Europa: 22% dos crimes de ódio em 2019 foram contra judeus

| 30 Nov 2020

antissemitismo judeus Foto Jewish Funders Network

De um total de 5.954 crimes de ódio na Europa, Rússia e Ásia central, 1.311 foram contra judeus. Foto © Jewish Funders Network.

 

 

 

O antissemitismo esteve na origem de 22% dos crimes de ódio registados na região pan-europeia em 2019, apesar de os judeus corresponderem a apenas 1% da população que ali reside. Os dados constam do relatório do Gabinete para as Instituições Democráticas e Direitos Humanos (ODIHR) da Organização para a Segurança e Cooperação na Europa (OSCE), e foram divulgados este domingo, 29 de novembro, pelo jornal britânico Jewish News.

De um total de 5.954 crimes de ódio relatados pelos governos e observatórios da Europa, Rússia e Ásia Central, 1.311 foram contra judeus. O antissemitismo surge assim como a categoria com o segundo maior número de incidentes, depois dos 2.371 registados na categoria mais geral de racismo e xenofobia.

Em terceiro lugar, surgem os crimes motivados pelo género ou orientação sexual (com 1.277 casos), seguidos dos crimes praticados contra cristãos (573) e muçulmanos (507).

O relatório, que inclui os relatos dos incidentes registados, refere situações como a de uma mulher a quem puxaram o cabelo enquanto falava hebraico no autocarro em Berlim (Alemanha), ou de um muçulmano iraquiano que tentou entrar numa sinagoga em Antuérpia (Bélgica) com várias facas escondidas, tendo sido intercetado por forças policiais depois de proferir insultos antissemitas contra judeus.

Os números do relatório não são ainda definitivos e podem ser consultados no site do ODIHR.

 

Sínodo, agora, é em Roma… que aqui já acabou

Sínodo, agora, é em Roma… que aqui já acabou novidade

Em que vai, afinal, desembocar o esforço reformador do atual Papa, sobretudo com o processo sinodal que lançou em 2021? Que se pode esperar daquela que já foi considerada a maior auscultação de pessoas alguma vez feita à escala do planeta? – A reflexão de Manuel Pinto, para ler no À Margem desta semana

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Nada se perde: um antigo colégio dos Salesianos é o novo centro de acolhimento do Serviço Jesuíta aos Refugiados

Inaugurado em Vendas Novas

Nada se perde: um antigo colégio dos Salesianos é o novo centro de acolhimento do Serviço Jesuíta aos Refugiados novidade

O apelo foi feito pelo Papa Francisco: utilizar os espaços da Igreja Católica devolutos ou sem uso para respostas humanitárias. Os Salesianos e os Jesuítas em Portugal aceitaram o desafio e, do antigo colégio de uns, nasceu o novo centro de acolhimento de emergência para refugiados de outros. Fica em Vendas Novas, tem capacidade para 120 pessoas, e promete ser amigo das famílias, do ambiente, e da comunidade em que se insere.

Bispos católicos de França apelam à fraternidade e justiça, mas não se demarcam da extrema-direita

Com as eleições no horizonte

Bispos católicos de França apelam à fraternidade e justiça, mas não se demarcam da extrema-direita novidade

O conselho permanente dos bispos da Igreja Católica de França considera, num comunicado divulgado esta quinta-feira, 20 de junho, que o resultado das recentes eleições europeias, que deram a vitória à extrema-direita, “é mais um sintoma de uma sociedade ansiosa, dividida e em sofrimento”. Neste contexto, e em vésperas dos atos eleitorais para a Assembleia Nacional, apresentaram uma oração que deverá ser rezada por todas as comunidades nestes próximos dias.

“Precisamos de trabalhar num projeto de sociedade que privilegie a ativação da esperança”

Tolentino recebeu Prémio Pessoa

“Precisamos de trabalhar num projeto de sociedade que privilegie a ativação da esperança” novidade

Na cerimónia em que recebeu o Prémio Pessoa 2023 – que decorreu esta quarta-feira, 19 de junho, na Culturgest, em Lisboa – o cardeal Tolentino Mendonça falou daquela que considera ser “talvez a construção mais extraordinária do nosso tempo”: a “ampliação da esperança de vida”. Mas deixou um alerta: “não basta alongar a esperança de vida, precisamos de trabalhar num projeto de sociedade que privilegie a ativação da esperança e a deseje fraternamente repartida, acessível a todos, protagonizada por todos”.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This