Diálogo e Paz no Brasil

Encontro de religiões é um “oásis de esperança”

| 7 Jan 2022

 

O grupo Diálogo e Paz “é um oásis no meio de uma sociedade rude e violenta” declarou o babalorixá Márcio de Jagun, do Candomblé, no termo do encontro fraterno entre representantes de diversas religiões que se realizou no Rio de Janeiro no dia 3 de janeiro, noticiou o portal Vatican News nesta sexta-feira, 7 de janeiro.

Márcio de Jagun acrescentou: “Este é um grupo que nos dá abrigo e esperança (…) É um oásis que nos prepara para continuar a viagem – não para nos esconder das agruras –, mas para percorrer os nossos destinos.”  

A iniciativa destes encontros foi lançada há dois anos pelo cardeal Orani João Tempesta, arcebispo do Rio de Janeiro, e reúne católicos romanos, católicos do rito grego-melquita, evangélicos, judeus, muçulmanos, espíritas, representantes de matrizes africanas, entre elas, o candomblé e o umbanda.

Por seu turno, o pastor Silas Esteves, fundador e presidente da Igreja Ministério Betesda, em Niterói (Rio de Janeiro), referiu a sua “gratidão profunda” por estar presente “num evento tão significativo” em que teve oportunidade para “experimentar o sincero e profundo respeito entre os representantes de religiões tão diversas.”

 

Os confins da fenomenologia

Emmanuel Falque na Universidade de Coimbra novidade

Reflectir sobre os confins da fenomenologia a partir do projecto filosófico de Emmanuel Falque é o propósito da Jornada Internacional de Estudos Filosóficos, “O im-pensável: Nos confins da fenomenalidade”, que decorrerá quinta-feira, dia 26 de Maio, na Universidade de Coimbra (FLUC – Sala Vítor Matos), das 14.00 às 19.00. O filósofo francês intervirá no encerramento da iniciativa.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

“A grande substituição”

[Os dias da semana]

“A grande substituição” novidade

Outras teorias da conspiração não têm um balanço igualmente inócuo para apresentar. Uma delas defende que estamos perante uma “grande substituição”; não ornitológica, mas humana. No Ocidente, sustentam, a raça branca, cristã, está a ser substituída por asiáticos, hispânicos, negros ou muçulmanos e judeus. A ideia é velha.

Humanizar não é isolar

Humanizar não é isolar novidade

É incontestável que as circunstâncias de vida das pessoas são as mais diversas e, em algumas situações, assumem contornos improváveis e, muitas vezes, indesejáveis. À medida que se instalam limitações resultantes ou não de envelhecimento, alguns têm de habitar residências sénior, lares de idosos, casas de repouso,…

Agenda

Fale connosco

Pin It on Pinterest

Share This