Frente à Casa Branca

Freiras manifestam-se contra a política de imigração de Biden

| 8 Dez 2021

Religiosas de 24 congregações dos Estados Unidos da América juntaram-se em frente à Casa Branca em protesto. Foto © NETWORK Lobby.

 

Oitenta religiosas de 24 congregações dos Estados Unidos da América juntaram-se no último fim-de-semana em frente à Casa Branca, apelando ao Presidente Biden que suspenda um diploma do tempo de Donald Trump, conhecido por Título 42, que fecha as portas aos migrantes que pretendem entrar pela fronteira sul.

“Irmãs católicas exigem: fim do uso imoral do Título 42”, diziam vários dos cartazes exibidos na manifestação que juntou também outros apoiantes vindos de diferentes estados dos EUA. A iniciativa foi uma espécie de ação de Advento (preparação do nascimento de Jesus), que os cristãos estão a celebrar até ao Natal.

A medida contestada foi instituída pela administração Trump no quadro da Lei de Segurança de Saúde Pública, em março de 2020, quando cresceram as preocupações públicas com os contágios do coronavírus. Dadas as posições de Biden enquanto candidato, os seus apoiantes acreditaram que ele aboliria essa política, o que até agora não aconteceu.

A administração Biden entende que o Título 42 não é uma política de imigração, mas uma medida de saúde pública, pelo que cabe aos centros locais de controlo e prevenção avaliar em cada caso se é de aplicá-la. A verdade é que ela acaba por ser usada politicamente como arma contra os migrantes que tentam passar a fronteira, em particular num quadro como o atual, de surgimento da variante Omicron.

Tracey Horan, uma religiosa das Irmãs da Providência, citada pelo Global Sisters Report, desabafou sobre esta situação: “O que mais quero dizer ao presidente Biden e a todos vós hoje é que sabemos que as coisas não têm de ser assim. Esta é uma escolha consciente que estamos a fazer como nação.”

Os defensores dos direitos dos imigrantes, segundo ela, não estão a exigir  o desmantelamento completo do sistema de imigração, mas “a pedir simplesmente a restauração do sistema de asilo, tratamento humano e devido processo legal”.

“A minha oração é que não nos limitemos a aguardar, na esperança de que a luz do mundo venha”, disse ela. “Mas que façamos a escolha consciente de ajudá-la a brilhar intensamente pelo modo como recebemos os nossos irmãos e irmãs migrantes.”

 

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

 

Evento "importantíssimo" para o país

Governo assume despesas da JMJ que Moedas recusou

A ministra Adjunta e dos Assuntos Parlamentares, Ana Catarina Mendes, chegou a acordo com o presidente da Câmara de Lisboa sobre as Jornadas Mundiais da Juventude, comprometendo-se a – tal como exigia agora Carlos Moedas – assumir mais despesa do evento do que aquela que estava inicialmente prevista, noticiou o Expresso esta quarta-feira, 3.

Multiplicar o número de leitores do 7MARGENS

Em 15 dias, 90 novos assinantes

Durante o mês de julho o 7MARGENS registou 90 novos leitores-assinantes, em resultado do nosso apelo para que cada leitor trouxesse outro assinante. Deste modo, a Newsletter diária passou a ser enviada a 2.863 pessoas. Estamos ainda muto longe de duplicar o número de assinantes e chegar aos 5.000, pelo que mantemos o apelo feito a 18 de julho: que cada leitor consiga trazer outro.

Parceria com Global Tree

JMJ promove plantação de árvores

A Fundação Jornada Mundial da Juventude Lisboa 2023 e a Global Tree Initiative estabeleceram uma parceria com o objectivo de levar os participantes e responsáveis da organização da jornada a plantar árvores. A iniciativa pretende ser uma forma de assinalar o Dia Mundial da Conservação da Natureza, que se assinala nesta quinta-feira, 28 de julho.

Judeus do Partido Trabalhista atacam política de Israel

Reino Unido

Judeus do Partido Trabalhista atacam política de Israel

Glyn Secker, secretário da Jewish Voice For Labor – uma organização que reúne judeus membros do Partido Trabalhista ­–, lançou um violento ataque aos “judeus que colocam Israel no centro da sua identidade” e classificou o sionismo como “uma obscenidade” ao discursar no dia 10 diante de Downing Street, durante um protesto contra os ataques de Israel na faixa de Gaza.

Agenda

There are no upcoming events.

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This