Memória do Holocausto

Evangélicos fazem declaração contra o antissemitismo

| 10 Mai 2022

O bispo Thomas Schirrmacher e o reverendo Goodwill Shana depositam uma coroa de flores no Memorial do Holocausto Yad Vashem. Foto © Yoni Reif/AEM.

O bispo Thomas Schirrmacher e o reverendo Goodwill Shana depositam uma coroa de flores no Memorial do Holocausto Yad Vashem. Foto © Yoni Reif/AEM.

 

A Aliança Evangélica Europeia (AEE) apresentou “uma forte declaração contra o antissemitismo”, numa mensagem pública lida no Memorial do Holocausto Yad Vashem em Jerusalém, Israel, apoiando assim a definição de antissemitismo da International Holocaust Remembrance Alliance (Aliança Internacional para a Memória do Holocausto — IHRA, na sigla internacional).

Como parte da declaração da AEE, realizada a 26 de abril passado, o presidente da organização evangélica, Frank Hinkelmann, quis enfatizar a importância da adoção desta definição. “Em 2022, 80 anos após Adolf Hitler declarar a sua ‘solução final’ na Conferência de Wannsee na Alemanha, adotamos a definição de trabalho de antissemitismo da IHRA, incluindo todos os exemplos. E fazemo-lo sem reservas nem exceções.” 

Por sua vez, a vice-presidente da AEE, a portuguesa Connie Duarte, sublinhou que “a memória do Holocausto não é recordar ou reportar os factos relativos à exterminação dos judeus na Europa”. E apontou: “Não, trata-se de testemunhar a santidade do outro ser humano e a nossa infinita responsabilidade para com o outro ser humano. Este testemunho está enraizado no ensinamento e testemunho milenar que vem ao mundo através do povo judeu.” 

A definição internacional de antissemitismo desenvolvida e adotada pela IHRA fornece orientação valiosa e é uma ferramenta útil na classificação de casos. Após a declaração pública, lida na sinagoga do campus de Yad Vashem, o secretário-geral da Aliança Evangélica Mundial, Thomas Schirrmacher, referiu que o endosso da definição da IHRA pelos evangélicos “não é apenas um passo moral de extraordinária importância, é também um forte sinal para o diálogo cristão-judaico global e cooperação cristão-judaica”.

Antes desta declaração, os representantes da Aliança Evangélica Mundial e da Aliança Evangélica Europeia, juntamente com representantes do Comité Judaico Internacional para Consultas Interreligiosas (IJCIC), realizaram uma cerimónia conjunta no Memorial Hall do Memorial Yad Vashem, depositando uma coroa de flores, em nome dos evangélicos, com a inscrição “Em reverência e profunda vergonha, mas com a promessa de solidariedade futura — Aliança Evangélica Europeia”.

 

Sida: 60% das crianças entre os 5 e os 14 anos sem acesso a tratamentos

Relatório da ONU alerta

Sida: 60% das crianças entre os 5 e os 14 anos sem acesso a tratamentos novidade

O mais recente relatório da ONUSIDA, divulgado esta terça-feira, 29 de novembro,  é perentório: “o mundo continua a falhar à infância” na resposta contra a doença. No final de 2021, 800 mil crianças com VIH não recebiam qualquer tratamento. Entre os cinco e os 14 anos, apenas 40% tiveram acesso a medicamentos para a supressão viral. A boa notícia é que as mortes por sida caíram 5,79% face a 2020, mas a taxa de mortalidade observada entre as crianças é particularmente alarmante.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

 

Bahrein

Descoberto mosteiro cristão sob as ruínas de uma mesquita

Há quem diga que este é o “primeiro fruto milagroso” da viagem apostólica que o Papa Francisco fez ao Bahrein, no início de novembro. Na verdade, resulta de três anos de trabalho de uma equipa de arqueólogos locais e britânicos, que acaba de descobrir, sob as ruínas de uma antiga mesquita, partes de um ainda mais antigo mosteiro cristão.

Gracia Nasi, judia e “marrana”

Documentário na RTP2

Gracia Nasi, judia e “marrana” novidade

Nascida em Portugal em 1510, com o nome cristão de Beatriz de Luna, Gracia Nasi pertencia a uma uma família de cristãos-novos expulsa de Castela. Viúva aos 25 anos, herdeira de um império cobiçado, Gracia revelar-se-ia exímia gestora de negócios. A sua personalidade e o destino de outros 100 mil judeus sefarditas, expulsos de Portugal, são o foco do documentário Sefarad: Gracia Nasi (RTP2, 30/11, 23h20).

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This