Famílias bahá’ís vítimas de rusgas policiais em várias cidades do Irão

| 23 Nov 20

Comentário da representante dos bahá’ís nas Nações Unidas no Twitter: “Durante a adopção da resolução sobre a situação dos direitos humanos no Irão [na ONU], o representante iraniano afirmou que os iranianos gozam de direitos iguais. Não deve estar informado sobre a situação dos bahá’ís.”

 

Na manhã deste domingo, 22 de novembro, membros das forças de segurança iranianas realizaram rusgas em dezenas de residências de famílias bahá’ís, em várias cidades do Irão. No decorrer destas operações foram confiscados objectos pessoais, telemóveis, computadores pessoais, livros e imagens religiosas; em alguns casos os agentes levaram todo o dinheiro que encontraram e cartões de identidade nacional.

Ainda não é conhecido o motivo das rusgas. Segundo dois bahá’ís cujas residências foram revistadas, o mandado apenas especificava “revistar residência, local de trabalho e confiscar equipamentos”. Por enquanto, não há notícias de detenções, noticia o IranWire.

Alguns dos crentes bahá’ís visados nesta operação já estiveram presos no passado. É o caso de Afif Naeimi, membro do órgão dirigente dos bahá’ís no Irão, libertado em dezembro de 2018 após cumprir dez anos de prisão, e de Riaz Sobhani e Shahrokh Taef, que estiveram quatro anos na prisão de Rajaei Shahr.

Estas rusgas ocorrem num momento em que o Irão está profundamente afectado pela pandemia do coronavírus e poucos dias depois de uma subcomissão da Assembleia Geral das Nações Unidas ter aprovado uma resolução que condena as violações dos direitos humanos no Irão e apelava ao governo iraniano que garanta os direitos de todos os seus cidadãos, incluindo os que seguem a Fé Bahá’í.

A resolução pedia ao Irão que “elimine na lei e na prática […] todas as formas de discriminação baseadas em pensamento, consciência, religião ou crença, incluindo as restrições económica [e] a negação e as restrições no acesso à educação, incluindo para os membros da comunidade Bahá’í.” Também apelava ao fim de “outras violações de direitos humanos contra pessoas que pertencem a minorias religiosas reconhecidas e não reconhecidas.”

Após a aprovação da resolução, Diane Ala’i, representante da Comunidade Bahá’í internacional nas Nações Unidas em Genebra, escreveu no Twitter: “Durante a adopção da resolução sobre a situação dos direitos humanos no Irão [na ONU], o representante iraniano afirmou que os iranianos gozam de direitos iguais. Não deve estar informado sobre a situação dos bahá’ís.”

 

Vacinas, negacionistas, aborto e uniões homossexuais – e a missão de “proximidade” dos bispos

Papa regressou da Eslováquia

Vacinas, negacionistas, aborto e uniões homossexuais – e a missão de “proximidade” dos bispos novidade

O aborto é homicídio, mas os bispos têm de ser próximos de quem defende a sua legalização; os Estados devem apoiar as uniões de pessoas do mesmo sexo, mas a Igreja continua a considerar o sacramento do matrimónio apenas entre um homem e uma mulher; e as vacinas têm uma “história de amizade” com a humanidade, não se entendem por isso os negacionismos. Palavras do Papa a bordo do avião que o levou da Eslováquia de regresso a Roma.

Ator Mel Gibson cada vez mais contra a Igreja e o Papa

Enredado em movimentos tradicionalistas

Ator Mel Gibson cada vez mais contra a Igreja e o Papa novidade

São visíveis na Igreja Católica dos Estados Unidos da América, em especial nos últimos anos, movimentações de setores conservadores e tradicionalistas que, embora não assumindo o cisma, se comportam objetivamente como cismáticos. São numerosas as organizações que contam com o apoio de figuras de projeção mediática e que ostensivamente denigrem o Papa e uma parte dos bispos do seu país. Um nome aparece cada vez mais como elemento comum e de suporte: Carlo Maria Viganò, o arcebispo que foi núncio em Washington e que exigiu, em 2018, a demissão do Papa Francisco. Mais recentemente, outra figura de grande projeção pública que vem surgindo nestas movimentações é a do ator e realizador Mel Gibson.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Das trincheiras da Grande Guerra pode ter nascido este concerto sobre o mundo

Estreia na Igreja de São Tomás de Aquino

Das trincheiras da Grande Guerra pode ter nascido este concerto sobre o mundo novidade

“Os primeiros esboços deste texto terão surgido nas trincheiras da Primeira Guerra Mundial”, explica o compositor Alfredo Teixeira, autor da Missa sobre o Mundo, obra para órgão e voz recitante que terá a sua estreia mundial absoluta no próximo sábado, 18 de Setembro, às 16h30 (entrada livre, sujeita ao número de lugares existentes). A obra, construída a partir de excertos do texto homónimo de Pierre Teilhard de Chardin (1881-1955), padre jesuíta e paleontólogo, abrirá a temporada de concertos na Igreja Paroquial de São Tomás de Aquino, em Lisboa.

42 anos do SNS: memória e homenagem espirituais

42 anos do SNS: memória e homenagem espirituais novidade

Hoje, 15 de setembro, celebro e comemoro e agradeço e relembro António Arnaut, o criador em 1979 do Serviço Nacional de Saúde, o SNS da sobrevida de tantos de nós, portugueses. Depois de ter passado um dia de quase dez horas como doente de oncologia em imenso espaço de hospital, entre variadas mãos, procedimentos, cuidados, não posso deixar vazio na data.

Fale connosco

Pin It on Pinterest

Share This