25 de Maio

Estudantes de Portimão propõem Dia Nacional dos Jardins para homenagear Ribeiro Telles

| 27 Mai 21

Estudantes, Gonçalo Ribeiro Telles, Jardins

Os alunos (com o director de turma, Carlos Café, à esquerda) que lançaram a petição para declarar o Dia Nacional dos Jardins no aniversário de Ribeiro Telles, em visita à Piscina Atlântica, no início de Maio. Foto: Direitos reservados.

 

Uma turma do 10º ano de escolaridade de Portimão decidiu lançar uma petição pública a submeter ao Parlamento que consagre o dia 25 de Maio como Dia Nacional dos Jardins. A data foi escolhida por ser o dia de nascimento de Gonçalo Ribeiro Telles, que morreu no passado 11 de Novembro e que no próximo ano faria 100 anos.

“Encaramos esta petição e a criação do Dia Nacional dos Jardins como uma justa e merecida homenagem a uma pessoa a quem o País muito deve em termos de ideias inovadoras, obras ambientais de referência e boas práticas inspiradoras”, diz o texto do documento, que pode ser subscrito no seguinte endereço: https://peticaopublica.com/pview.aspx?pi=DIA-NACIONAL-JARDINS.

O texto da petição dos alunos do 10º L da Escola Secundária Manuel Teixeira Gomes recorda ainda que Gonçalo Ribeiro Telles foi um arquitecto paisagista “de eleição, premiado nacional e internacionalmente, um pensador visionário, um político generoso e empenhado e um cidadão exemplar”.

Por curiosa coincidência, a data proposta é também o aniversário da publicação, em 2015, da encíclica Laudato Si’, do Papa Francisco, sobre cuja aplicação em Portugal o 7MARGENS tem publicado (e publicará ainda) vários trabalhos.

A ideia da petição foi nascendo progressivamente, nos projectos da área de Cidadania e Desenvolvimento. O professor Carlos Café, que enquanto director de turma é responsável por essas aulas, conta ao 7MARGENS que utiliza muito a música como motivação no seu ensino. Numa ocasião, passou aos alunos o tema Heroes, de David Bowie que, a dada altura, canta We can be heroes, just for one day (Podemos ser heróis apenas por um dia).

 

“Ribeiro Telles tinha morrido na semana anterior e eu disse-lhes que cada um pode ser herói, deixando a sua marca. Falei dele, da sua obra, e dos jardins da Gulbenkian como referência maior”, conta o professor.

Depois da conversa inicial, os alunos começaram a recolher imagens, notícias, citações, com a ideia de ver, num segundo momento, o que fariam.

Mais tarde, Carlos Café contactou o professor universitário e pensador Viriato Soromenho-Marques, que falou da ideia dos alunos na sua coluna no Jornal de Letras. “Decidimos então avançar para a petição, envolvendo os encarregados de educação – incluindo um jurista, que ajudou”.

Entretanto, os alunos contam já com o apoio do Grupo Prainha (onde se situa a Piscina Atlântica, também concebida por Ribeiro Telles), a Câmara Municipal de Portimão e a Junta de Freguesia de Portimão e – “apoio de peso” – da Associação Portuguesa dos Arquitectos Paisagistas.

 

Sonhar com “um dia especial”
Piscina Atlântica, Gonçalo Ribeiro Telles, Prainha

Piscina Atlântica na Prainha, obra de Gonçalo Ribeiro Telles. Foto © Grupo Prainha

 

Para já, a iniciativa conseguiu levar à proposta da Assembleia Municipal de Portimão no sentido de criar o Dia Municipal dos Jardins, precisamente para 25 de Maio. No próximo ano, com ou sem dia nacional já consagrado – Carlos Café julga que não será difícil a ideia ter “um final feliz” –, a turma pensa promover alguma iniciativa que tenha os jardins não só como tema mas também como palco. E também já foram convidados a escolher um de três jardins de Portimão (dois que foram requalificados e um novo) para lhe ser atribuído o nome de Ribeiro Telles.

No imediato, segue-se a preparação de um livro electrónico sobre jardins, que recolherá desenhos de todas as escolas do agrupamento – desde o jardim de infância ao secundário e incluindo alunos de ensino especial –, um resumo da vida de Ribeiro Telles, citações suas e um texto introdutório de Soromenho-Marques – que é, aliás, o primeiro subscritor da petição.

