Escândalo em Jerusalém: A banda desenhada cristã

| 30 Jan 19 | Literatura e Poesia, Últimas

Escândalo em Jerusalém é o título do álbum de banda desenhada, da autoria de Coolus, Birus e Elvine, que ganhou o Prémio Internacional de Banda Desenhada Cristã, atribuído no âmbito do Festival Internacional de Banda Desenhada de Angoulême, a mais famosa iniciativa do género realizada na Europa. A japonesa Rumiko Takahashi, autora de séries como Ranma 1/2, Urusei Yatsura e Maison Ikkoku, venceu o grande prémio do festival, sendo a segunda mulher a receber a distinção.

Realizado entre 24 e 27 de Janeiro, o Festival de Angoulême apresenta uma programação vasta e diversificada, em que se inclui o Festival da BD Cristã. Desde há três décadas, uma equipa ecuménica de católicos e de protestantes abre as portas da Catedral, da Igreja de S. Marcial e do Templo da Igreja à banda desenhada e premeia as obras que melhor representam uma nova linguagem para comunicar a fé.

O texto de apresentação de Escândalo em Jerusalém refere que o álbum “ilustra com humor a vida em Jerusalém no tempo da Paixão de Jesus”. Também distinguidos, foram Jesus em BD, de Bénédicte Jeancourt-Galignali, Li-An e Laurence Croix, que recebeu o Prémio Especial Juventude e Francisco, de Arnaud Delalande, Laurent Bidot e Yvon Bertorello, merecedor de uma menção honrosa.

O jornalista Gauthier Vaillant, do diário La Croix, chamou a atenção para um álbum não premiado, O mistério do ícone escondido, de Jean Evesque, a história de uma obra-prima da iconografia ortodoxa e de uma conversão improvável. O jornalista lamentou que esta obra mais adulta e graficamente mais audaciosa tivesse sido preterida pelo júri católico e protestante. 

Inspirado numa história verdadeira, O mistério do ícone escondido é adaptado de um extracto da recolha de testemunhos Sangue nas mãos, da escritora e jornalista católica polaca Maria Winowska. O ícone escondido representa o rosto de Jesus Cristo e foi pintado no século XV pelo célebre monge ortodoxo Andreï Rubliov e manteve-se durante séculos na intimidade de uma piedosa família russa. Quando visita a casa, em ruínas, e descobre o ícone, um descendente da família, membro activo do Partido Comunista e ateu, converte-se. Pagará caro por isso.

O livro descreve um mistério, diz Gauthier Vaillant, que é o da fé, da esperança, do encontro com Cristo, que irrompem do monocromatismo de cinzento azulado, de verde e de amarelo pálido e dos cenários austeros do campo russo com as suas árvores mortas e o do “inferno betonado de Moscovo”.

Outro álbum saudado pelo diário católico francês é Heimat, longe do meu país, de Nora Krug, um romance gráfico que investiga o passado de uma família alemã. Misturando a investigação jornalística e o jornal íntimo, a obra, Heimat é, escreve o jornalista Stéphane Dreyfus, uma busca do passado familiar da autora, susceptível de responder a questões como: “O avô Willi seria membro do partido nazi? Quem era o tio Franz-Karl, SS, morto em Itália aos 18 anos?” Nora Krug interroga os pais e os mais próximos, consulta os arquivos e encontra-se com historiadores que não querem esquecer as atrocidades cometidas pelos nazis. Para Stéphane Dreyfus, “com este fascinante e doloroso mergulho na memória dos seus, Nora Krug torna-se ‘arquivista da recordação’, historiadora do sensível”.

Breves

Limpar uma praia porque o planeta está em jogo

Sensível ao ambiente, à poluição e ao seu impacto sobre o mundo animal e o planeta em geral, Sylvia Picon, francesa residente em Portugal, decidiu convocar um piquenique ecológico na Praia do Rei (Costa de Caparica, Almada), no próximo sábado, 20 de abril. A concentração será no parque de estacionamento da Praia do Rei e ao piquenique segue-se uma limpeza do areal desta praia da Costa de Caparica.

