Filiação em igreja, mesquita, ou sinagoga cai para menos de metade nos EUA

| 30 Mar 21

Nos Estados Unidos, pela primeira vez desde que existem tais sondagens (1937), menos de metade dos cidadãos afirma pertencer a uma comunidade religiosa (igreja, mesquita, ou sinagoga) revela uma sondagem da Gallup divulgada na segunda-feira, dia 29 de março. O reconhecimento desta filiação era de 73% em 1937, manteve-se quase constante até 1999 (70%) e começou a declinar abruptamente desde o princípio do século: 60% em 2010 para os 47% em 2020.

Os analistas da Gallup explicam esta queda lembrando que nas duas últimas décadas a percentagem de americanos que não se identificam com nenhuma religião cresceu de 8 para 13% entre 1998 e 2010 e cifra-se agora em 21%.

As mudanças no sentimento de pertença a uma comunidade religiosa apresentam enormes variações de acordo com a idade. Assim, 66% dos americanos nascidos antes do fim da segunda guerra mundial dizem estar integrados numa comunidade religiosa, o que é reconhecido por apenas 58% dos baby boomers, 50% dos que nasceram entre 1965 e 1980 e por 36% dos nascidos entre 1981 e 1996.

 

O segundo apagamento de Aristides

Comentário

O segundo apagamento de Aristides novidade

“Mesmo que me destituam, só posso agir como cristão, como me dita a minha consciência; se estou a desobedecer a ordens, prefiro estar com Deus contra os homens do que com os homens contra Deus.” Esta afirmação de Aristides de Sousa Mendes, cônsul de Portugal em Bordéus em 1940, confirmada por muitas outras de cariz semelhante, mostra bem qual foi o fundamento para a sua decisão de, contra as ordens expressas de Salazar, conceder indiscriminadamente vistos de passagem a milhares de pessoas em fuga do terror nazi.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Vaticano

Mundo não pode ignorar sofrimento de haitianos novidade

O mundo não pode mais ignorar o sofrimento do povo do Haiti, uma ilha que há séculos é explorada e pilhada por nações mais ricas, apontou o arcebispo Vincenzo Paglia, presidente da Pontifícia Academia para a Vida. “O grito de ajuda de uma nação não pode passar despercebido, especialmente pela Europa.”

Fale connosco

Pin It on Pinterest

Share This