Situação agrava-se

Etiópia: Detenções em massa e mortes em combate preocupam ONU

| 30 Ago 2023

Mulher e criança deslocadas internas na Etiópia devido aos conflitos. Foto © © WFPClaire Nevill

Esta mulher e criança estão entre os 4,38 milhões de deslocados internos na Etiópia. O conflito é a principal causa a produzir novos deslocados. Foto © WFP / Claire Nevill.

 

Mais de mil pessoas foram detidas na Etiópia desde só no mês de agosto, e pelo menos 183 morreram desde julho, na sequência dos confrontos em andamento na região de Amhara, a segunda mais populosa do país. O aumento da violência está a levantar “grande preocupação” no Alto-Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos, que pede às autoridades etíopes que “parem com os assassinatos, violações e abusos”.

Em causa está o agravamento dos combates entre o exército etíope e a milícia Fano, que o Governo usou como justificação para declarar o estado de emergência, no passado dia 4 de agosto, o que por sua vez “levou a situação a piorar consideravelmente”. O decreto “confere amplos poderes às autoridades para prender suspeitos sem ordem judicial em todo o país”, além de impor o recolher obrigatório e proibir reuniões públicas, assinala a ONU.

Num comunicado divulgado esta terça-feira, 29, o Alto-Comissariado refere que muitos dos detidos serão “jovens de etnia Amhara, suspeitos de apoiarem as milícias Fano”.  As operações em massa incluem buscas feitas ao domicílio e pelo menos três jornalistas etíopes que cobriam a situação foram também detidos. “Os presos são mantidos em centros improvisados que carecem de condições básicas”, acrescenta o escritório da ONU.

As Nações Unidas pedem, por isso, “que as autoridades etíopes parem com as detenções em massa, garantam uma revisão judicial da privação de liberdade e soltem aqueles que foram arbitrariamente presos”, solicitando ainda “investigação rápida, imparcial e eficaz, e que os responsáveis pelos atos prestem contas”.

Na semana passada, um relatório da Organização Internacional para as Migrações (OIM) das Nações Unidas, relativo ao período de novembro de 2022 a junho de 2023, revelava que há um total de 4,38 milhões de deslocados internos do país. O conflito é a principal causa a produzir novos deslocados, deslocando 2,9 milhões de pessoas (66,41%), seguido da seca, que deslocou 810.855 pessoas (18,49%) “, avançou a OIM.

 

Desfazendo três equívocos sobre Deus

Desfazendo três equívocos sobre Deus novidade

Existem três dificuldades ou equívocos religiosos sobre o carácter de Deus, e que revelam algum desconhecimento sobre Ele. Por isso convém reflectir no assunto. Esses três equívocos sobre os quais nos vamos debruçar de seguida são muito comuns, infelizmente. [Texto de José Brissos-Lino]

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

sobre as águas

sobre as águas novidade

Breve comentário do p. António Pedro Monteiro aos textos bíblicos lidos em comunidade, no Domingo XII do Tempo Comum B. ⁠Hospital de Santa Marta⁠, Lisboa, 22 de Junho de 2024.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This