União Europeia acusada de financiar trabalho forçado em África

A Fundação Eritreia para os Direitos Humanos (FHRE) e a Agência Habeshia alertaram para o facto de o financiamento da União Europeia (UE) poder estar a ajudar na promoção de situações de semi-escravatura de militares jovens, através dos fundos para a construção de estradas na Eritreia, até à fronteira com a Etiópia, e que supostamente se destinam a combater a “migração irregular”.

Bispos do México fazem frente a Trump e ajudam migrantes nas fronteiras

Os bispos católicos do nordeste do México uniram-se para receber comboios de imigrantes que tentam entrar nos Estados Unidos da América e ficam retidos na fronteira com o seu país. Para tal estão a ser tomadas várias medidas de apoio como a criação de novos centros de acolhimento de migrantes em dioceses transfronteiriças, à semelhança do que já acontece na diocese de Saltillo.

Boas notícias

República Centro Africana: jovens promovem acordo de não-agressão entre bairros

República Centro Africana: jovens promovem acordo de não-agressão entre bairros

Dois jovens centro-africanos – Fabrice Dekoua, cristão, e Ibrahim Abdouraman, muçulmano – decidiram promover um pacto de não-agressão entre as populações dos bairros de Castores (de predominância cristã) e Yakite (maioria mulçumana), na capital da República Centro-Africana, Bangui, para tentar mostrar que é possível pôr fim à violência que assola o país.

É notícia 

Cultura e artes

As Sete Últimas Palavras

Talvez muitas pessoas não saibam que a obra de Joseph Haydn As Sete Últimas Palavras de Cristo na Cruz foi estreada em Cádis, na Andaluzia, depois de encomendada pelo cónego José Sáenz de Santamaria, responsável da Irmandade da Santa Cova.

Laranjeiras em Atenas

Há Laranjeiras em Atenas, de Leonor Xavier (Temas e Debates/Círculo de Leitores, 2019) reúne um conjunto diversificado de textos, a um tempo divertidos e sérios, livro de memórias e de viagens, de anotações e comentários… O gosto e a surpresa têm a ver com pequenos pormenores, mas absolutamente marcantes.

Pessoas

O franciscano que é o melhor professor do mundo

O franciscano que é o melhor professor do mundo

O título de “melhor professor do mundo” foi atribuído no final de Março a um queniano de 36 anos, Peter Tabichi. O titular da distinção, frequentemente considerada como o “Nobel da educação” ou o “Nobel dos professores”, é também frade franciscano. O Global Teacher Prize tem sido concedido anualmente, desde há cinco anos, pela Fundação Varkey, do Dubai.

Sete Partidas

Uma gotinha do Tamisa contra o “Brexit”

Mas o meu objectivo número um para a visita neste sábado era o de participar na grande e anunciada manifestação contra o Brexit. Quando cheguei junto ao Parlamento já lá estava tudo preparado para as intervenções políticas.

Visto e Ouvido

Agenda

Entre margens

A Páscoa como escândalo

A falta de compreensão do sentido da Páscoa tornou-se generalizada no mundo ocidental, apesar de a celebrar, por força da tradição e da cultura. A maior parte dos que se afirmam cristãos revela enorme dificuldade em entender o facto de a época pascal ser a mais significativa no calendário da fé cristã.

Jesus Cristo, o estrangeiro aceite pelos povos bantus

Jesus Cristo é uma entidade exterior aos bantu. É estrangeiro, praticamente um desconhecido, mas aceite pelos bantu. Embora se saiba de antemão que Jesus é originário do Médio Oriente e não português, povo que levou o Evangelho para África. Parece um contrassenso?

Papa Francisco: “Alegrai-vos e exultai”. Santidade e ética

No quinto aniversário do início solene do seu pontificado, a 19 de março de 2018 (há pouco mais de um ano), o Papa Francisco publicou a Exortação Apostólica Gaudete et Exsultate, “sobre a santidade no mundo atual”. Parte do capítulo V da Constituição do Vaticano II, Lumen Gentium. Aí se propõe a santidade para todos os cristãos, entendida em dois níveis: a santidade como atributo de Deus comunicada aos fiéis, a que se pode chamar “santidade ontológica”, e a resposta destes à ação de Deus neles, a “santidade ética”.

Fale connosco