“Fratelli tutti” em russo, por iniciativa de muçulmanos

| 3 Jan 21

Fratelli Tutti em russo

Capa da encíclica Fratelli Tutti em russo, com a foto do abraço entre o Papa Francisco e o xeque Ahmed Al-Tayyeb, imã da Mesquita e Universidade de Al-Azhar, do Cairo.

A tradução em língua russa da última encíclica do Papa Francisco, Fratelli Tutti, acaba de ser publicada, segundo noticia o Vatican News. A surpresa é ela ter sido feita e editada por instituições muçulmanas e ter surgido antes mesmo da tradução que estava a ser preparada pela Igreja Católica na Rússia.

A editora Medina e o Fórum Muçulmano Internacional foram as entidades que se encarregaram deste trabalho, publicado na véspera de Natal, coincidindo com o início da festa muçulmana de Eid al-Milad (Natividade de Isa ibn Maryam, ou seja Jesus, filho de Maria, que o Alcorão apresenta como um grande profeta).

No prefácio da edição, Damir Hazrat Mukhetdinov, secretário executivo do Fórum Muçulmano, escreve:

“Como pode a tradução de um documento da Igreja Católica Romana ser importante para um muçulmano? A resposta é simples: além das próprias reflexões do Papa Francisco (…) há a possibilidade de compreender melhor a própria religião, de vê-la de lados inesperados. A libertação do preconceito sobre os outros promove maior liberdade de pensamento, o que inevitavelmente leva à libertação do preconceito sobre si mesmo. Uma melhor compreensão de nós mesmos não passará despercebida pela forma como os outros nos entendem. Esse entendimento mútuo (não só do outro, mas sobretudo de si mesmo) ocorre durante o encontro. E o encontro é a principal mensagem da Fratelli Tutti”.

Na apresentação feita na página da editora, sublinha-se ainda:

A encíclica Fratelli Tutti é uma etapa sem precedentes no diálogo inter-religioso. Esta etapa é marcada pelo problema da convivência, o problema da sociabilidade. A base da interação social deve ser a ideia de abraçar a misericórdia de Deus e o amor ao próximo. A encíclica do Papa Francisco fala sobre misericórdia social e amor. Qualquer pessoa que se preocupa com o amor e a misericórdia dialoga. O convite para esse diálogo foi a encíclica Fratelli Tutti. A difusão da mensagem do Papa em russo servirá à causa do diálogo, da amizade social, da fraternidade universal. Isso fortalecerá a cultura da reunião. A tradução é dirigida a todas as pessoas de boa vontade.”

A tradução da encíclica em língua russa não estava prevista no plano de traduções oficiais da Santa Sé, razão pela qual a Conferência Episcopal tinha em andamento uma tradução própria. Com esta iniciativa dos muçulmanos, que se antecipou à tradução católica, fica disponível um documento saudado com “alegre surpresa”, por parte do presidente da Conferência Episcopal da Rússia, o bispo Paolo Pezzi.

Segundo a agência de notícias SIR, dirigindo-se diretamente ao secretário do Fórum Muçulmano (e também primeiro vice-presidente da direção espiritual dos Muçulmanos da Federação Russa), Damir Mukhetdinov, que promoveu a iniciativa editorial, Paolo Pezzi escreveu:

“Como toda a gente, eu sabia que esta encíclica nasce – em grande parte – do histórico encontro entre o Papa e o Grande Imã de Al-Azhar, Ahmed Al-Tayyeb, e apela a renovadas relações fraternas entre os fiéis das nossas tradições religiosas. Mas eu não podia imaginar que esse apelo suscitaria uma resposta tão rápida e generosa nos corações dos muçulmanos russos.”

Em carta ao representante muçulmano, publicada na página da Igreja Católica russa, o arcebispo acrescenta:

“A importância deste vosso passo, assim como da própria encíclica do Papa, é realmente difícil de sobreestimar. Parece-me que esse gesto seja incrivelmente relevante neste momento, quando muitas pessoas, infelizmente, acreditam que o diálogo inter-religioso seja uma formalidade vazia que não dá nenhum fruto real e não afeta a vida das pessoas. Mas não é assim: temos muitas provas de como seja importante uma ‘cultura de encontro’, que pode reavivar a esperança e levar à renovação”.

