Duas décadas da lei portuguesa

Exposição no Parlamento sobre liberdade religiosa comissariada pelo diretor do 7MARGENS

| 22 Jun 2023

tres religioes liberdade religiosa, foto c tzhaiV

Foto © TzhaiV

 

Uma exposição no Parlamento sobre a liberdade religiosa em Portugal, a propósito das duas décadas da lei, será comissariada pelo diretor do 7MARGENS, o jornalista António Marujo. Ainda sem data para a sua inauguração, a exposição, proposta pelo presidente da Assembleia da República, deverá abrir no último trimestre do ano no Palácio de São Bento, antigo mosteiro e onde hoje está instalada a sede do poder legislativo.

A mostra deverá fazer um percurso pelo quadro jurídico português do último século, desde a aprovação da Lei de Separação de 1911, depois da instauração da República, até à contemporaneidade, com a consagração da pluralidade religiosa e as questões que subsistem por resolver. Na mostra serão expostos alguns documentos importantes do último século, livros e fotos, a par de algumas peças inesperadas – incluindo do espólio do antigo mosteiro e do Parlamento.

Esta exposição culmina um conjunto de iniciativas anunciadas pelo gabinete do Presidente da Assembleia da República, a propósito do Dia Nacional da Liberdade Religiosa e do Diálogo Inter-Religioso, assinalado nesta quinta-feira, 22 de Junho. A celebração deste Dia mereceu um voto de saudação aprovado por unanimidade no Parlamento. Nos próximos meses, outras iniciativas serão organizadas pela Assembleia da República, conforme se desenvolve noutra notícia no 7MARGENS.

 

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Cruz Vermelha quer levar ajuda urgente às vítimas das cheias no Brasil

Apelo internacional

Cruz Vermelha quer levar ajuda urgente às vítimas das cheias no Brasil novidade

Com o objetivo de “aumentar a assistência humanitária às comunidades afetadas pelas devastadoras inundações no Rio Grande do Sul, no Brasil”, a Federação Internacional das Sociedades da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho (FICV) lançou um “apelo de emergência de cerca de oito milhões de euros”, anunciou a Cruz Vermelha Portuguesa (CVP), na última quarta-feira, 22 de maio.

A Dignidade da pessoa humana como prioridade

A Dignidade da pessoa humana como prioridade novidade

Na semana depois de Pentecostes é oportuno recordar a publicação da declaração Dignitas Infinita sobre a Dignidade Humana, elaborada durante cinco anos e divulgada pelo Dicastério para a Doutrina da Fé, pondo a tónica na dimensão universal, filosófica e antropológica, do respeito pela pessoa humana enquanto fator de salvaguarda dos direitos humanos, do primado da justiça e do reconhecimento de que todos os seres humanos como livres e iguais em dignidade e direitos.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This