Exigência da ONU

Europa deve buscar alternativas à detenção de crianças refugiadas

| 6 Jul 2022

detenção de crianças foto unicefryeng

Numa revisão conjunta realizada em 38 países da região europeia, as agências encontraram muitos exemplos preocupantes de detenção infantil. Foto © UNICEF/Ryeng.

 

Três agências da ONU pedem aos países europeus que encontrem alternativas para a detenção de crianças em busca de asilo, refugiadas e migrantes em todo o continente. A Organização Internacional para as Migrações (OIM), a UNICEF e o ACNUR (Alto Comissariado da ONU para os refugiados) também apresentaram uma série de alternativas e recomendações para ajudar a acabar com a detenção de crianças, disse Stephane Dujarric, porta-voz-chefe do secretário-geral da ONU, António Guterres.

“A detenção nunca é no melhor interesse das crianças, é uma violação de seus direitos e deve ser evitada a todo custo”, afirmou esta terça-feira, 5, um porta-voz da ONU.

Numa revisão conjunta realizada em 38 países da região europeia, as agências encontraram muitos exemplos preocupantes de detenção infantil.

A detenção “tem um impacto profundo e negativo na saúde e bem-estar infantil e pode ter um efeito negativo duradouro no desenvolvimento cognitivo das crianças”, afirmam as agências, num documento informativo.

“A detenção agrava o sofrimento psicológico e faz correr riscos de depressão, ansiedade, violência e abuso”, acrescenta o texto.

Há já programas alternativos amigos das crianças e viáveis economicamente, neste domínio, que o estudo das agências da ONU identificaram. Daí que as recomendações do relatório se orientem no sentido de expandir as alternativas à detenção para crianças e famílias, investir em condições de acolhimento e sistemas nacionais de proteção infantil e melhorar a coleta de dados nacionais e as capacidades de monitoramento nos países e na União Europeia”.

 

Corpo de Alexei Navalny já foi entregue à mãe

Nove dias após a sua morte numa prisão russa

Corpo de Alexei Navalny já foi entregue à mãe novidade

O corpo do líder da oposição russa, Alexei Navalny, foi entregue à sua mãe, informou ontem, sábado, Ivan Zhdanov, diretor da Fundação Anti-Corrupção de Navalny e um dos seus principais assessores na sua conta de Telegram. O responsável agradeceu a “todos” os que apelaram às autoridades russas para que devolvessem o corpo de Navalny à sua mãe, citado pela Associated Press.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

 

Bispos católicos belgas vão debater sacerdotes casados e mulheres diáconos

Como preparação para a segunda sessão do Sínodo

Bispos católicos belgas vão debater sacerdotes casados e mulheres diáconos novidade

Os bispos católicos da Bélgica enviaram às dioceses e comunidades locais do seu país uma carta no dia 16 de fevereiro sugerindo a reflexão sobre dois temas ministeriais, a ordenação sacerdotal de homens casados e a instituição de mulheres diaconisas, como forma de preparação dos trabalhos da segunda sessão do Sínodo dos Bispos, que decorrerá em Roma em outubro próximo.

Cristo Cachorro, versão 2024

Cristo Cachorro, versão 2024 novidade

Invejo de morte a paixão que os cartazes da Semana Santa de Sevilha conseguem despertar. Os sevilhanos importam-se com a sua cidade, as festas e com a imagem que o cartaz projecta, se bem que com o seu quê de possessivo, mas bem melhor que a apatia. Não fossem frases como “É absolutamente uma vergonha e uma aberração” e as missas de desagravo e o quadro cartaz deste ano teria passado ao lado.

“As estatísticas oficiais subestimam a magnitude da pobreza e exclusão em Portugal”, denuncia Cáritas

7MARGENS antecipa estudo

“As estatísticas oficiais subestimam a magnitude da pobreza e exclusão em Portugal”, denuncia Cáritas

Ao basear-se em inquéritos junto das famílias, as estatísticas oficiais em Portugal não captam as situações daqueles que não vivem em residências habituais, como as pessoas em situação de sem-abrigo, por exemplo. E é por isso que “subestimam a magnitude da pobreza e exclusão em Portugal”, denuncia a Cáritas Portuguesa na introdução ao seu mais recente estudo, que será apresentado na próxima terça-feira, 27 de fevereiro, na Universidade Católica Portuguesa do Porto.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This