Dias 23 e 24 de setembro

Festival Terras sem Sombra chega a Santiago do Cacém

| 20 Set 2023

pianista belga Olivier de Spiegeleir. Foto DR, via Festival Terras sem Sombra

O concerto Olivier de Spiegeleir levará à moderna igreja de Santa Maria, em Vila Nova de Santo André, um alinhamento de temas de referência da música europeia, do século XVIII ao século XX. Foto: Direitos reservados.

 

Um recital pelo famoso pianista belga Olivier de Spiegeleir é o grande destaque do Festival Terras sem Sombra, que neste fim de semana de 23 e 24 de setembro terá como palco Santiago do Cacém, mas haverá muito mais para ouvir, ver, sentir e aprender, assegura a organização do evento.

A tarde de sábado, a partir das 15h00, será dedicada ao património cultural. “Albalat: Património Arqueológico de Alvalade” foi o mote escolhido para uma atividade de descoberta daquela vila histórica do concelho de Santiago do Cacém, com ponto de encontro no Museu de Arqueologia.

O concerto do maestro Spiegeleir está marcado para as 21h30, e levará à moderna igreja de Santa Maria, em Vila Nova de Santo André, um alinhamento de temas de referência da música europeia, do século XVIII ao século XX.

A concluir o fim de semana em território de Santiago do Cacém, o Festival dedicará a manhã de domingo, 24 de setembro, à biodiversidade. “Novos Desafios: Mosquitos Tropicais e Subtropicais em Portugal” é a atividade prevista com ponto de encontro no Monte do Paio (Brescos), às 9h30, e que pretende servir de alerta para riscos associados às alterações
climáticas e aos seus efeitos nos equilíbrios, já de si frágeis, dos territórios.

A programação da 19ª temporada do Festival Terras sem Sombra prosseguirá com um novo fim de semana de atividades a 14 e 15 de outubro, no concelho de Odemira, seguido da Vidigueira (28 e 29 de outubro), Arraiolos (11 e 12 de novembro), Montemor-o-Novo (2 e 3 de dezembro), Sines (16 de dezembro) e Évora (em data ainda a confirmar).

 

Sínodo, agora, é em Roma… que aqui já acabou

Sínodo, agora, é em Roma… que aqui já acabou novidade

Em que vai, afinal, desembocar o esforço reformador do atual Papa, sobretudo com o processo sinodal que lançou em 2021? Que se pode esperar daquela que já foi considerada a maior auscultação de pessoas alguma vez feita à escala do planeta? – A reflexão de Manuel Pinto, para ler no À Margem desta semana

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Nada se perde: um antigo colégio dos Salesianos é o novo centro de acolhimento do Serviço Jesuíta aos Refugiados

Inaugurado em Vendas Novas

Nada se perde: um antigo colégio dos Salesianos é o novo centro de acolhimento do Serviço Jesuíta aos Refugiados novidade

O apelo foi feito pelo Papa Francisco: utilizar os espaços da Igreja Católica devolutos ou sem uso para respostas humanitárias. Os Salesianos e os Jesuítas em Portugal aceitaram o desafio e, do antigo colégio de uns, nasceu o novo centro de acolhimento de emergência para refugiados de outros. Fica em Vendas Novas, tem capacidade para 120 pessoas, e promete ser amigo das famílias, do ambiente, e da comunidade em que se insere.

Bispos católicos de França apelam à fraternidade e justiça, mas não se demarcam da extrema-direita

Com as eleições no horizonte

Bispos católicos de França apelam à fraternidade e justiça, mas não se demarcam da extrema-direita novidade

O conselho permanente dos bispos da Igreja Católica de França considera, num comunicado divulgado esta quinta-feira, 20 de junho, que o resultado das recentes eleições europeias, que deram a vitória à extrema-direita, “é mais um sintoma de uma sociedade ansiosa, dividida e em sofrimento”. Neste contexto, e em vésperas dos atos eleitorais para a Assembleia Nacional, apresentaram uma oração que deverá ser rezada por todas as comunidades nestes próximos dias.

“Precisamos de trabalhar num projeto de sociedade que privilegie a ativação da esperança”

Tolentino recebeu Prémio Pessoa

“Precisamos de trabalhar num projeto de sociedade que privilegie a ativação da esperança” novidade

Na cerimónia em que recebeu o Prémio Pessoa 2023 – que decorreu esta quarta-feira, 19 de junho, na Culturgest, em Lisboa – o cardeal Tolentino Mendonça falou daquela que considera ser “talvez a construção mais extraordinária do nosso tempo”: a “ampliação da esperança de vida”. Mas deixou um alerta: “não basta alongar a esperança de vida, precisamos de trabalhar num projeto de sociedade que privilegie a ativação da esperança e a deseje fraternamente repartida, acessível a todos, protagonizada por todos”.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This