Sondagem do "La Croix"

Franceses que vêm à JMJ são ricos, conservadores e muito praticantes

| 26 Mai 2023

Grupo de peregrinos franceses na JMJ Cracóvia 2016. Foto © WYD

Grupo de peregrinos franceses na JMJ Cracóvia 2016. Foto © WYD.

 

Nove em cada dez dos 30 mil jovens franceses que se inscreveram para participar na Jornada Mundial da Juventude (JMJ) Lisboa 2023 são filhos de lares de estatuto social e económico superior, politicamente conservadores (52% reconhecem-se de direita, ou de extrema-direita, enquanto apenas 8% se dizem de esquerda) e não sentem necessidade de grandes mudanças na sua Igreja.

Dois em cada três dos inquiridos pensa que as mulheres não devem ser ordenadas e apenas 12 por cento olham a celebração da missa de acordo com o ritmo tridentino como “um inútil regresso ao passado”, enquanto a maioria a frequenta ou a aprecia. Estes dados constam de uma sondagem dirigida ao universo dos inscritos na JMJ e publicada no jornal La Croix de 25 de maio.

Os resultados obtidos mostram, segundo o jornal, “uma juventude confiante na Igreja, conservadora e muito praticante, em contracorrente com a sociedade”. Exemplo dessa confiança na Igreja Católica é o facto de 59 por cento dos jovens a verem como “um farol que mostra o caminho no meio da escuridão”, em muito maior número do que os (22%) que a olham como “uma comunidade de convertidos que dão testemunho do seu encontro com Jesus”.

Esta confiança na Igreja parece inabalada pela revelação de crimes sexuais e outros abusos cometidos no interior da Igreja, pois mais de um terço (35%) pensa que tais situações “são consequência de personalidades perversas que traíram a Igreja e traíram a sua própria vocação”, refutando qualquer origem sistémica de tais abusos.

Estranhamente, ou não, é no campo da sexualidade e da homossexualidade que os jovens franceses que se deslocam a Lisboa na primeira semana de agosto, mais se afastam da doutrina da Igreja Católica. Um em cada cinco é taxativo: “não se pode ser católico e homossexual”. E se um em cada três reconhece que “os homossexuais têm lugar na Igreja desde que não promovam a igualdade entre homossexualidade e heterossexualidade” já 53% defendem que “os homossexuais devem estar de pleno direito na Igreja”, ou que “os católicos não devem ser julgados ou identificados em função da sua orientação sexual”.

A sondagem foi realizada entre 7 e 11 de maio, recolheu 4.028 respostas, das quais, depois de aplicação de quotas por sexo e região de origem, foram validadas 3.111.

 

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

 

23 de março

Uma Via-Sacra especial em Guimarães novidade

A música de artistas portugueses como Pedro Abrunhosa, Marisa Liz e Tiago Bettencourt integrará uma Via-Sacra especial organizada pela Paróquia de Nossa Senhora da Conceição, em Guimarães, e cujas receitas reverterão para o restauro de uma capela. A iniciativa está marcada para o próximo dia 23 de março.

Iniciativa ecuménica

Bispos latino-americanos criam Pastoral das Pessoas em Situação de Sem-abrigo

O Conselho Episcopal Latino-Americano (Celam) lançou oficialmente esta semana a Pastoral das Pessoas em Situação de Sem-abrigo, anunciou o Vatican News. Um dos principais responsáveis pela iniciativa é o cardeal Luís José Rueda Aparício, arcebispo de Bogotá e presidente da conferência episcopal da Colômbia, que pretende que a nova “pastoral de rua” leve a Igreja Católica a coordenar-se com outras religiões e instituições já envolvidas neste trabalho.

Uma Via-Sacra especial em Guimarães

23 de março

Uma Via-Sacra especial em Guimarães novidade

A música de artistas portugueses como Pedro Abrunhosa, Marisa Liz e Tiago Bettencourt integrará uma Via-Sacra especial organizada pela Paróquia de Nossa Senhora da Conceição, em Guimarães, e cujas receitas reverterão para o restauro de uma capela. A iniciativa está marcada para o próximo dia 23 de março.

Uma ativista e uma catequista à conversa com uma teóloga e um padre

Uma ativista e uma catequista à conversa com uma teóloga e um padre novidade

Georgina perguntou-se sobre como explicar a dificuldade de relação dos bispos africanos com o mundo LGBTI+, Helena congratulou-se pela presença de leigos na aula sinodal, Serena sublinhou que a participação não se limita a “fazer parte”, inclui “tomar parte”. Aconteceu no Fórum Europeu de Grupos Cristãos LGBTI+, no qual participou Ana Carvalho.

O “Boletim Cinematográfico” na Igreja em Portugal – uma memória histórica

Os primórdios do movimento cinematográfico no seio da Igreja em Portugal

O “Boletim Cinematográfico” na Igreja em Portugal – uma memória histórica novidade

Este é o breve historial de uma publicação simples na sua forma de apresentação, mas que, ao durar persistentemente cerca de cinco décadas, prestou à cultura cinematográfica e à Igreja Católica em Portugal um serviço inestimável e indelevelmente ligado ao nome de Francisco Perestrello, agora falecido.

Agenda

There are no upcoming events.

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This