Espiritualidades

A vibração dos hindus em Fátima, numa tese universitária de Joaquim Franco

“Sempre que aqui venho, sinto uma vibração especial”, dizia em 2004 Ramnical Dave, o shastri (sacerdote) hindu do templo de Radha Krishna, em Telheiras (Lisboa), ao jornalista Joaquim Franco, referindo-se a Fátima. Esse foi um dos pontos de partida para o trabalho de mestrado sobre Devotos Improváveis – Hindus e muçulmanos numa visão de Fátima, defendido nesta segunda-feira, 28, na Universidade Lusófona, em Lisboa.

Sínodo para a Amazónia e Crise Civilizatória (ensaio)

Sendo a Fé em Cristo a mesma em Osaka, Nova Iorque, Roma ou Rio de Janeiro, é a realidade que determina e diferencia o jeito de ser Igreja e configura caminhos e prioridades da evangelização. Na realidade local, regional e planetária, a Igreja deve estar inserida como testemunha e servidora da Vida em Comunhão.

Bem viver para bem conviver – a espiritualidade indígena da Amazónia e a missão da Igreja

O bem viver, terra sem males, modo de vida presente na espiritualidade dos povos originários da Amazónia, referido no Instrumentum laboris (texto básico do sínodo), sintoniza muito bem com a proposta do Reino que Jesus nos faz no Evangelho. Fraternidade universal, ecologia integral, são estilos de vida que devemos recuperar e propor para fazer uma proposta evangelizadora eficaz que responda aos desafios do momento que estamos vivendo.

Rever os critérios da vida para salvar a vida na Terra (artigo inédito do Papa Francisco)

Precisamente porque tudo está interligado (cfr Laudato si’ 42; 56) no bem, no amor, precisamente por isto cada falta de amor repercute-se em tudo. A crise ecológica que estamos enfrentando é, acima de tudo, um dos efeitos desse olhar doente sobre nós, sobre os outros, sobre o mundo, sobre o tempo que passa; um olhar doente que não nos faz perceber tudo como um dom oferecido para nos descobrirmos amados.

Irmão David, de Taizé, em Portugal e no Fórum Ecuménico Jovem

O irmão David, de Taizé, irá participar no 20º Fórum Ecuménico Jovem (FEJ), que decorre no próximo dia 26 de Outubro, na Universidade da Beira Interior (Covilhã) e que reunirá cerca de 300 jovens de diferentes confissões cristãs, na expectativa dos organizadores. Até lá, e já com início na próxima sexta-feira, 18, o único português que integra aquela comunidade monástica ecuménica participará na oração das 19h45 na igreja de São Nicolau, na Baixa de Lisboa, que todas as semanas ali se realiza, seguindo ritmos e propostas de Taizé.

Isabel Correia: “As pessoas cheias de dinheiro e de poder estão atoladas de medo”

“Ainda que a verdade da extinção à nossa frente seja um choque terrível, tem o potencial de acelerar o nosso despertar coletivo, dando poder a uma profunda transformação de nós próprios e do mundo. Nós somos a mudança. Nós somos aqueles de que estávamos à espera.” As palavras de Joana Macy animam Isabel Correia e o grupo Meditação em Acção, que vem dinamizando a “Meditação pela Terra” em Lisboa e tem levado a prática da meditação às manifestações da greve estudantil pelo clima. Mãe, artista, ativista, budista, Isabel Correia partilha, nesta conversa com o 7MARGENS, o seu percurso e o seu propósito: “Juntar o dharma, a ecologia e a arte.”

Meditar e limpar a praia para contestar um novo aeroporto

Haverá uma limpeza da praia, música, oficinas de instrumentos musicais e de aviões de papel, conversas e meditação. Tudo para contestar a possibilidade de um novo aeroporto na Margem Sul do Tejo. Sob o lema “Menos avião, mais imaginação!”, o movimento Extinction Rebellion/Terra Aterra promove esta sexta-feira, 28 de Junho, na Praia do Samouco (Alcochete) um convívio que promete durar das 9h às 22h.

