escolheu Deus a noite para habitar connosco

| 7 Jan 23

breve comentário aos textos bíblicos lidos em comunidade | Domingo da Epifania | Hospital de Santa Marta, Lisboa, 8 de Janeiro de 2023.

António Pedro Monteiro | e-mail

últimos episódios

quem testemunha?

quem testemunha?

Breve comentário do p. António Pedro Monteiro⁠ aos textos bíblicos lidos em comunidade, no Domingo II da Páscoa B. ⁠Hospital de Santa Marta⁠, Lisboa, 6 de Abril de 2024.

a noite que permite que tu sejas

a noite que permite que tu sejas

Breve comentário do p. António Pedro Monteiro⁠ aos textos bíblicos lidos em comunidade, na Noite de Páscoa B. Hospital de Santa Marta⁠, Lisboa, 31 de Março de 2024.

Catarina Pazes: “Sem cuidados paliativos, não há futuro para o SNS”

Entrevista à presidente da Associação Portuguesa

Catarina Pazes: “Sem cuidados paliativos, não há futuro para o SNS” novidade

“Se não prepararmos melhor o nosso Serviço Nacional de Saúde do ponto de vista de cuidados paliativos, não há maneira de ter futuro no SNS”, pois estaremos a gastar “muitos recursos” sem “tratar bem os doentes”. Quem é o diz é Catarina Pazes, presidente da Associação Portuguesa de Cuidados Paliativos (APCP) que alerta ainda para a necessidade de formação de todos os profissionais de saúde nesta área e para a importância de haver mais cuidados de saúde pediátricos.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

 

PR condecorou postumamente Sebastião da Gama, pelo seu legado cívico e espiritual

Centenário do poeta

PR condecorou postumamente Sebastião da Gama, pelo seu legado cívico e espiritual novidade

O Presidente da República destacou a importância do legado poético, pedagógico, cívico e espiritual de Sebastião da Gama (1924-1952), sublinhando a ligação do poeta a vultos muito importantes da cultura portuguesa, como José Régio ou David Mourão-Ferreira, que tinham por ele o maior apreço.

Bahá’ís plantam árvores em Lisboa, para que a liberdade religiosa floresça em todo o mundo

Em memória das "dez mulheres de Shiraz"

Bahá’ís plantam árvores em Lisboa, para que a liberdade religiosa floresça em todo o mundo

Quem passar pela pequena zona ajardinada junto ao Centro Nacional Bahá’í, na freguesia lisboeta dos Olivais, vai encontrar dez árvores novas. São jacarandás e ciprestes, mas cada um deles tem nome de mulher e uma missão concreta: mostrar – tal como fizeram as mulheres que lhes deram nome – que a liberdade religiosa é um direito fundamental. Trata-se de uma iniciativa da Junta de Freguesia local, em parceria com a Comunidade Bahá’í, para homenagear as “dez mulheres de Shiraz”, executadas há 40 anos “por se recusarem a renunciar a uma fé que promove os princípios da igualdade de género, unidade, justiça e veracidade”.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This