Diálogo inter-religioso

Encontro entre católicos e taoistas para “uma sociedade harmoniosa”

| 22 Mar 2024

Taoístas. Cristãos. Diálogo inter-religioso

Participantes na conferência taoístas-cristãos. Foto © Vatican News

 

O cristianismo e o taoismo “partilham os valores da misericórdia, da simplicidade e da não ambição de realizações mundanas”, afirmou o cardeal Stephen Chow, bispo de Hong Kong, ao Vatican News, portal de notícias do Vaticano, a propósito de um encontro que juntou, naquela cidade, cristãos e taoistas.

Tendo como grande objetivo o de “demonstrar como as religiões podem dar as mãos para se tornarem parceiras construtivas na construção da nossa sociedade”, o encontro levou ainda o cardeal a evocar a figura de Matteo Ricci, missionário jesuíta que viveu no século XVI, como exemplo de diálogo inter-religioso.

“Encontros como este (…) comunicam uma mensagem simbólica ao mundo, de que o diálogo é possível e que podemos sentar-nos juntos e discutir, trabalhar juntos e caminhar juntos”, afirmou entretanto o padre Indunil Janakaratne Kodithuwakku Kankanamalage, subsecretário do Dicastério para o Diálogo Inter-religioso do Vaticano, ao Crux. Para este responsável, “a conferência foi um enorme sucesso”, já que permitiu dar relevância ao diálogo, importante no contexto global atual.

A conferência, realizada no início de março, teve como tema “Cultivar uma sociedade harmoniosa através do diálogo inter-religioso” e foi organizada pelo Dicastério para o Diálogo Inter-religioso do Vaticano e pela diocese católica e a Associação Taoista de Hong Kong, juntando académicos e outros especialistas de toda a Ásia e de alguns países europeus.

 

Catarina Pazes: “Sem cuidados paliativos, não há futuro para o SNS”

Entrevista à presidente da Associação Portuguesa

Catarina Pazes: “Sem cuidados paliativos, não há futuro para o SNS” novidade

“Se não prepararmos melhor o nosso Serviço Nacional de Saúde do ponto de vista de cuidados paliativos, não há maneira de ter futuro no SNS”, pois estaremos a gastar “muitos recursos” sem “tratar bem os doentes”. Quem é o diz é Catarina Pazes, presidente da Associação Portuguesa de Cuidados Paliativos (APCP) que alerta ainda para a necessidade de formação de todos os profissionais de saúde nesta área e para a importância de haver mais cuidados de saúde pediátricos.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Bahá’ís plantam árvores em Lisboa, para que a liberdade religiosa floresça em todo o mundo

Em memória das "dez mulheres de Shiraz"

Bahá’ís plantam árvores em Lisboa, para que a liberdade religiosa floresça em todo o mundo

Quem passar pela pequena zona ajardinada junto ao Centro Nacional Bahá’í, na freguesia lisboeta dos Olivais, vai encontrar dez árvores novas. São jacarandás e ciprestes, mas cada um deles tem nome de mulher e uma missão concreta: mostrar – tal como fizeram as mulheres que lhes deram nome – que a liberdade religiosa é um direito fundamental. Trata-se de uma iniciativa da Junta de Freguesia local, em parceria com a Comunidade Bahá’í, para homenagear as “dez mulheres de Shiraz”, executadas há 40 anos “por se recusarem a renunciar a uma fé que promove os princípios da igualdade de género, unidade, justiça e veracidade”.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This