A carta cita neste ponto uma frase da encíclica de Francisco: “A verdade é que a violência não encontra nenhuma base nas convicções religiosas fundamentais, mas sim em suas deformações.”

O arcebispo, portanto, agradece a Damir Hazrat, porque a tradução de Fratelli Tutti não só torna os conceitos expressos pelo Papa Francisco acessíveis aos leitores muçulmanos, mas também permite que “os católicos se vejam através dos olhos de nossos interlocutores”. E acrescenta: “Seria interessante se, num futuro próximo, pudéssemos realizar juntos um encontro sobre os temas importantes discutidos neste documento.”

 

Abolir as armas nucleares

Abolir as armas nucleares novidade

Dinâmicas colectivas mobilizadoras, pronunciamentos de líderes políticos, insistência nos apelos de dirigentes religiosos, são marcos que ajudam a explicar o facto de, a 7 de Julho de 2017, a Assembleia Geral da ONU ter adoptado, numa decisão histórica, o Tratado de Proibição das Armas Nucleares, votado por 122 países, com a ausência dos países detentores de armas nucleares, bem como dos membros da Aliança Atlântica.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

Semana pela Unidade dos Cristãos: Aplicação disponibiliza orações em árabe novidade

Pela primeira vez, os cristãos de língua árabe podem acompanhar as orações e meditações bíblicas da Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos (que se assinala entre 18 e 25 de janeiro) no seu próprio idioma, graças à tradução assegurada pelo Conselho Mundial de Igrejas (CMI), em parceria com o Conselho de Igrejas do Médio Oriente (MECC) e a aplicação bíblica You Version – The Bible App.

Diocese espanhola vende bens patrimoniais para ajudar os pobres novidade

O arcebispo de Valencia (Espanha), cardeal Antonio Cañizares, anunciou a criação da fundação diocesana Pauperibus, através da qual a sua diocese irá vender bens patrimoniais próprios “para aliviar as necessidades dos mais pobres e vulneráveis”, acentuadas pela pandemia de covid-19.

Inscreva-se aqui
e receba as nossas notícias

Boas notícias

É notícia

Bispo Manuel Martins evocado nos 94 anos do seu nascimento novidade

Naquele que seria o dia do 94º aniversário do primeiro bispo de Setúbal, D. Manuel Martins, um grupo coordenado por Eugénio Fonseca promove uma sessão de evocação e homenagem, durante a qual intervém Manuel Malheiros, da Liga Portuguesa dos Direitos Humanos/Civitas.  

Indonésia: Paróquias acolhem 15 mil desalojados após terramoto

Na sequência do violento terramoto que atingiu a Ilha de Sulawesi, na Indonésia, na noite de quinta para sexta-feira, dia 15, a Cáritas local criou um centro de emergência para apoio à população afetada, tendo acolhido em duas paróquias um total de 15 mil pessoas que ficaram sem casa. A Conferência Episcopal Italiana (católica) doou, por seu lado, 500 mil euros para ajudar as famílias mais atingidas.

“Pelo amor de Deus, enviem-nos oxigénio”, apela o arcebispo de Manaus

Com o aumento vertiginoso de casos de covid-19 no Estado do Amazonas (Brasil), particularmente na capital Manaus, e com as principais unidades de saúde já sem oxigénio disponível, o arcebispo da diocese, Leonardo Ulrich Steiner, gravou um vídeo apelando à solidariedade de todos. “Pelo amor de Deus, enviem-nos oxigénio”, pediu na mensagem divulgada esta sexta-feira, 15 de janeiro, pelo Vatican News, sublinhando que a região se encontra “num momento de pandemia, quase sem saída”, em que as pessoas estão a morrer “por falta de oxigénio, por falta de camas” nas unidades de cuidados intensivos.

Bangladesh: Incêndio em campo de refugiados rohingya deixa 3.500 sem casa

Um incêndio devastou esta quinta-feira, 14 de janeiro, o campo de refugiados da cidade portuária de Cox’s Bazar, no sul do Bangladesh, tendo destruído mais de 550 casas que abrigavam cerca de 3.500 pessoas da minoria rohingya. Não são conhecidas até ao momento quaisquer vítimas mortais ou feridos graves, mas este incidente “terá roubado a muitas famílias o abrigo e dignidade que lhes restava”, afirmou o diretor da ONG Save the Children no país, Onn van Manen.

