Luta contra o antissemitismo

Estado australiano proíbe símbolos nazis em espaços públicos

| 2 Set 21

suastica grafitti, foto VolodyA! V Anarhist Wikimedia Commons

As novas leis vão proibir suásticas e outros símbolos de ódio em espaços públicos físicos, mas a proibição nos espaços online tem sido também discutida. Foto © lodyA! V Anarhist / Wikimedia Commons.

 

O estado de Victoria, na Austrália, vai tornar-se no primeiro território daquele país a proibir a exibição pública de símbolos nazis, avançou esta quinta-feira, 2 de setembro, o jornal The Guardian.

O anúncio da implementação da medida foi amplamente apoiado por grupos judaicos e de defesa dos direitos humanos em toda a Austrália, e a expectativa de que esta seja adotada pelo governo federal é grande.

Neste momento, está previsto que as novas leis proíbam suásticas e outros símbolos de ódio em espaços públicos físicos, mas a proibição nos espaços online tem sido também discutida.

“Novos códigos e símbolos estão constantemente a ser desenvolvidos por grupos de ódio, pelo que a legislação terá de ser suficientemente flexível para banir isso”, alertou Peter Wertheim, co-diretor executivo do Conselho Executivo do Judaísmo Australiano.

Paralelamente a esta proibição, o estado de Victoria irá introduzir novas regras “anti-vilificação”, que serão estendidas a áreas como a orientação sexual, a identidade de género e a deficiência.

 

Comissão quer “dar voz ao silêncio” das vítimas dos “crimes hediondos” dos abusos do clero

Pedro Strecht apresentou membros

Comissão quer “dar voz ao silêncio” das vítimas dos “crimes hediondos” dos abusos do clero novidade

Daqui a um ano haverá relatório, que pode ser o fim do trabalho ou o início de mais. A comissão para estudar os abusos sexuais do clero português está formada e quer que as vítimas percam o medo, a vergonha e a culpa. Ou seja, que dêem voz ao seu silêncio. Pedro Strecht apresentou razões, o presidente dos bispos disse que não quer mais preconceitos nem encobrimentos, mas “autêntica libertação, autenticidade e dignidade para todos”.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Encontra um trabalho que não amas, não perderás um minuto da tua vida

Encontra um trabalho que não amas, não perderás um minuto da tua vida novidade

Ainda antes de acabar o curso fui à minha primeira entrevista de trabalho “a sério”, numa produtora de filmes num bairro trendy de Lisboa. Roubei um dia à escrita da tese de mestrado, apanhei o comboio e lá fui eu, tão nervosa quanto entusiasmada. O dono começou por me perguntar se fazer cinema era o meu sonho. Fiquei logo sem chão. Sofri, desde muito cedo, de um mal que me acompanha até hoje: sonhava demais e muitos sonhos diferentes.

Fale connosco

Pin It on Pinterest

Share This