Filhos de pescadores trazem a excelência da música filipina ao Alentejo

| 29 Jun 19

A Pundaquit Virtuosi, orquestra juvenil que pretende educar, através da música e da inovação pedagógica, as crianças cujos pais emigraram. Foto: Direitos Reservados.

 

O concerto deste sábado, 29 de Junho, do festival Terras Sem Sombra (TSS) será uma forma de tentar captar a atenção das crianças e jovens para a música erudita, para tentar contrariar o “evidente envelhecimento do público da música erudita”, como diz José António Falcão, director-geral do TSS. No Jardim Público de Ferreira do Alentejo, a partir das 21h30, o concerto As Estrelas e o Sol – Música Filipina dos Séculos XX e XXI terá em palco os Pundaquit Virtuosi, orquestra juvenil oriunda de Pundaquit (200 quilómetros a leste de Manila), sob a direcção do violinista e maestro Alfonso “Coke” Bolipata.

O grupo surge de um projecto que pretende educar, através da música e da inovação pedagógica, as crianças cujos pais emigraram. “Os filhos dos pescadores que tiveram que emigrar encontram aí uma segunda casa”, diz o texto de apresentação do TSS, podendo aceder a uma cuidada formação artística que lhes permite dominar os repertórios clássico e contemporâneo.

A vila costeira e piscatória de Pundaquit pertence ao município de San Antonio, em Zambales, província da região central da ilha de Luzon (onde também se situa a capital, Manila). Entre o Mar do Sul da China e as montanhas Zambales, o território foi atingido pela destruição causada pelas erupções do vulcão Pinatubo, o que levou muitos dos habitantes da região a emigrar.

Os Pundaquit Virtuosi incluem actualmente 28 músicos de seis gerações diferentes de artistas, alguns dos quais já desenvolvem carreiras a solo, como os violinistas Zildjian Marcos e Gabriel Mendonza.

O concerto de Ferreira do Alentejo apresentará uma panorâmica da música nas Filipinas, desde a tradição poética dos inícios do século XX até à criação mais avançada dos nossos dias. Inserido nas comemorações do 121.º aniversário da proclamação da República das Filipinas, o concerto terá várias actividades paralelas como jogos de tabuleiro tradicionais, como sungka e dama, experimentação de yo-yos (brinquedos originários das Filipinas e que serviam inicialmente como armas) e um “mercadinho” de especialidades da gastronomia e do artesanato daquele país.

Artigos relacionados