Cristãos dispostos a ser presos pelo clima na Rebelião da Extinção

Nove dias depois do início dos protestos da Extinction Rebellion (Rebelião da Extinção) em Londres, no dia 15, o Conselho Mundial de Igrejas (CMI/WCC) decidiu colocar uma foto-galeria na sua página digital mostrando o modo como a tradição cristã da desobediência civil não-violenta está activa também nestes protestos de Londres contra as mudanças climáticas e a ausência de decisões políticas eficazes sobre a matéria.

Uma fé nas margens

O cristianismo é uma fé de fronteira que condiz melhor com as periferias do que com os centros urbanos. Nasceu na periferia e não na capital do império nem em nenhuma outra metrópole candidata a “umbigo do mundo” – na Palestina, terra periférica, tanto no plano político, como económico e cultural.

Deus abandonou os moçambicanos?

Perante uma tal dimensão do desastre, há quem se possa perguntar se Deus se esqueceu de Moçambique e se abandonou os moçambicanos. Mas, para as grandes tradições religiosas, a tragédia natural não é um castigo divino, ao contrário do que por vezes algumas pessoas pensarão.

“Entre-Tanto somos símbolos e habitamos símbolos”

Refiro-me a essa fascinante obra que é Entre-Tanto, de José Frazão Correia sj.
Ora, uma das coisas que os anglo-saxónicos me ensinaram foi o chamado método indirecto. Por isso, ainda antes de sinalizar aquelas presenças, comecemos por antever alguns sintomas, como o título desta mesma obra: Entre-tanto. Não Entretanto, mas Entre-tanto. Um hífen cortava a palavra em duas, decompunha-a, para logo a recompor.

Tecnologia e Espiritualidade em tempo de crise

A Espiritualidade não pode ser uma Espiritualidade de refúgio frente a um mundo ameaçador, muito instável e até violento. A Espiritualidade, pelo contrário, é uma atitude mental e afetiva que orienta a nossa pegada neste Planeta de maneira responsável, positiva, propositiva e alegre.

Deus é silêncio

Cada vez me sinto mais entusiasmado com o silêncio. Numa ida à livraria, pesquisando pelos livros de religião, esoterismo ou desenvolvimento pessoal, facilmente se percebe que é um tema de moda. Retiros, yoga, meditação, propostas de orações, etc., etc. Para os cristãos, o silêncio não é a perceção de uma ausência, como se o vazio da mente fosse uma meta desejável, mas é antes a contemplação de uma Presença.

32 anos de The Joshua Tree: Rapazes de fé, os U2 bebem na Bíblia sem medo

Nunca renegando um vínculo ao cristianismo, e em particular ao catolicismo, os U2, nomeadamente o seu vocalista, Bono, carregaram sempre uma espiritualidade muito própria: eram “uma espécie de irmandade”, como os definiu The Edge, crentes nos únicos “dois grandes sacramentos”, a amizade e a música, em que uma fé inabalável na sua capacidade de vingar também representou a vontade de melhor cantar a sua fé.

3 Milhões de Nós: outra linguagem para chegar a mais pessoas

O encontro 3 Milhões de Nós pretendeu renovar a linguagem para aproximar a mensagem cristã dos jovens “Eu fiz a escola primária num colégio de freiras vicentinas, depois estudei num colégio de padres franciscanos; depois, então, estudei num colégio de padres jesuítas...

Diários de quarentena (14): Tudo ao contrário? Em tempos de “des-samaritanização”

Diários de quarentena (14): Tudo ao contrário? Em tempos de “des-samaritanização” novidade

A ação social básica, própria das relações de família, vizinhança e amizade, tem sido bastante descurada: ao longo da história, relevaram-se mais as diferentes instituições que foram sendo criadas, seguindo-se-lhes a consagração e desenvolvimento do Estado social. Deste modo, o patamar básico da ação social foi menosprezado, a favor do intermédio, ou institucional, e do estatal.

