesa

Catarina Pazes: “Sem cuidados paliativos, não há futuro para o SNS” novidade

“Se não prepararmos melhor o nosso Serviço Nacional de Saúde do ponto de vista de cuidados paliativos, não há maneira de ter futuro no SNS”, pois estaremos a gastar “muitos recursos” sem “tratar bem os doentes”. Quem é o diz é Catarina Pazes, presidente da Associação Portuguesa de Cuidados Paliativos (APCP) que alerta ainda para a necessidade de formação de todos os profissionais de saúde nesta área e para a importância de haver mais cuidados de saúde pediátricos.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Bahá’ís plantam árvores em Lisboa, para que a liberdade religiosa floresça em todo o mundo

Em memória das "dez mulheres de Shiraz"

Bahá’ís plantam árvores em Lisboa, para que a liberdade religiosa floresça em todo o mundo

Quem passar pela pequena zona ajardinada junto ao Centro Nacional Bahá’í, na freguesia lisboeta dos Olivais, vai encontrar dez árvores novas. São jacarandás e ciprestes, mas cada um deles tem nome de mulher e uma missão concreta: mostrar – tal como fizeram as mulheres que lhes deram nome – que a liberdade religiosa é um direito fundamental. Trata-se de uma iniciativa da Junta de Freguesia local, em parceria com a Comunidade Bahá’í, para homenagear as “dez mulheres de Shiraz”, executadas há 40 anos “por se recusarem a renunciar a uma fé que promove os princípios da igualdade de género, unidade, justiça e veracidade”.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This