Turquia

Erdogan inaugura grande mesquita no centro de Istambul, a terceira em três anos

| 30 Mai 2021

A nova mesquita na Praça Taksim, Istambul. Foto © Cagataydonmez10/Wikimedia Commons

 

A praça Taksim, principal espaço público da Istambul, passou a ter, desde sexta-feira, dia 28, uma grandiosa mesquita, que foi inaugurada pelo Presidente da Turquia, Recep Erdogan.

Com capacidade para juntar entre 3000 a 4000 pessoas, a nova mesquita, uma promessa antiga do Presidente, é a terceira que ele inaugura, nos seus 18 anos de mandato. A outra foi a enorme mesquita Camlica, erguida numa colina, que abriu portas em março de 2019, e a terceira foi a Hagia Sophia, um antigo espaço de culto cristão entretanto transformado em museu, que Erdogan decidiu converter também em mesquita, no ano passado.

A mesquita de Taksim tem uma abóbada de 30 metros e dois minaretes imponentes e insere-se num complexo que inclui um espaço de exposições, biblioteca, cozinha de refeições ligeiras e parque de estacionamento.

Os críticos vêem esta construção como parte dos planos do Presidente para minar o legado de Mustafa Kemal Ataturk, que estabeleceu uma república de orientação secular após o colapso do Império Otomano, segundo refere a agência Associated Press.

A mesma fonte diz que um centro cultural na praça Taksim, que tinha o nome de Ataturk e que era visto como um símbolo da sua herança, foi demolido e está a ser substituído por uma nova estrutura que abrigará um teatro de ópera. Já a Arab News tem outra versão: a mesquita foi construída no local em que existia um monumento a Ataturk.

O Presidente responde que o sonho da mesquita em Taksim remonta aos anos 80 do séc. XIX, datando de uma guerra russo-turca. E que ele acelerou o objetivo de mandar construir a mesquita no momento (“o momento em que aqueles terroristas se posicionaram contra nós”) em que a praça de Taksim foi palco, em 2013, das grandes manifestações contra o seu Governo, quando era primeiro-ministro.

 

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

 

Evento "importantíssimo" para o país

Governo assume despesas da JMJ que Moedas recusou

A ministra Adjunta e dos Assuntos Parlamentares, Ana Catarina Mendes, chegou a acordo com o presidente da Câmara de Lisboa sobre as Jornadas Mundiais da Juventude, comprometendo-se a – tal como exigia agora Carlos Moedas – assumir mais despesa do evento do que aquela que estava inicialmente prevista, noticiou o Expresso esta quarta-feira, 3.

Multiplicar o número de leitores do 7MARGENS

Em 15 dias, 90 novos assinantes

Durante o mês de julho o 7MARGENS registou 90 novos leitores-assinantes, em resultado do nosso apelo para que cada leitor trouxesse outro assinante. Deste modo, a Newsletter diária passou a ser enviada a 2.863 pessoas. Estamos ainda muto longe de duplicar o número de assinantes e chegar aos 5.000, pelo que mantemos o apelo feito a 18 de julho: que cada leitor consiga trazer outro.

Parceria com Global Tree

JMJ promove plantação de árvores

A Fundação Jornada Mundial da Juventude Lisboa 2023 e a Global Tree Initiative estabeleceram uma parceria com o objectivo de levar os participantes e responsáveis da organização da jornada a plantar árvores. A iniciativa pretende ser uma forma de assinalar o Dia Mundial da Conservação da Natureza, que se assinala nesta quinta-feira, 28 de julho.

Amnistia criticou Kiev e a Ucrânia não gostou

Direitos humanos

Amnistia criticou Kiev e a Ucrânia não gostou

A guerra da Ucrânia abriu uma inesperada frente no campo dos direitos humanos entre a Amnistia Internacional e o governo do país que foi invadido pela Rússia. Um relatório muito crítico da organização de direitos humanos levou a um ataque do Presidente Volodymyr Zelensky e à posterior demissão da responsável da AI no país.

Agenda

There are no upcoming events.

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This