Início do ano pastoral a 26 de novembro

Fátima: Nova exposição apresenta rosário como caminho para a paz

| 22 Nov 2022

nova exposicao rosarium em fatima, cartaz

A exposição estará patente no Convivium de Santo Agostinho (piso inferior da Basílica da Santíssima Trindade), até outubro de 2024. 

 

A inauguração da exposição temporária Rosarium: Alegria e Luz, Dor e Glória, que pretende apresentar o rosário como caminho para a paz, vai marcar a abertura do próximo ano pastoral no Santuário de Fátima, no sábado, 26 de novembro. A mostra, com entrada livre, permanecerá aberta aos peregrinos até outubro de 2024 e terá no dia anterior a sua primeira visita guiada pelo comissário e diretor do Museu do Santuário, Marco Daniel Duarte, com a presença de três artistas – Joana Vasconcelos, Ana Bonifácio e Ana Lima Netto.

Esta exposição acontece 20 anos depois da edição da Carta Apostólica sobre o Rosário – Rosarium Virginis Mariae –, escrita por João Paulo II, e publicada a 16 de outubro de 2002, e “tem como grande objetivo proporcionar uma reflexão sobre uma das dimensões mais estruturantes da mensagem de Fátima: rezar o terço para alcançar a paz”, explica o comissário, em declarações à Sala de Imprensa do Santuário de Fátima.

“Num mundo assolado pela guerra, o tema pareceu-nos da maior pertinência”, acrescenta Marco Daniel Duarte, sublinhando que tem também o objetivo de apresentar esta temática aos milhares de jovens que no próximo ano, por ocasião da Jornada Mundial da Juventude, passarão por Fátima.

 

Arte antiga e contemporânea em diálogo

A exposição, que estará patente no Convivium de Santo Agostinho (piso inferior da Basílica da Santíssima Trindade), pretende “pôr em diálogo peças de arte antiga e de arte contemporânea”, apresentando duas obras originais criadas propositadamente para a mesma: Saltério, de Ana Bonifácio, uma peça que trabalha com terços oferecidos ao Santuário de Fátima por peregrinos anónimos; e In Paradisum, de Ana Lima-Netto, que toma o tema do Paraíso em diálogo com um Cristo Ressuscitado do século XVII e pertence à Irmandade dos Clérigos, no Porto.

Além destas peças de arte contemporânea, a exposição integra ainda mais quatro peças que pertencem ao Museu do Santuário de Fátima: Suspensão, de Joana Vasconcelos; Sinais do Presépio, de Emília Nadal; Jaz morto e arrefece o Menino de sua Mãe, de Clara Menéres; e Apanha do Maná e Última Ceia, de Rolando Sá Nogueira. Algumas destas peças estarão junto de outras mais antigas que foram cedidas pelo Tesouro da Catedral – Museu de Arte Sacra de Viseu.

Recorde-se que a obra Suspensão, de Joana Vasconcelos, surgiu no âmbito do Centenário das Aparições de Fátima, em 2017, tendo estado instalada no alto do recinto de oração entre 2017 e 2018.

Na exposição, poderão ainda ser vistos terços que pertenceram aos videntes Francisco, Jacinta e Lúcia.

“A linguagem do terço está longe de estar esgotada e, ao contrário do que à primeira vista possa parecer, coaduna-se com os valores da contemporaneidade, sobretudo no que se relaciona com os conceitos de contemplação que os tempos atuais exigem”, sublinhou ainda Marco Daniel Duarte. Segundo o comissário, esta exposição pretende “levar o visitante à contemplação dos diferentes mistérios que se meditam no rosário e à conclusão de que esses mistérios nos levam a sermos mais Humanidade”.

 

JMJ dá o mote para o tema do ano

Os Símbolos da JMJ numa praia da ilha da Madeira. Foto © JMJ Lisboa 2023

Os símbolos da JMJ numa praia da ilha da Madeira: a jornada será o pano de fundo dos temas de Fátima em 2023. Foto © JMJ Lisboa 2023

 

Também no dia 26 de novembro, pelas 15h30, no Centro Pastoral de Paulo VI, terá lugar a jornada de apresentação do tema do ano pastoral, “Maria levantou-se e partiu apressadamente (Lc 1, 39)”, a mesma citação bíblica escolhida pelo Papa Francisco como lema da XXVII Jornada Mundial da Juventude, que acontecerá, pela primeira vez, em Portugal no próximo ano.