O texto da petição diz que devemos ao arquitecto “o ter-nos mostrado que as cidades e as vilas são tanto mais humanas quanto mais verdes e sustentáveis forem”, bem como “o ter-nos ensinado que as cidades e as vilas não devem excluir-se da Natureza que as circunda, mas, pelo contrário, incluir a Natureza dentro delas de forma contínua e harmoniosa”.

Ribeiro Telles tinha “a ideia generosa de uma Natureza com pessoas dentro e de cidades e vilas com a Natureza dentro do seu coração e das suas artérias verdes”. Por isso “o jardim é uma metáfora feliz de tudo” o que ele ensinou.

“Os jardins são uma síntese com a marca da contemporaneidade”, acrescenta o texto, uma “síntese da cidade e do campo, do urbano e do bucólico, da ordem geométrica das árvores e sebes desenhadas e da irreverência surpreendente das flores campestres”. São ainda “lugares de encontros” para pessoas e também lugares “onde os animais se sentem em casa e os lugares que muitas aves escolhem para fazer a sua casa”.

Os alunos do 10ºL criaram já páginas no Instagram e Facebook (Jardins de Telles), além de terem gravado, na Piscina Atlântica da Prainha, um vídeo em que lêem a petição:

O documento contava, na noite desta quarta-feira, 26 de Maio, com 713 assinaturas. Para poder ser debatida na respectiva comissão parlamentar da Assembleia da República – que pode decidir fazer uma recomendação ao Governo –, precisa de chegar às mil assinaturas válidas (cidadãos com mais de 18 anos). Para ser levada a plenário tem de chegar aos quatro mil subscritores.

Se for aprovada a instituição do Dia Nacional, será uma forma de recordar o “generoso e paciente jardineiro do Reino da Natureza” e um dos “heróis do nosso tempo” que era Ribeiro Telles. E já se pode sonhar que esse pode ser “um dia especial, em que os idosos saiam dos lares e de suas casas para apanhar sol e conversar entre si”, em que “as crianças mais novas vão passar a manhã a brincar à apanhada, a andar de baloiço ou a jogar à bola” e em que as próprias “aulas sejam dadas ao ar livre, nos jardins das escolas e nos jardins e parques das vilas e cidades”.

 

Facebook está a apostar na evangelização

Líderes evangélicos nos EUA já trabalham com a multinacional

Facebook está a apostar na evangelização

A rede social Facebook está a entrar na área da evangelização. Nos Estados Unidos da América, os pastores evangélicos estão a apostar nas redes sociais como forma de expandir o seu ministério, e exemplo disso é o pastor Sam Collier, que revelou, em entrevista, que meses antes de a mega-igreja Hillsong abrir seu novo posto avançado em Atlanta, procurou conselhos sobre como construir uma igreja em uma pandemia. Do Facebook.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Crónica

Derrota no estádio, pancada em casa

[Os Dias da Semana]

Derrota no estádio, pancada em casa

A condescendência perante o machismo ou, pelo menos, perante as suas manifestações mais degradantes – dir-se-ia – acabou. Mas continua a haver demasiadas notícias que revelam existir ainda uma injustificada complacência perante a agressividade contra as mulheres e também contra os que, de algum modo, são mais vulneráveis.

Breves

Música, património e natureza

Festival Terras sem Sombra revisita herança judaica em Castelo de Vide novidade

O Festival Terras sem Sombra apresenta, na Igreja Matriz de Santa Maria da Devesa (31 de Julho, 21h30), o concerto pelo reputado Utopia Ensemble, que interpreta obras da polifonia europeia. O festival junta as memórias judaicas de Castelo de Vide, revisitadas na acção de património (31 de Julho, 15h), e as deslumbrantes paisagens da Serra de S. Mamede (1 de Agosto, 9h30), com a rica biodiversidade deste território por horizonte.

