Facebook proíbe conteúdos que neguem ou distorçam o Holocausto

| 13 Out 2020

mark zuckerberg facebook, Foto Wikimedia Commons _ Anthony Quintano

O fundador do Facebook, Mark Zuckerberg, tomou a decisão depois de ter visto “dados que mostram um aumento na violência antissemita” online. Foto © Anthony Quintano/Wikimedia Commons.

 

A decisão foi anunciada esta segunda-feira, 12 de outubro, pela vice-presidente de política de conteúdos do Facebook, Monika Bickert, e confirmada pelo próprio dono e fundador da rede social, Mark Zuckerberg: perante o crescimento das manifestações de antissemitismo online, o Facebook irá banir “qualquer conteúdo que negue ou distorça o Holocausto”.

De acordo com Bickert, só entre abril e junho deste ano, o Facebook removeu 22 milhões de exemplos de discurso de ódio contra os judeus e baniu mais de 250 organizações antissemitas. “O anúncio de hoje marca mais um passo no nosso esforço para combater o ódio nos nossos serviços”, afirmou, citada pelo Jewish News.

Zuckerberg confessou, por seu lado, ter lutado “com a tensão entre defender a liberdade de expressão e os danos causados por minimizar ou negar o horror do Holocausto” e admitiu ter tomado a decisão depois de ter visto “dados que mostram um aumento na violência antissemita”. “Traçar a linha entre o que é e o que não é aceitável não é simples, mas perante o estado atual do mundo, acredito que este é o equilíbrio certo”, afirmou.

A partir de agora, informaram ainda os responsáveis da rede social, qualquer pessoa que efetue uma pesquisa sobre o Holocausto no Facebook será “direcionada para fontes confiáveis, de modo a obter informações fidedignas” acerca do tema.

 

Santuário de São João Paulo II, nos EUA, vai tapar obras de arte de Rupnik

Para "dar prioridade às vítimas"

Santuário de São João Paulo II, nos EUA, vai tapar obras de arte de Rupnik novidade

Os Cavaleiros de Colombo, maior organização leiga católica do mundo, anunciaram esta quinta-feira,11 de julho, que irão cobrir os mosaicos da autoria do padre Marko Rupnik, acusado de abusos sexuais e de poder, que decoram as duas capelas do Santuário Nacional de São João Paulo II, em Washington, e a capela da sede da organização em New Haven, Connecticut (EUA). A decisão, inédita na Igreja, surge uma semana depois de o bispo de Lourdes ter admitido considerar que os mosaicos do padre e artista esloveno que decoram o santuário mariano francês acabarão por ter de ser retirados.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

“E tu, falas com Jesus?”

“E tu, falas com Jesus?” novidade

Em matéria de teologia, tendo a sentir-me mais próxima do meu neto X, 6 anos, do que da minha neta F, de 4. Ambos vivem com os pais e uma irmã mais nova em Londres. Conto dois episódios, para perceberem onde quero chegar. Um dia, à hora de deitar, o X contou à mãe que estava “desapontado” com o seu dia. Porquê? Porque não encontrara o cromo do Viktor Gyokeres, jogador do Sporting, um dos seus ídolos do futebol; procurou por todo o lado, desaparecera. Até pedira “a Jesus” para o cromo aparecer, mas não resultou. [Texto de Ana Nunes de Almeida]

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This