Música, património e natureza

Festival Terras sem Sombra revisita herança judaica em Castelo de Vide

| 30 Jul 21

 

O Festival Terras sem Sombra apresenta, na Igreja Matriz de Santa Maria da Devesa neste sábado, 31 de Julho, às 21h30, o concerto pelo grupo Utopia Ensemble, que interpreta obras da polifonia europeia. O festival junta as memórias judaicas de Castelo de Vide, revisitadas na acção de património (31 de Julho, 15h), e as deslumbrantes paisagens da Serra de S. Mamede (1 de Agosto, 9h30), com a rica biodiversidade deste território por horizonte.

O grupo Utopia Ensemble. Foto © Festival Terras Sem Sombra

A Igreja Matriz de Nossa Senhora da Devesa, em Castelo de Vide – uma das mais vastas do Sul de Portugal – recebe as vozes do Utopia Ensemble, “um dos mais destacados grupos vocais da actualidade, com um repertório de peças do século XVI e inícios do século XVII”, destaca um comunicado enviado ao 7MARGENS. O projecto tem o epicentro em Antuérpia e inspira-se no célebre livro epónimo de Thomas Morus, com o qual partilha a vocação europeia. Entre outras iniciativas, “este premiado ensemble procura trazer à superfície uma visão inovadora do panorama musical, tanto flamengo como internacional, após a Idade Média”, adianta o mesmo texto.

Ainda sobre a presença judaica em Castelo de Vide, a actividade de salvaguarda de património, a 31 de Julho (15h00), propõe um périplo pelas ruas e monumentos da vila alentejana, tendo como mote “De Volta a Casa: Memórias Judaicas de Castelo de Vide”. “A reminiscência colectiva e a paisagem urbana guardam reflexos desses tempos áureos. Conservada com grande cuidado pela comunidade local, a Judiaria apresenta elementos característicos, como as velhas calçadas, a toponímia e a singular arquitectura, de que faz parte a antiga Sinagoga”, refere o comunicado.

Para finalizar o programa Terras sem Sombra no concelho de Castelo de Vide, o Festival propõe um olhar à biodiversidade sob o mote “Um Alentejo Diferente: A Serra de S. Mamede”. O encontro está marcado para as 9h30 de domingo no Coreto do Jardim Grande. Os participantes são convidados a conhecer as singularidades da Serra, numa visita sob a orientação, entre outros peritos, do ornitólogo Gonçalo Elias e do técnico de arqueologia Nuno Félix, grandes conhecedores da área montanhosa, nas suas diversas paisagens histórico-naturais. “A serra integra a secção sul da Meseta Ibérica, com o ápice nos 1025 metros de altitude, abriga um microclima com notável coberto vegetal e é casa para inúmeras comunidades de seres vivos, com destaque para as aves de presa. A longa presença humana manifesta-se no excepcional património cultural”, explica o comunicado.

 

‘Caminho Minhoto Ribeiro’ reconhecido pelos arcebispos de Braga e Santiago

Em ano Xacobeo

‘Caminho Minhoto Ribeiro’ reconhecido pelos arcebispos de Braga e Santiago novidade

A cidade de Braga foi palco, nesta sexta-feira, 17, da declaração oficial de reconhecimento do Caminho Minhoto Ribeiro por parte dos arcebispos de Braga e de Santiago de Compostela, depois de esse processo ter decorrido já por parte das autarquias do lado português e galego. Na conferência que decorreu em Braga, cidade que é ponto de partida dos dois itinerários que compõem este Caminho, foi igualmente feita a apresentação da investigação documental que fundamenta este novo percurso, a cargo do professor e historiador galego Cástor Pérez Casal.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Só a capacidade de nos maravilharmos sustenta a resistência à crueldade e ao horror

Edgar Morin em entrevista

Só a capacidade de nos maravilharmos sustenta a resistência à crueldade e ao horror novidade

“Se formos capazes de nos maravilhar, extraímos forças para nos revoltarmos contra essas crueldades, esses horrores. Não podemos perder a capacidade de maravilhamento e encantamento” se queremos lutar contra a crise, contra as crises, afirmou Edgar Morin à Rádio Vaticano em entrevista conduzida pela jornalista Hélène Destombes e citada ontem, dia 18 de setembro, pela agência de notícias ZENIT

A votar, a votar!

[Segunda leitura]

A votar, a votar! novidade

“Começa hoje a campanha eleitoral para as eleições autárquicas de 26 de setembro”. Juro que ouvi isto na passada terça-feira, dia 14 de setembro. Assim mesmo, sem tirar nem pôr, na abertura de um noticiário na rádio: “Começa hoje a campanha eleitoral para as eleições autárquicas de 26 de setembro”. Juro.

Fale connosco

Pin It on Pinterest

Share This