Myanmar

Escalada de violência contra católicos

| 23 Nov 2021

Dispensário de Karuna, Diocese de Loikaw, Myanmar. Foto do facebook do Dispensário.

 

Soldados às ordens da junta militar de Myanmar invadiram na segunda-feira, 22 de novembro, a catedral, uma clínica administrada pela Igreja e a própria casa do bispo da Diocese de Loikaw, no estado de Kayahno, fazendo buscas e prendendo 18 profissionais de saúde, noticiou a Union of Catholic Asian (UCA) News.

Numa operação de mais de sete horas, mais de 200 soldados e polícias invadiram o complexo da Catedral de Cristo-Rei em Loikaw e entraram à força na clínica conhecida como Karuna (Compaixão), forçando 40 doentes, incluindo quatro infetados pelo vírus da covid-19, a deixar a clínica. Um padre e duas freiras acompanharam os 18 profissionais de saúde presos ao centro de interrogatório.

De acordo com fontes eclesiais citadas pela UCA News, tem sido cada vez mais frequente os militares matarem civis, queimarem casas e fazerem prisões arbitrárias em operações na região (que é predominantemente cristã). Pelo menos 10 paróquias na Diocese de Loikaw foram vítimas de ataques graves, dando origem a mais de 100 mil deslocados, em fuga da violência militar.

A Associação de Assistência aos Presos Políticos (AAPP) de Myanmar, citada pelo Vatican News, regista de forma documentada a morte de 1.286 pessoas e a prisão de outras 10.380 desde o golpe militar de 1 de fevereiro até dia 22 de novembro.

 

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Espiritualidade e ecologia, uma nova abordagem

Debates em Lisboa

Espiritualidade e ecologia, uma nova abordagem novidade

A responsabilidade e o princípio da precaução, a espiritualidade ligada à ecologia, leituras sobre As Vidas dos Animais, de J.M. Coetzee ou a Caminhada, de Henry D. Thoreau – estas são alguma das propostas do ciclo “Diálogos entre Ética, Ecologia e Espiritualidade”, proposto pelo Foco de Conversão Ecológica da Capela do Rato (Lisboa), que se inicia nesta terça-feira, 17 de Maio.

Repressão contra uigures não para

China

Repressão contra uigures não para novidade

O município de Konasheher, no centro da região uigur chinesa (Xinjiang), detém, segundo um levantamento da Associated Press (AP), a maior taxa de prisão conhecida no mundo: mais de 10.000 uigures (um em cada 25 habitantes) estão presos, acusados pelos tribunais chineses de atos de terrorismo.

“Os pássaros não são reais”

[Os Dias da Semana]

“Os pássaros não são reais” novidade

Uma entrevista concedida por um ex-agente da CIA, Eugene Price, tornaria credível uma acusação que, desde 2017, tinha vindo a ser amplamente difundida nos Estados Unidos da América por um movimento intitulado Birds Aren’t Real. Eugene Price corrobora que a CIA dizimou os pássaros do país, substituindo-os por imitações tecnológicas, drones emplumados cumprindo uma função de vigilância.

Agenda

Fale connosco

Pin It on Pinterest

Share This