25 de Maio

Estudantes de Portimão propõem Dia Nacional dos Jardins para homenagear Ribeiro Telles

| 27 Mai 2021

Estudantes, Gonçalo Ribeiro Telles, Jardins

Os alunos (com o director de turma, Carlos Café, à esquerda) que lançaram a petição para declarar o Dia Nacional dos Jardins no aniversário de Ribeiro Telles, em visita à Piscina Atlântica, no início de Maio. Foto: Direitos reservados.

 

Uma turma do 10º ano de escolaridade de Portimão decidiu lançar uma petição pública a submeter ao Parlamento que consagre o dia 25 de Maio como Dia Nacional dos Jardins. A data foi escolhida por ser o dia de nascimento de Gonçalo Ribeiro Telles, que morreu no passado 11 de Novembro e que no próximo ano faria 100 anos.

“Encaramos esta petição e a criação do Dia Nacional dos Jardins como uma justa e merecida homenagem a uma pessoa a quem o País muito deve em termos de ideias inovadoras, obras ambientais de referência e boas práticas inspiradoras”, diz o texto do documento, que pode ser subscrito no seguinte endereço: https://peticaopublica.com/pview.aspx?pi=DIA-NACIONAL-JARDINS.

O texto da petição dos alunos do 10º L da Escola Secundária Manuel Teixeira Gomes recorda ainda que Gonçalo Ribeiro Telles foi um arquitecto paisagista “de eleição, premiado nacional e internacionalmente, um pensador visionário, um político generoso e empenhado e um cidadão exemplar”.

Por curiosa coincidência, a data proposta é também o aniversário da publicação, em 2015, da encíclica Laudato Si’, do Papa Francisco, sobre cuja aplicação em Portugal o 7MARGENS tem publicado (e publicará ainda) vários trabalhos.

A ideia da petição foi nascendo progressivamente, nos projectos da área de Cidadania e Desenvolvimento. O professor Carlos Café, que enquanto director de turma é responsável por essas aulas, conta ao 7MARGENS que utiliza muito a música como motivação no seu ensino. Numa ocasião, passou aos alunos o tema Heroes, de David Bowie que, a dada altura, canta We can be heroes, just for one day (Podemos ser heróis apenas por um dia).

 

“Ribeiro Telles tinha morrido na semana anterior e eu disse-lhes que cada um pode ser herói, deixando a sua marca. Falei dele, da sua obra, e dos jardins da Gulbenkian como referência maior”, conta o professor.

Depois da conversa inicial, os alunos começaram a recolher imagens, notícias, citações, com a ideia de ver, num segundo momento, o que fariam.

Mais tarde, Carlos Café contactou o professor universitário e pensador Viriato Soromenho-Marques, que falou da ideia dos alunos na sua coluna no Jornal de Letras. “Decidimos então avançar para a petição, envolvendo os encarregados de educação – incluindo um jurista, que ajudou”.

Entretanto, os alunos contam já com o apoio do Grupo Prainha (onde se situa a Piscina Atlântica, também concebida por Ribeiro Telles), a Câmara Municipal de Portimão e a Junta de Freguesia de Portimão e – “apoio de peso” – da Associação Portuguesa dos Arquitectos Paisagistas.

 

Sonhar com “um dia especial”
Piscina Atlântica, Gonçalo Ribeiro Telles, Prainha

Piscina Atlântica na Prainha, obra de Gonçalo Ribeiro Telles. Foto © Grupo Prainha

 

Para já, a iniciativa conseguiu levar à proposta da Assembleia Municipal de Portimão no sentido de criar o Dia Municipal dos Jardins, precisamente para 25 de Maio. No próximo ano, com ou sem dia nacional já consagrado – Carlos Café julga que não será difícil a ideia ter “um final feliz” –, a turma pensa promover alguma iniciativa que tenha os jardins não só como tema mas também como palco. E também já foram convidados a escolher um de três jardins de Portimão (dois que foram requalificados e um novo) para lhe ser atribuído o nome de Ribeiro Telles.

