Biden quer ter o Papa Francisco na Cimeira do Clima, em Glasgow

| 18 Mai 2021

John Kerry, enviado especial do Presidente Biden, esteve com o Papa Francisco. Foto captada do vídeo da entrevista.

Os Estados Unidos da América (EUA) desejam que o Papa Francisco participe na COP 26, a Cimeira de Glasgow sobre a crise climática, em novembro, pela “autoridade moral” da sua voz em relação à matéria e, também, por estar “acima da política e fora dos conflitos nacionais”.

A posição foi defendida nesta segunda-feira, 17, pelo enviado especial da Administração Biden para o clima, John F. Kerry, numa entrevista concedida ao portal Vatican News, após uma audiência que teve com o Papa e no quadro de encontros com governos de vários países da Europa.

Kerry reconheceu que “existem diferenças entre os países, entre o que eles podem fazer e o que estão hoje a fazer”, diferenças essas que foram acolhidas no Acordo de Paris.

Os EUA assumem a sua responsabilidade enquanto segunda economia mais poluente do mundo, depois da China e antes da Índia e da Rússia. Estes e muitos outros países têm ideias, interesses e disposições não coincidentes e até contraditórios, ainda que partilhem de uma “responsabilidade comum, mas diferenciada”.

As negociações de Glasgow vão ser decisivas, mas complexas e difíceis e é nesse quadro que o enviado John F. Kerry vê o significado e até a necessidade da presença de Francisco. Afirma ele na entrevista que “o Papa é uma das grandes vozes da razão e uma convincente autoridade moral no tema da crise climática. Ele foi um precursor, alguém que antecipou os tempos”.

O diplomata explicou esse caráter percursor de Francisco nestes termos: “A sua encíclica Laudato si ‘é, de facto, um documento muito, muito poderoso, eloquente e muito persuasivo do ponto de vista moral. E penso que a sua será uma voz muito importante que nos acompanhará até a Conferência de Glasgow, na qual creio que ele pretende participar.”

Acresce que, sendo embora a Santa Sé um estado minúsculo, tem, no dizer de Kerry, um “rebanho enorme com uma base global”. O Papa “tem a capacidade de galvanizar a ação dos países” e de “motivar os cidadãos (…) a pedirem aos seus governos que prestem contas e façam o que for necessário para preservar o planeta”.

Os Estados Unidos que, sozinhos, representam 11 por cento do total de emissões, integram um grupo dos 20 países mais desenvolvidos que, no total, são responsáveis por 73 a 75 por cento das emissões para a atmosfera. O propósito da nova liderança do país é reduzir cerca de 50 por cento de emissões na próxima década. A ação terá de ser articulada e negociada, visto que o dever é de todos e “nenhum país pode levar a cabo este trabalho sozinho”.

“O Santo Padre fala com particular autoridade ao nosso sentido de dever e à necessidade de darmos um passo em frente todos juntos, não obstante as divisões do mundo. A sua voz é mais importante do que nunca”, concluiu Kerry.

A entrevista ao portal Vatican News (em inglês) pode ser vista a seguir:

 

Mais do que A Voz da Fátima

Pré-publicação

Mais do que A Voz da Fátima novidade

Que fosse pedido a um incréu um texto de prefácio para um livro sobre A Voz da Fátima, criou-me alguma perplexidade e, ao mesmo tempo, uma vontade imediata de aceitar. Ainda bem, porque o livro tem imenso mérito do ponto de vista histórico, com o conjunto de estudos que contém sobre o jornal centenário, mas também sobre o impacto na sociedade portuguesa e na Igreja, das aparições e da constituição de Fátima e do seu Santuário como o centro religioso mais importante de Portugal. Dizer isto basta para se perceber que não é possível entender, no sentido weberiano, Portugal sem Fátima e, consequentemente, sem o seu jornal.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

 

Bahrein

Descoberto mosteiro cristão sob as ruínas de uma mesquita novidade

Há quem diga que este é o “primeiro fruto milagroso” da viagem apostólica que o Papa Francisco fez ao Bahrein, no início de novembro. Na verdade, resulta de três anos de trabalho de uma equipa de arqueólogos locais e britânicos, que acaba de descobrir, sob as ruínas de uma antiga mesquita, partes de um ainda mais antigo mosteiro cristão.

Manhã desta quinta-feira, 24

“As piores formas de trabalho infantil” em conferência

Uma conferência sobre “As piores formas de trabalho infantil” decorre na manhã desta quinta-feira, 24 de Novembro (entre as 9h30-13h), no auditório da Polícia Judiciária (Rua Gomes Freire 174, na zona das Picoas, em Lisboa), podendo assistir-se também por videoconferência. Iniciativa da Confederação Nacional de Ação Sobre o Trabalho Infantil (CNASTI), em parceria com o Instituto de Apoio à Criança (IAC), a conferência pretende “ter uma noção do que acontece não só em Portugal, mas também no mundo acerca deste tipo de exploração de crianças”.

Cardeal Zen condenado a pagar multa por ter defendido manifestantes

Hong Kong

Cardeal Zen condenado a pagar multa por ter defendido manifestantes novidade

O cardeal Joseph Zen, bispo emérito de Hong Kong, foi condenado esta sexta-feira, 25 de novembro, a pagar uma multa de cerca de 500 euros pela sua colaboração com o 612 Humanitarian Relief Fund, que apoiou manifestantes pró-democracia a pagar multas e fianças em 2019. Sobre ele, recai ainda a acusação de conluio com forças estrangeiras, pelo que poderá vir a enfrentar penas mais graves.

Freiras italianas gritam “basta!” à violência contra a mulher

Dia Internacional contra a Violência de Género

Freiras italianas gritam “basta!” à violência contra a mulher novidade

“Sentimos o dever de manifestar abertamente a solidariedade com as mulheres que sofrem todo o tipo de violência.” Quem o diz são as irmãs salesianas Filhas de Maria Auxiliadora, da Província de São João Bosco, em Roma, que pela primeira vez decidiram associar-se pessoalmente a uma campanha de prevenção, a propósito do Dia Internacional Contra a Violência de Género, assinalado esta sexta-feira, 25 de novembro.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This