Após semana de audiências

Francisco “profundamente entristecido” com relatos de indígenas do Canadá

| 1 Abr 2022

papa francisco com representantes de incígenas do canadá, foto vatican media abril 2022

No final da audiência, o Papa afirmou que ficaria feliz por voltar a estar com os representantes dos povos nativos do Canadá quando visitar as suas terras. Foto © Vatican Media.

 

O Papa terminou esta sexta-feira, 1 de abril, uma semana de audiências com representantes dos povos nativos do Canadá, tendo-se manifestado “profundamente entristecido” pelas histórias de sofrimento que alguns deles lhe contaram, relata o Vatican News. “Pela conduta deplorável desses membros da Igreja Católica, peço perdão a Deus e digo-vos de todo o coração: tenho muita pena. Junto-me aos meus irmãos, os bispos canadianos, pedindo o vosso perdão”, disse Francisco aos seus interlocutores.

“É assustador pensar nessa vontade determinada para incutir um sentimento de inferioridade nas pessoas e roubar-lhes a sua identidade cultural”, acrescentou Francisco, que concluiu: “Sem indignação, sem memória histórica e sem compromisso de aprender com os erros do passado, os problemas permanecem sem solução e voltam novamente”.

O Papa referia-se ao facto de, entre 1863 e 1998, mais de 150 mil crianças indígenas terem sido tiradas às suas famílias e internadas nas escolas residenciais onde não tinham permissão para falar a sua língua nativa ou para realizarem quaisquer gestos característicos da sua cultura [ver 7MARGENS]. O internamento nestas instituições que se propunham assimilar à força as crianças autóctones tornou-se obrigatório na década de 1920, passando os pais a enfrentar a ameaça de prisão caso não cumprissem essa obrigação.

Estimativas de várias fontes apontam para que mais de 6.000 crianças tivessem morrido durante o seu internamento forçado e um número muito maior tivesse sido vítima de maus-tratos, abusos sexuais e outras violências. No Canadá, chegaram a existir mais de 130 escolas residenciais financiadas pelo Governo e administradas por autoridades religiosas, sendo a Igreja Católica responsável por cerca de 70 por cento desses estabelecimentos.

Usando da palavra na sexta-feira, o presidente da Conferência Canadiana dos Bispos Católicos (CCCB), Raymond Poisson, salientou o compromisso assumido pelos bispos canadianos: “A nossa história recente está marcada pelo estigma de erros e falhas no amor ao próximo, em particular para com os membros das nações nativas que vivem há séculos no Canadá. Mas o nosso desejo de reconciliação é ainda maior. A nossa presença aqui [nas audiências papais] é um testemunho de nosso compromisso convosco e com cada um de vós”.

No final da audiência, o Papa afirmou que ficaria feliz por voltar a estar novamente com eles quando visitar as suas terras nativas. A viagem papal ao Canadá poderá ocorrer ainda este verão.

 

Jovens vão dizer aos bispos o que querem discutir, num modelo inédito de catequeses da JMJ

Inspirado no processo sinodal

Jovens vão dizer aos bispos o que querem discutir, num modelo inédito de catequeses da JMJ novidade

A Jornada Mundial da Juventude (JMJ) Lisboa 2023 vai inaugurar um novo modelo de catequeses com os bispos, em que os jovens serão “os verdadeiros protagonistas”. Pela primeira vez na história das Jornadas, os jovens de todo o mundo são desafiados a refletir previamente sobre os temas dessas catequeses (as quais mudam de designação e passam a chamar-se encontros) e a partilhar com a organização da JMJ os resultados dessa reflexão. Os encontros, que ocuparão as manhãs de dias 2, 3 e 4 de agosto, serão preparados tendo em conta esses contributos.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

 

Em Lisboa

Servas de N. Sra. de Fátima dinamizam “Conversas JMJ”

O Luiza Andaluz Centro de Conhecimento, ligado á congregação das Servas de Nossa Senhora de Fátima, acolhe na próxima quinta-feira, 30 de março, a primeira de três sessões do ciclo de “Conversas JMJ”. Esta primeira conversa, que decorrerá na Casa de São Mamede, em Lisboa, pelas 21h30, tem como título “Maria – mulheres de hoje” e será dedicada ao papel da mulher na sociedade atual.

Cristãos “horrorizados e magoados” com escalada de violência na Terra Santa

Apelo à ação do governo israelita

Cristãos “horrorizados e magoados” com escalada de violência na Terra Santa novidade

Os ataques contra cristãos têm vindo a intensificar-se desde o início do ano na Terra Santa, e em particular nas últimas semanas contra a comunidade católica, que se assume cada vez mais assustada e receosa. O padre Francesco Patton, Custódio da Terra Santa, sublinha que “não é coincidência que esses incidentes graves estejam a a ocorrer especificamente agora” e pede ao governo israelita que aja com determinação para pôr fim a esta escalada de tensão.

“Uma paz duradoura só pode ser uma paz sem armas”, lembra o Papa

Vídeo de abril

“Uma paz duradoura só pode ser uma paz sem armas”, lembra o Papa novidade

Na edição de abril d’O Vídeo do Papa, Francisco pede com determinação que “desenvolvamos uma cultura da paz”, assinalando que “uma paz duradoura só pode ser uma paz sem armas”. Previamente gravado e divulgado esta quinta-feira, 30 de março, o vídeo assinala também os 60 anos da publicação da encíclica Pacem in Terris, escrita pelo Papa João XXIII, que se cumprem no próximo dia 11.

Igreja condena “Doutrina do Descobrimento” e pede perdão aos povos indígenas

Declaração conjunta repudia bulas papais

Igreja condena “Doutrina do Descobrimento” e pede perdão aos povos indígenas novidade

O Vaticano reforçou esta quinta-feira, 30 de março, a sua posição a favor dos direitos dos povos indígenas das Américas, África e Austrália ao repudiar os fundamentos papais do século XV que estiveram na base da posterior “Doutrina do Descobrimento”, formulada para conferir caráter legal à expropriação das terras dos povos indígenas pelo colonos europeus.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This