Novo documento do Sínodo 2022-2023

“Espantados com as maravilhas que Deus está a realizar na sua Igreja”

| 3 Out 2022

audiência privada que o Papa Francisco concedeu aos “especialistas de Frascatti” para apresentação do documento da etapa continental do sinodo foto synod.va

Vivemos “uma experiência eclesial única e extraordinária que nos fez conhecer a riqueza dos frutos que o Espírito está a produzir no povo santo de Deus”, disse o cardeal Grech (na imagem, à direita), durante a audiência com o Papa. Foto © Synod.va.

 

“Estamos verdadeiramente espantados com as maravilhas que Deus está a realizar na sua Igreja”, reconheceu o secretário-geral do Sínodo, cardeal Mario Grech, resumindo o sentimento vivido pelas cinco dezenas de participantes reunidos em Frascati (arredores de Roma) durante 12 dias para redigirem, a partir de 112 sínteses nacionais vindas de todo o mundo, o documento para a fase continental do Sínodo 2020-2023.

O cardeal Grech falava no domingo, 2 de outubro, durante a audiência privada que o Papa Francisco concedeu aos “especialistas de Frascati” e em que lhe foi entregue a proposta de documento que depois de aprovada será enviada a todos os bispos como um “ato de restituição ao povo de Deus” do discernimento realizado. O documento, que dará início à fase continental do sínodo sobre a sinodalidade deverá ser divulgado dentro de 15 dias, de acordo com um comunicado de imprensa enviado pela Secretaria-Geral do Sínodo ao 7MARGENS.

Vivemos, disse Grech, “uma experiência eclesial única e extraordinária que nos fez conhecer a riqueza dos frutos que o Espírito está a produzir no povo santo de Deus”. “Depois de tantos dias sentados para melhor concretizar uma longa e paciente escuta das vozes do Povo de Deus, caminhar novamente junto com nossos irmãos e irmãs é uma alegria multiplicada” – concluiu o cardeal.

Em Frascati, os participantes procuraram realizar “um discernimento comunitário através do método da conversação espiritual, como foi experimentado por numerosos grupos na primeira etapa do processo sinodal”. Através de momentos de escuta e de diálogo, em plenário ou em grupos de trabalho de cariz geográfico, status eclesial, ou género, identificaram primeiro as tensões geradas, à medida que surgiram nas sínteses nacionais, para depois chegar à redação do documento. Este conheceu uma primeira e depois uma segunda versão tendo ambas sido objeto de leituras cruzadas, discussões e correções.

O grupo de 50 redatores era composto por bispos e padres, religiosos e leigos de ambos os sexos e a partir de 30 de setembro contou com a presença dos membros do XV Conselho Ordinário do Sínodo dos Bispos. O Documento da Etapa Continental, produzido simultaneamente em italiano e inglês, foi depois aprovado pelo Conselho do Sínodo e entregue ao Papa Francisco.

 

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

 

"Nada cristãs"

Ministro russo repudia declarações do Papa novidade

O ministro dos Negócios Estrangeiros da Rússia, Serguei Lavrov, descreveu como “nada cristãs” as afirmações do Papa Francisco nas quais denunciou a “crueldade russa”, especialmente a dos chechenos, em relação aos ucranianos. Lavrov falava durante uma conferência de imprensa, esta quinta-feira, 1 de dezembro, e referia-se à entrevista que Francisco deu recentemente à revista America – The Jesuit Review.

O que têm dito os papas sobre a paz

Debate e oração no Rato, em Lisboa

O que têm dito os papas sobre a paz novidade

As mensagens dos Papas para o Dia Mundial da Paz é o tema da intervenção do padre Peter Stilwell neste sábado, 3 de Dezembro (Capela do Rato, em Lisboa, 19h), numa iniciativa integrada nas celebrações dos 50 anos da vigília de oração pela paz que teve lugar naquela capela, quando um grupo de católicos quis permanecer em oração durante 48 horas, em reflexão sobre a paz e contra a guerra colonial.

Ministro russo repudia declarações do Papa

"Nada cristãs"

Ministro russo repudia declarações do Papa novidade

O ministro dos Negócios Estrangeiros da Rússia, Serguei Lavrov, descreveu como “nada cristãs” as afirmações do Papa Francisco nas quais denunciou a “crueldade russa”, especialmente a dos chechenos, em relação aos ucranianos. Lavrov falava durante uma conferência de imprensa, esta quinta-feira, 1 de dezembro, e referia-se à entrevista que Francisco deu recentemente à revista America – The Jesuit Review.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This