Estudantes em greve pelo clima no dia 23

| 20 Abr 21

Manifestação. Clima. Greve Climática Estudantil.

Estudantes voltam à rua para protestar pelo planeta. Foto © Greve Climática Estudantil

 

A greve climática estudantil do dia 23 de abril tem como lema “contra a aviação, pela ferrovia, pela Terra e pela democracia” e pretende denunciar o “setor da aviação” como sendo responsável por “11% das emissões a nível de transportes, permanecendo como o meio de transporte mais poluente” e, ao mesmo tempo, promover a alternativa da ferrovia, a qual “contribui apenas em 1% para as emissões a nível de transportes mundiais, é mais eficiente a nível energético e não necessita de infraestruturas enormes responsáveis pela destruição de habitats e áreas verdes.”

O manifesto da ação de dia 23 recorda que “apenas em seis meses, só em Portugal, foram investidos mais de 1300 milhões de euros no resgate da aviação, apesar de existirem alternativas sustentáveis”, nomeadamente para “os voos em território nacional (10% da totalidade do setor em Portugal)” que, dizem os mentores do protesto “precisamos de suprimir”, bem como “os voos dentro da Península Ibérica”. Para todos estes, a ferrovia é a alternativa mais válida e justa.

No dia 22 de abril comemora-se o Dia Mundial da Terra e, no âmbito do debate sobre a Lei do Clima, a Assembleia Nacional francesa votou a 10 de abril a favor da proibição dos voos entre cidades para as quais exista uma ligação ferroviária de duração inferior a 2h30. Defendendo que tal decisão apenas reduziria em 6,6% as emissões de CO2 imputáveis à totalidade dos voos domésticos, vários grupos de ativistas do clima haviam sugerido a supressão dos voos que pudessem ser substituídos por trajetos de comboio até cinco horas de viagem, o que, alegavam, reduziria em 60,6% as emissões de CO2 dos voos internos em França. Na sua edição de hoje, 19 de abril, o Público noticiava que Portugal tem hoje os mesmos quilómetros de ferrovia que tinha em 1893.

No dia seguinte à greve estudantil de 23 de abril, terá lugar o Climate Live coordenado por jovens ativistas climáticos a nível internacional. Em Portugal a iniciativa decorrerá online, das 15h às 18h30 e das 21h às 23h10, e será transmitida nas redes sociais da Greve Climática Estudantil (Instagram, Twitter , Facebook e Youtube).

 

 

Escutar todos, com horizontes para lá das “fronteiras” da Igreja

Inquérito sobre o Sínodo

Escutar todos, com horizontes para lá das “fronteiras” da Igreja novidade

O Papa observava, no encontro sinodal com a sua diocese de Roma, no último sábado, 18, que escutar não é inquirir nem recolher opiniões. Mas nada impede que se consultem os cristãos sobre as “caraterísticas e âmbito” que “entendem dever ter a escuta que as igrejas diocesanas são chamadas a realizar, desde 17 de outubro próximo até ao fim de março-abril de 2022. Era esse o terceiro ponto da consulta feita pelo 7Margens, cujas respostas damos hoje a conhecer.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Nova estratégia de combate ao antissemitismo será apresentada em outubro

União Europeia

Nova estratégia de combate ao antissemitismo será apresentada em outubro novidade

A União Europeia (UE) deverá divulgar, no próximo mês de outubro, uma “nova estratégia de combate ao antissemitismo e promoção da vida judaica”. A iniciativa surge na sequência da disseminação do racismo antissemita em inúmeros países da Europa, associada a teorias da conspiração que culpabilizam os judeus pela propagação da covid-19, avançou esta quarta-feira, 22, o Jewish News.

Livrai-nos do Astérix, Senhor!

Livrai-nos do Astérix, Senhor! novidade

A malfadada filosofia do politicamente correcto já vai no ponto de apedrejar a cultura e diabolizar a memória. A liberdade do saber e do saber com prazer está cada vez mais ameaçada. Algumas escolas católicas do Canadá retiraram cerca de cinco mil títulos do seu acervo por considerarem que continham matéria ofensiva para com os povos indígenas.

A dança dos bispos continua em Leiria e Braga

João Lavrador deixa Açores para Viana

A dança dos bispos continua em Leiria e Braga novidade

Com a escolha de João Lavrador para a sede vacante de Viana fica agora Angra sem bispo. Mas Braga já está à espera de sucessor há dois anos, enquanto em Leiria se perspectiva a sucessão talvez até final do ano. Há bispos que querem sair de onde estão, outros não querem alguns para determinados sítios. “Com todas estas movimentações, é difícil acreditar que a nomeação de um bispo seja obra do Espírito Santo”, diz um padre.

Fale connosco

Pin It on Pinterest

Share This