Apoie o 7 Margens

Breves

Governo português decreta que imigrantes passam a estar em situação regular novidade

O Governo português decretou que, a partir de 18 de Março (dia da declaração do Estado de Emergência Nacional), todos os imigrantes e requerentes de asilo que tivessem pedidos de autorização de residência pendentes no Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) passam a estar em situação regular, com os mesmos direitos que todos os outros cidadãos, incluindo nos apoios sociais.

Inscreva-se aqui
e receba as nossas notícias

Boas notícias

É notícia

Entre margens

Apesar de tudo, a liberdade

Sinto a doença à minha volta e à volta dos meus. E, nesta reclusão involuntária, lembro-me de Trujillo e de suas altas torres. Não de todas, mas de uma que, na sua delgada altivez, se assumiu como mirante.

Uma experiência de sinodalidade – a Igreja Católica no Terceiro Milénio

Há dias, chamou-me à atenção, no 7MARGENS, um artigo intitulado Um sínodo sobre a sinodalidade para dar eficácia à ideia de participação. Li o artigo com entusiasmo, sobretudo, porque revivi a minha experiência de paroquiana numa igreja da cidade de Lisboa. Foram tempos de Alegria e Graça, os anos de 2000 a 2019, sob a “batuta” do padre e cónego Carlos Paes.

Cultura e artes

Nick Cave e o espanto de Maria Madalena defronte do túmulo novidade

É um assombro que espanta Nick Cave, aquele em que Maria Madalena e Maria permanecem junto à sepultura. Para o músico australiano, este é provavelmente o seu momento preferido da Bíblia. Jesus tinha sido retirado da cruz, o seu corpo depositado num túmulo novo, mandado talhar na rocha, e uma pesada pedra rolou para fazer a porta da sepultura. Os doze discípulos fugiram, só Maria Madalena e “a outra Maria” ali ficaram diante do túmulo.

Júlio Martín, actor e encenador: O Teatro permite “calçar os sapatos do outro”

O actor e encenador Júlio Martín diz que o teatro permite fazer a experiência de “calçar os sapatos do outro”, mantém uma conversa em aberto e, tal como a religião, “faz religar e reler”. E permite ainda fazer a “experiência de calçar os sapatos do outro, como os americanos dizem; sair de mim e estar no lugar do outro, na vida do outro, como ele pensa ou sente”, afirma, em entrevista à agência Ecclesia.

Uma tragédia americana

No dia 27 de Julho de 1996, quando decorriam os Jogos Olímpicos, em Atlanta, durante um concerto musical, um segurança de serviço – Richard Jewel – tem a intuição de que uma mochila abandonada debaixo de um banco é uma bomba. Não é fácil convencer os polícias da sua intuição, mas ele é tão insistente que acaba por conseguir.

“Louvor da Terra”, um jardim para cuidar

O filósofo sul-coreano (radicado na Alemanha) Byung-Chul Han é já conhecido do público português através da publicação de numerosos dos seus diretos e incisivos ensaios, onde a presença da pessoa numa sociedade híper-digitalizada é refletida e colocada em questão. Agora, em “Louvor da Terra”, possibilita-nos uma abordagem diferente e original, fruto da experiência do autor com o trabalho de jardinagem.

Sete Partidas

Um refúgio na partida

De um lado vem aquela voz que nos fala da partida como descoberta. Um convite ao enamoramento pelo que não conhecemos. Pelo diferente. Um apelo aos sentidos. Alerta constante. Um banquete abundante em novidade. O nervoso miudinho por detrás do sorriso feliz. Genuinamente feliz. O prazer simples de não saber, de não conhecer…

Visto e Ouvido

Aquele que habita os céus sorri

Agenda

Parceiros

Fale connosco