No imediato, segue-se a preparação de um livro electrónico sobre jardins, que recolherá desenhos de todas as escolas do agrupamento – desde o jardim de infância ao secundário e incluindo alunos de ensino especial –, um resumo da vida de Ribeiro Telles, citações suas e um texto introdutório de Soromenho-Marques – que é, aliás, o primeiro subscritor da petição.

O texto da petição diz que devemos ao arquitecto “o ter-nos mostrado que as cidades e as vilas são tanto mais humanas quanto mais verdes e sustentáveis forem”, bem como “o ter-nos ensinado que as cidades e as vilas não devem excluir-se da Natureza que as circunda, mas, pelo contrário, incluir a Natureza dentro delas de forma contínua e harmoniosa”.

Ribeiro Telles tinha “a ideia generosa de uma Natureza com pessoas dentro e de cidades e vilas com a Natureza dentro do seu coração e das suas artérias verdes”. Por isso “o jardim é uma metáfora feliz de tudo” o que ele ensinou.

“Os jardins são uma síntese com a marca da contemporaneidade”, acrescenta o texto, uma “síntese da cidade e do campo, do urbano e do bucólico, da ordem geométrica das árvores e sebes desenhadas e da irreverência surpreendente das flores campestres”. São ainda “lugares de encontros” para pessoas e também lugares “onde os animais se sentem em casa e os lugares que muitas aves escolhem para fazer a sua casa”.

Os alunos do 10ºL criaram já páginas no Instagram e Facebook (Jardins de Telles), além de terem gravado, na Piscina Atlântica da Prainha, um vídeo em que lêem a petição:

O documento contava, na noite desta quarta-feira, 26 de Maio, com 713 assinaturas. Para poder ser debatida na respectiva comissão parlamentar da Assembleia da República – que pode decidir fazer uma recomendação ao Governo –, precisa de chegar às mil assinaturas válidas (cidadãos com mais de 18 anos). Para ser levada a plenário tem de chegar aos quatro mil subscritores.

Se for aprovada a instituição do Dia Nacional, será uma forma de recordar o “generoso e paciente jardineiro do Reino da Natureza” e um dos “heróis do nosso tempo” que era Ribeiro Telles. E já se pode sonhar que esse pode ser “um dia especial, em que os idosos saiam dos lares e de suas casas para apanhar sol e conversar entre si”, em que “as crianças mais novas vão passar a manhã a brincar à apanhada, a andar de baloiço ou a jogar à bola” e em que as próprias “aulas sejam dadas ao ar livre, nos jardins das escolas e nos jardins e parques das vilas e cidades”.

 

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

 

"Nada cristãs"

Ministro russo repudia declarações do Papa

O ministro dos Negócios Estrangeiros da Rússia, Serguei Lavrov, descreveu como “nada cristãs” as afirmações do Papa Francisco nas quais denunciou a “crueldade russa”, especialmente a dos chechenos, em relação aos ucranianos. Lavrov falava durante uma conferência de imprensa, esta quinta-feira, 1 de dezembro, e referia-se à entrevista que Francisco deu recentemente à revista America – The Jesuit Review.

À espera

[Os dias da semana]

À espera novidade

Quase todos se apresentam voltados para o sítio onde estão Maria e José, que têm, mais por perto, a companhia de um burro e de uma vaca. Todos esperam. Ao centro, a manjedoura em que, em breve, será colocado o recém-nascido. É tempo agora de preparar a sua chegada, esse imenso acontecimento, afinal de todas as horas.

Bispo Carlos Azevedo passa da Cultura para as Ciências Históricas

Novo cargo no Vaticano

Bispo Carlos Azevedo passa da Cultura para as Ciências Históricas novidade

O bispo português Carlos Azevedo foi nomeado neste sábado para o lugar de delegado (“número dois”) do Comité Pontifício para as Ciências Históricas, deixando o cargo equivalente que desempenhava no Dicastério para a Cultura e a Educação, da Santa Sé, que há poucas semanas passou a ser dirigido pelo também português cardeal José Tolentino Mendonça.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This