Francisco nomeia primeira mulher com direito de voto no Sínodo

| 6 Fev 2021

Nathalie Becquart. Foto reproduzida da página de Kim Daniels no Twitter.

 

Vai ser a primeira mulher com direito a voto no Sínodo dos Bispos. O seu nome é Nathalie Becquart, é freira e acaba de ser nomeada pelo Papa Francisco para o cargo de subsecretária daquele órgão criado em 1965 por Paulo VI, como um dos frutos do Vaticano II. Também com subsecretário foi designado Luis Marín de San Martín, padre espanhol da ordem de Santo Agostinho.

Em declarações ao Vatican News, o secretário-geral do Sínodo dos Bispos, cardeal Mario Grech, afirma, sobre a nova subsecretária, que a nomeação do Papa vai contribuir para uma Igreja mais “sinodal e missionária”, considerando que “foi aberta uma porta” no que diz respeito à participação das mulheres nos “processos de discernimento e decisão eclesial”. E acrescenta: “Veremos agora que outros passos podem ser dados no futuro.”

Nathalie Becquart, nascida em 1969, tem trabalhado na pastoral das vocações no âmbito da Conferência dos Bispos de França. Segundo uma nota da Sala de Imprensa do Vaticano, formou-se na Escola de Pós-Graduação em Negócios de Paris, estudou filosofia e teologia no Centro Sèvres – Faculdade jesuíta de Paris, e sociologia na Escola de Pós-Graduação em Ciências Sociais (EHESS) na mesma cidade. Especializou-se em Eclesiologia com pesquisa sobre sinodalidade. Em agosto de 1995 entrou no Instituto La Xavière – Missionários de Jesus Cristo, tendo feito os votos perpétuos em 2005.

Nos tempos mais recentes, a par com o trabalho na pastoral das vocações da Conferência dos Bispos de França, tendo sido uma das participantes ativas no Sínodo sobre os Jovens. Era também, desde 2019, consultora da secretaria-geral do Sínodo dos Bispos, nomeada pelo Papa Francisco.

O padre Luis Marín de San Martín nasceu em 1961 em Madrid, fez os votos solenes em1985, tendo sido ordenado padre em 1988. É doutor em Teologia Sagrada pela Pontifícia Universidade de Comillas, em Madrid. Tem ocupado diversos cargos de formação e ensino universitário, sobretudo no âmbito da congregação a que pertence.

 

Por um mundo que acolha as pessoas refugiadas

Dia Mundial do Refugiado

Por um mundo que acolha as pessoas refugiadas novidade

Dia 20 de Junho é dia de homenagearmos todos aqueles e aquelas que, através do mundo, se veem obrigados e obrigadas a fugirem do seu lar, a suspenderem a vida e a interromperem os seus sonhos no lugar que é o seu. Este é o dia de homenagearmos a força e a coragem desses homens e mulheres – tantos jovens e crianças, meu Deus! – que arriscam a vida na procura de um lugar que os acolha.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Reunião do Conselho dos Cardeais com o Papa voltou a contar com três mulheres

Uma religiosa e duas leigas

Reunião do Conselho dos Cardeais com o Papa voltou a contar com três mulheres novidade

Pela quarta vez consecutiva, o papel das mulheres na Igreja voltou a estar no centro dos trabalhos do Papa e do seu Conselho de Cardeais – conhecido como C9 -, que se reuniu no Vaticano nos últimos dois dias, 17 e 18 de junho. Tratou-se de uma reflexão não apenas sobre as mulheres, mas com as mulheres, dado que – tal como nas reuniões anteriores – estiveram presentes três elementos femininos naquele que habitualmente era um encontro reservado aos prelados.

Liga Operária Católica apela aos trabalhadores que se sindicalizem

Reunida em Seminário Internacional

Liga Operária Católica apela aos trabalhadores que se sindicalizem novidade

“Precisamos que os sindicatos sejam mais fortes e tenham mais força nas negociações e apelamos a todos os os trabalhadores a unirem-se em volta das suas associações”. A afirmação é dos representantes da Liga Operária Católica/Movimento de Trabalhadores Cristãos (LOC/MTC), que estiveram reunidos no passado fim de semana no Museu da Central do Caldeirão, em Santarém, para o seu Seminário Internacional.

Escravatura e racismo: faces da mesma moeda

Escravatura e racismo: faces da mesma moeda novidade

Nos últimos tempos muito se tem falado e escrito sobre escravatura e racismo no nosso país. Temas que nos tocam e que fazem parte da nossa história os quais não podemos esconder. Não assumir esta dupla realidade, é esconder partes importantes da nossa identidade. Sim, praticámos a escravatura ao longo de muitos séculos, e continuamos a fechar os olhos a situações de exploração de pessoas imigradas, a lembrar tempos de servidão.[Texto de Florentino Beirão]

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This