52.250 vítimas desde 2009

Extremistas islâmicos continuam a massacrar milhares de cristãos na Nigéria

| 17 Abr 2023

Nigéria, liberdade religiosa

Funeral na aldeia de Genabe, no estado de Makurdi-Benue (Nigéria), em 2018. Nos últimos 14 anos, desde a investida dos fundamentalistas islâmicos organizados no Boko Haram, pelo menos 52.250 cristãos nigerianos foram brutalmente assassinados. Foto © ACN Portugal.

 

Mais de cinco mil cidadãos foram mortos em 2022 na NIgéria por serem cristãos e os massacres de cristãos continuam este ano, tendo provocado 1.041 vítimas só nos 100 primeiros dias de 2023, noticia o Vatican News na sua edição de 17 de abril, citando um relatório do observatório nigeriano Intersociety.

O organismo, intitulado Sociedade Internacional para Liberdades Civis e Estado de Direito, foi criado em 2008 como grupo de investigação para monitorizar e investigar “perseguições religiosas e outras formas de violência religiosa por parte de atores estatais e não estatais em toda a Nigéria”.

No documento agora divulgado, o observatório nigeriano indica que nos últimos 14 anos, desde a investida dos fundamentalistas islâmicos organizados no Boko Haram, pelo menos 52.250 cristãos nigerianos foram brutalmente assassinados, mais de 30 mil dos quais durante a presidência de oito anos do ex-presidente nigeriano Muhammadu Buhari, frequentemente criticado durante o seu mandato por nada fazer para combater a crescente insegurança no país.

A zona de Xian foi das mais massacradas, tendo 18 mil igrejas e 2.220 escolas sido alvo de ataques. Calcula-se que hoje sejam cerca de 14 milhões os cristãos que foram forçados a fugir das suas casas e procurar refúgio noutras zonas do país ou em campos de refugiados criados na Nigéria.

 

Desfazendo três equívocos sobre Deus

Desfazendo três equívocos sobre Deus novidade

Existem três dificuldades ou equívocos religiosos sobre o carácter de Deus, e que revelam algum desconhecimento sobre Ele. Por isso convém reflectir no assunto. Esses três equívocos sobre os quais nos vamos debruçar de seguida são muito comuns, infelizmente. [Texto de José Brissos-Lino]

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

sobre as águas

sobre as águas novidade

Breve comentário do p. António Pedro Monteiro aos textos bíblicos lidos em comunidade, no Domingo XII do Tempo Comum B. ⁠Hospital de Santa Marta⁠, Lisboa, 22 de Junho de 2024.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This