A sessão iniciará com a intervenção do padre Carlos Cabecinhas, reitor do Santuário de Fátima, seguindo-se a apresentação do tema do ano, pelo bispo auxiliar de Lisboa e presidente da Fundação JMJ, Américo Aguiar. Pelas 16h30, o Ensemble do Serviço de Música Sacra do Santuário de Fátima protagonizará um momento musical.

Carmo Rodeia, diretora do Gabinete de Comunicação do Santuário de Fátima, fará depois a apresentação da publicação O Jornal Voz da Fátima: 100 Anos a Olhar o Mundo, um livro que surgiu no âmbito das comemorações do centenário da publicação oficial do Santuário, assinalado entre outubro de 2021 e outubro de 2022. O bispo de Leiria-Fátima, José Ornelas, fará o encerramento da sessão.

Toda a sessão será transmitida em direto na página do Santuário de Fátima e nas respetivas redes sociais.

 

“Romper a espiral da violência” é uma opção, garante o Papa

Segundo dia na RD Congo

“Romper a espiral da violência” é uma opção, garante o Papa novidade

“Esengo – alegria!” Assim iniciou Francisco a sua homilia na missa da manhã desta quarta-feira, 1 de fevereiro, que decorreu no aeroporto Ndolo, em Kinshasa, capital da República Democrática do Congo (RDC). E a mesma palavra descreve na perfeição o ambiente que se viveu do início ao fim da celebração. Um ambiente pleno de cor, música e dança, em que ressoou a mensagem do Papa: sim, a paz é possível, se escolhermos “romper a espiral da violência”.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

 

Normas inconstitucionais

Eutanásia: CEP e Federação Portuguesa pela Vida saúdam decisão do TC novidade

O secretário da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) saudou a decisão do Tribunal Constitucional (TC), que declarou inconstitucionais algumas das normas do decreto sobre a legalização da eutanásia. “A decisão do TC vai ao encontro do posicionamento da CEP, que sempre tem afirmado a inconstitucionalidade de qualquer iniciativa legislativa que ponha em causa a vida, nomeadamente a despenalização da eutanásia e do suicídio assistido”, disse à agência Ecclesia o padre Manuel Barbosa.

Papa Francisco no Congo: A ousadia de mostrar ao mundo o que o mundo não quer ver

40ª viagem apostólica

Papa Francisco no Congo: A ousadia de mostrar ao mundo o que o mundo não quer ver novidade

O Papa acaba de embarcar naquela que tem sido descrita como uma das viagens mais ousadas do seu pontificado, mas cujos riscos associados não foram motivo suficiente para que abdicasse de a fazer. Apesar dos problemas de saúde que o obrigaram a adiá-la, Francisco insistiu sempre que queria ir à República Democrática do Congo e ao Sudão do Sul. Mais do que uma viagem, esta é uma missão de paz. E no Congo, em particular, onde os conflitos já custaram a vida de mais de seis milhões de pessoas e cuja região leste tem sido atingida por uma violência sem precedentes, a presença do Papa será determinante para mostrar a toda a comunidade internacional aquilo que ela parece não querer ver.

Eutanásia: CEP e Federação Portuguesa pela Vida saúdam decisão do TC

Normas inconstitucionais

Eutanásia: CEP e Federação Portuguesa pela Vida saúdam decisão do TC novidade

O secretário da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) saudou a decisão do Tribunal Constitucional (TC), que declarou inconstitucionais algumas das normas do decreto sobre a legalização da eutanásia. “A decisão do TC vai ao encontro do posicionamento da CEP, que sempre tem afirmado a inconstitucionalidade de qualquer iniciativa legislativa que ponha em causa a vida, nomeadamente a despenalização da eutanásia e do suicídio assistido”, disse à agência Ecclesia o padre Manuel Barbosa.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This