Responsável também pelas obras no Mar da Palha

José Sá Fernandes preside a Grupo de acompanhamento da JMJ 2023 novidade

O governo português anunciou a criação de um Grupo de Projeto com vista a acompanhar e agilizar todas as questões relacionadas com o “acompanhamento, em termos operacionais, dos trabalhos de preparação deste evento”. “Considerando a diversidade, a complexidade, a natureza e a dimensão das ações a desenvolver no âmbito da preparação da JMJ 2023, o Governo, através Resolução do Conselho de Ministros n.º 45/2021, criou um Grupo de Projeto para assegurar o acompanhamento”, pode ler-se no comunicado de imprensa a que o 7Margens teve acesso.

Cidadãos vítimas de spyware

Amnistia exige resposta do governo húngaro ao escândalo Pegasus

Uma investigação publicada esta terça-feira, 20 de julho, pelo Direkt36 (órgão de comunicação húngaro sem fins lucrativos) revelou que os telefones de mais de 300 cidadãos daquele país foram identificados como possíveis alvos do software de vigilância Pegasus, comercializado pela empresa israelita NSO Group. Peritos da Amnistia Internacional (AI) confirmaram que, em inúmeros casos, este software tinha, de facto, sido instalado, e a organização exige agora uma reação da parte das autoridades húngaras.

Inscreva-se aqui
e receba as nossas notícias

Boas notícias

As jovens cristãs que enfrentam a discriminação e perseguição

Paquistão

As jovens cristãs que enfrentam a discriminação e perseguição

“Quando fui para a universidade sofri muitos actos de discriminação por parte dos meus professores e colegas, a tal ponto que não conseguia concentrar-me nos meus estudos”, conta Ashia, 17 anos, cristã paquistanesa. Ajuda à Igreja que Sofre (AIS) desenvolve programa para capacitar mulheres em situações particularmente difíceis.

É notícia

Sínodo dos Bispos 2023

Quem é quem nas comissões preparatórias

Estão constituídas as três comissões preparatórias do Sínodo dos Bispos católicos de 2023, cujo início será já no próximo mês de outubro, em todas as dioceses do mundo. As pessoas escolhidas indiciam a vontade de mudança introduzida pelo Papa Francisco, conforme o 7MARGENS explica noutro texto. Fica a seguir a lista completa.

Especulação imobiliária

Docas de Liverpool já não são património da humanidade

As docas vitorianas de Liverpool nas margens do rio Mersey perderam nesta quarta-feira, 21 de julho, o estatuto de Património da Humanidade por causa da especulação imobiliária que levou à construção de novos edifícios, os quais causaram “perdas irreversíveis” que destruíram o “valor universal excecional” das antigas docas.

Entre margens

Jesus Cristo tinha uma agenda liberal?

Dizer apenas que todas as vidas são importantes é uma tirada lapalissiana. É óbvio que sim, mas o problema é que nem todas as vidas estão em risco devido a fenómenos sociais como o racismo, a xenofobia, a violência sobre mulheres e crianças, o abuso sexual e o tráfico de pessoas, já para não falar nesta economia que mata, no dizer do Papa Francisco.

Mulheres, aptas para o ministério sacerdotal

No ano de 2020, na Igreja de Inglaterra (Comunhão Anglicana), das 591 pessoas recomendadas para a formação ao ministério ordenado e assumirem funções ministeriais a tempo inteiro, a maioria dos candidatos são do género feminino.

Como regressar à vida?

Num recente inquérito à opinião pública, as pessoas consideram que as medidas contra a Covid-19 foram positivas, mas queixam-se que a democracia se viu limitada. É um julgamento natural. Importa, porém, compreender que fomos surpreendidos por uma enfermidade que continuamos a desconhecer.

Cultura e artes

Lançamento

Um livro para entender o imaginário católico de Sting

Evyatar Marienberg, historiador da religião na Universidade da Carolina do Norte em Chapel Hill, escreveu um livro sobre a imaginação católica de Sting e de como ela alimentou a sua criatividade. Antes de ser quem é na cena do rock internacional como o principal compositor e vocalista do Police, Sting (nascido Gordon Sumner em 1951) cresceu na cidade de Wallsend, Inglaterra, e frequentou escolas católicas. Recebeu o Crisma aos 14 anos e casou-se com sua primeira esposa na Igreja Católica aos 25 anos.

Sete Partidas

Aquele que habita os céus sorri

Parceiros

Fale connosco

Pin It on Pinterest

Share This