Entre margens

Euforia, esperança ou amnésia coletiva novidade

2020 foi um ano em que, em boa parte, nos perdemos. Alguns arriscaram, mas, perante as consequências do destemor inicial, recuaram e reposicionaram a sua forma de vida. Outros não aprenderam nada e exibiram-se heróis, como se os riscos comprovados não existissem, como se as ameaças fossem coisa de fracos e de gente fora de moda. Pois é mesmo disso que tenho medo – de uma amnésia coletiva.

Educados por fantasmas

Aliás, se as crianças e os jovens são hoje educados por fantasmas, os adultos estão longe de ser imunes ao seu fascínio. É como se a envolvência de tal mundo, que afecta ambos, não permitisse um pensamento a frio sobre ele. Ainda que o, por assim dizer, crime de pensar, seja precisamente a única forma possível de nos colocarmos ainda diante desse mundo. À distância que nos permite o pensamento crítico verificamos que estes fantasmas falam. São veículos de ideologia.

E se confinássemos?

Inclinado, como é meu hábito, a confiar nas explicações científicas, e até mesmo na humilde incerteza que toda a séria certeza tem, aceito, evidentemente, que estamos a percorrer o caminho mais seguro para limitar a tragédia e assegurar, tanto quanto possível é prever, uma evolução favorável. Igualmente convicto da boa-fé, rectidão de motivos e sentido do serviço público de quem, em tempos tão difíceis, tem conduzido o país, não me resta qualquer paciência para opiniões avulsas ou teorias da conspiração.

Cultura e artes

A vida, o sofrimento e Jesus

Dois autores, ambos presbíteros com profundas experiências e preocupações pastorais – Valdés é biblista argentino, Bermejo é especialista na pastoral da saúde em Espanha – oferecem em Peregrinar a Jesus um contributo notável para aprofundar as difíceis e exigentes questões relacionadas com a saúde, o sofrimento e a relação de fé.

O olhar da raposa

Infelizmente, são ainda muitos os lugares deste mundo onde a pena de morte continua a existir e a ser praticada. Sirvam de exemplo estas notícias do Público de sexta, 11 de Dezembro e Domingo 13 de Dezembro: “Trump autoriza onda de execuções como não se via há 124 anos”; “Alfred Bourgeois é o segundo executado em dois dias pela Administração Trump”; “Irão executa jornalista por inspirar protestos de 2017 contra o regime”.

A pegada de religiosidade na obra de João Cutileiro

“Na vasta obra de João Cutileiro, há uma intermitente, mas persistente, pegada de religiosidade que deixou plasmada em poemas de pedra”, escreve o padre Mário Tavares de Oliveira, cónego da diocese de Évora, num texto que evoca a arte do escultor que morreu no passado dia 5.

Palavra e Palavras

Durante as semanas de Advento li o novo livro de Valter Hugo Mãe (VHM), Contra Mim. Trata-se de um livro que revela quem é Valter Hugo Mãe. A sua leitura literalmente me encantou e fez emergir múltiplas epifanias.  Um grande livro, um grande escritor. Uma prosa lindíssima e original. Uma profunda busca de Deus.

Auscultar a expressão de um Povo

A chamada Caixa de Correio de Nossa Senhora constitui um arquivo do santuário de Fátima no qual se conservam as mensagens ali enviadas de todo o mundo, a partir da década de 40 do século passado, dirigidas à Mãe de Jesus. Trata-se de cartas, bilhetes, postais, ex-votos, num número que atinge os milhões e que constituem uma expressão de devoção íntima e pessoal de inúmeros católicos de todas as origens sociais, económicas e familiares.

Sete Partidas

Angela Merkel

Partilho o último discurso de Ano Novo de Angela Merkel como chanceler alemã. A princípio não gostava muito dela, e desgostei especialmente na época da crise do euro. A rejeição era tal que, há cerca de 15 anos, os meus filhos sentiram necessidade de tomar uma importante decisão pessoal: anunciaram que gostavam muito dos avós “apesar de eles votarem na Angela Merkel”.

Aquele que habita os céus sorri

Agenda

Parceiros

Fale connosco

Pin It on Pinterest

Share This